Por PROF.LIMA

Diante dos olhos de nossa mente, um ser humano que, perante os demais, recebeu merecidamente a valiosa distinção do PRÊMIO NOBEL DA PAZ e, diante de Deus, o prêmio de ter representado esplendidamente Jesus em nossos dias, ao cuidar dos mais abandonados: MADRE TERESA DE CALCUTÁ.Seguem inspirados pensamentos seus, colhidos, os últimos 14, num e-mail em espanhol fornecido por eficiente correspondente de Quarai /RS.
-É fácil amar os que estão longe. Mas nem sempre é fácil amar os que vivem ao nosso lado.
-O importante não é o que se dá, mas o amor com que se dá.
-Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz.
-Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo. Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo. Não viva de fotografias amareladas… Continue, quando todos esperam que desista. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você. Faça com que em vez de pena, tenham respeito por você. Quando não conseguir correr através dos anos, trote. Quando não conseguir trotar, caminhe. Quando não conseguir caminhar, use uma bengala. Mas nunca se detenha.
– Se a lei permite o aborto e a eutanásia, não nos surpreende que promova a guerra.

-Jamais compreenderemos o valor de um simples sorriso.
– Penso que o mundo hoje está de cabeça para baixo sofre tanto porque há tão pouco amor no lar e na vida de família. Não temos tempo para nossos filhos, não temos tempo para o outro, não temos tempo para poder gozar do outro.
– Vejo a Deus em todo o ser humano. Quando lavo as feridas dos leprosos, sinto que estou tratando do próprio Senhor.Não é uma experiência linda?
-Por favor escolham o caminho da paz;em breve tempo pode haver vencedores e perdedores nesta guerra que todos tememos.Porém esta nunca pode, nunca justificará o sofrimento, a dor e a perda de vidas que vossas armas causarão. (Carta ao Presidente dos Estados Unidos, George Bush e ao Presidente do Iraq, Saddan Hussein, janeiro de l991.
-Nós sentimos que o que estamos fazendo é apenas uma gota de água no oceano; porem o oceano não seria tão cheio se não existisse esta gota.
-Se você julga as pessoas, não tem tempo para amá-las.
-Não estou completamente segura de como será o céu, porem sei que quando morrermos e chegar a hora de Deus nos julgar, ele não perguntará: Quantas coisas boas você fez na vida? Mas perguntará: Quanto amor pôs no que fez?
-Sentir-se não reconhecido, não amado, não protegido,esquecido por todos, penso que é uma fome maior, uma pobreza muito maior que a da pessoa sem ter o que comer.
-Toda a vez que você sorri para alguém, é um ato de amor, um presente para esta pessoa, uma coisa bonita.
-Sou um pequeno lápis na mão de Deus que escreve e vai enviar uma carta de amor ao mundo.
-Sei que Deus não me dará nada que eu não possa administrar. Somente desejo que ele não confie demais em mim.
-As palavras que não fazem resplandecer a luz de Cristo, aumentam a escuridão.
-Precisamos encontrar a Deus, mas ele não se encontra no ruído e na intranqüilidade.Deus é o amigo do silêncio. Olhe como a natureza, as árvores, as flores, a grama crescem em silêncio.Olhe para as estrelas,a lua, o sol, como se movem em silêncio.Necessitamos do silêncio para tocar as almas.
-No fim de nossas vidas, não seremos julgados por quantos diplomas recebemos , quanto dinheiro adquirimos ou quantas coisas grandes fizemos. Julgados seremos por: “Eu tive fome e me destes de comer; estava nu e me vestistes, não tinha casa e me abrigastes.”

Prof.LIMA, Antonio Lima dos Santos, é doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, autor de vários livros, inclusive FILOSOFANDO COM O MESTRE, ED.VOZES, tradutor e colunista. AGRADECEMOS A DIVULGAÇÃO DA MENSAGEM. [email protected]


Enviada por Dom Mauro