Museu do Mar e da Capitania dispõe de espaços da Leitura e do Fotógrafo
Educadores recebem certificação pela conclusão do curso Encontros de Leitura
Bullying é tema de palestra para profissionais da educação em Ilhéus

Ações da Prefeitura de Ilhéus

***

Museu do Mar e da Capitania dispõe de espaços da Leitura e do Fotógrafo

Reaberto em setembro após processo de reformulação, o Museu do Mar e da Capitania, que funciona nas dependências da Fundação-Universidade Livre do Mar e da Mata (Maramata), no bairro Nova Brasília, zona sul de Ilhéus, apresenta duas exposições temáticas. No Espaço da Leitura, a população e turistas podem encontrar diversas obras de escritores regionais, a exemplo de Hélio Pólvora e Sosígenes Costa. Já no Espaço do Fotógrafo, o público tem a oportunidade de conhecer alguns trabalhos que ajudaram a eternizar a Ilhéus do passado, como Francino, Louro, Alafim e Pinillos. Esta exposição inclui registros de fotógrafos estrangeiros, a exemplo do francês Joseph Nicéphore, que fez em 1826 a primeira fotografia permanente da história.

A coordenadora do museu, bióloga Tamires Lima, disse que nas visitas de turistas ou de estudantes a entidade oferece diversas atividades recreativas e exibição de filmes educativos na Sala Verde. Afirmou que “para isso, é necessário o agendamento prévio com no mínimo uma semana de antecedência visando melhor atendimento”. Já com relação à área biológica incrementada por meio da parceria com o Instituto Bios, Tamires Lima afirma que foi possível adquirir várias peças, como peixes e crustáceos. Ressaltou que “estamos realizando pesquisa com a finalidade de expor essas peças com as devidas informações técnicas, a exemplo do gênero, espécie e nome científico”.

Tamires enfatiza ainda a importância da direção de escolas de agendar visitas de seus alunos ao museu, que na sua visão é um espaço de ensino não-formal voltado para a aprendizagem de disciplinas diversas, como ciências, biologia, história e geografia, entre outras. Lembrou que “isso sem falar no fato de que o espaço é um mecanismo importante de resgate da nossa cultura e identidade”, salientando que a cada três meses o setor referente à história da Capitania de Ilhéus renova seu acervo.

Contato – O museu trabalha com diversos projetos de cunho educacional. A maioria se dá através de palestras proferidas em escolas municipais e por meio de visitações de alunos ao equipamento. Criado há nove anos e reaberto em 2008 pelo prefeito Newton Lima, após revitalizar, restaurar e reordenar seu acervo, o espaço segue contando a história do sul da Bahia através de livros, fósseis e animais empalhados, além de objetos usados para mergulho e navegação.

Um dos destaques do acervo continua sendo o conjunto de armas usadas na batalha de Magáli, gaúcho que invadiu o Brasil com mercenários, tendo como centro da invasão o município de Ilhéus. O espaço que fica aberto de segunda a sexta-feira, sempre das 9 as 12 e das 14 às 17 horas, pode ser contatado através do telefone (73) 3632-3474 ou por intermédio do endereço [email protected]

A Fundação-Maramata é uma fundação marcada pela liberdade e pela informalidade. O diretor-presidente Antonio Olímpio lembra que a instituição não possui cursos permanentes e carreiras de ensino formal, típicas das universidades convencionais, “sendo, no entanto, complementar a elas”. Olímpio chama atenção ainda para o fato de que a Maramata destaca-se por atividades de estudo, pesquisa e difusão do conhecimento na área dos recursos ambientais.

Educadores recebem certificação pela conclusão do curso Encontros de Leitura

Cento e sessenta profissionais da rede pública de ensino de Ilhéus participaram nesta quarta-feira (20) da solenidade que marcou a entrega dos certificados de conclusão do projeto “Encontros de Leitura”, parceria realizada entre a secretaria municipal de Educação e a Natura Cosméticos. O evento contou com a presença da secretária Lidiney Campos, que falou sobre a importância de promover a leitura na sala de aula. Disse que “a leitura no mundo moderno é a habilidade intelectual mais importante a ser desenvolvida e cultivada por pessoa de qualquer idade. É a leitura literária que alimenta a imaginação, a fantasia e cria as condições necessárias para pensar um projeto de vida com mais conhecimento sobre o mundo, as coisas e sobre si mesmo”.

Foram 160 certificações entregues a professores, coordenadores pedagógicos e diretores da educação infantil. A coordenadora pedagógica Sonaly Pimenta, a professora Maria de Fátima Tourinho, a gerente da Educação Infantil, Áurea Cristina Somais e a ministrante do curso, Heloísa Pacheco. O evento contou com recital de poesias e depoimentos de educadoras que participaram da iniciativa. A professora do anexo da Escola Vovô Isaac, Edilene Teles, afirmou que “o curso renovou o nosso gosto pela leitura e nos possibilitou novos meios de aprimorar a leitura na sala de aula”.

Em todos os módulos os coordenadores, orientadores e diretores participaram de encontros específicos sobre planejamento e orientações gerais para assegurar o desenvolvimento do projeto na unidade escolar. Além de ser contemplados com certificados os profissionais que receberam a afirmação, de acordo com a secretaria de Educação, também estarão aptos a receber gratificação salarial.

Parceria – Iniciados em 2009, os encontros foram distribuídos em cinco módulos, com 16 horas cada e tiveram o objetivo de contribuir para a ampliação do universo cultural de professores e alunos de educação infantil através da leitura e proporcionar a reflexão sobre os diversos livros e criar orientações para práticas de leitura dentro e fora das salas de aula. A Natura enviou acervos com 62 livros fixos para as 28 unidades escolares da zona urbana e do campo envolvidas no projeto. Há ainda acervo circulante com 30 livros que chega às escolas,de acordo com cronograma estabelecido pela secretaria.

Bullying é tema de palestra para profissionais da educação em Ilhéus

Profissionais da rede municipal da educação de Ilhéus participam nesta sexta-feira (22) de palestra sobre o uso de substâncias psicoativas, violência e bullying que será proferida pela juíza da Vara da Infância e Juventude, Sandra Magaly. O evento será realizado a partir das 9 horas, no auditório da Justiça Federal, centro. De acordo com a secretária de Educação, Lidiney Campos, representa um passo para a discussão e elaboração de propostas “que ajudem a diminuir essas práticas nocivas para a educação e para o desenvolvimento do aluno como cidadão, dentro e fora da sala de aula”.

A expectativa é que 200 profissionais da rede municipal participem da palestra, além de representantes da Direc-6 e da Associação de Professores Profissionais de Ilhéus (APPI-APLB-Sindicato). Ainda segundo Lidiney Campos, outras atividades voltadas para discutir essas temáticas devem ser agendadas, a exemplo de exibição de vídeos e novas palestras.

Saiba mais sobre o bullying – O termo bullying é utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por indivíduo ou por grupos de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo incapaz de se defender. Em inglês bully significa “valentão”. Existem ainda casos em que as vítimas podem assumir o papel de agressores e vice-versa. O bullying ocorre geralmente em situações envolvendo o ambiente escolar ou da faculdade. As pessoas que praticam o bullying – os bullies – usam principalmente combinação de intimidação e humilhação para atormentar os outros.

Insultar a vítima, acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada, ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade, interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc, danificando-os e espalhar rumores negativos sobre a vítima e depreciar a vítima sem qualquer motivo, são algumas técnicas utilizadas pelas pessoas que praticam o bullying.