Girando




Busca por Data
abril 2011
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

O QUE OCORREU DE FATO NO BRASIL DURANTE O REGIME MILITAR

Um canal de televisão está transmitindo uma novela sobre o Regime Militar que governou o Brasil nas décadas de 60 a 80, onde claramente as Forças Armadas estão sendo tratadas unicamente de criminosos. Muitos amigos e eu vivemos esta época, e sabemos que não foi bem assim. Vejamos o desenrolar da história:

Em 1960, Jânio Quadros foi eleito Presidente do Brasil pelo Partido UDN – União Democrática Brasileira, com João Goulart como seu Vice-Presidente. Com sete meses de gestão, e após desagradar politicamente interno e externamente, o governo se depara com uma forte crise financeira que ocasionou o crescimento da dívida externa. Decorrente disto, por ações de aproximação com países socialistas (condecorou até Che Guevara ???), jânio continua desagradando, inclusive aos Estados Unidos da América, e então, se utilizando mais uma vez de seu perfil teatral, renuncia em 25 de agosto de 1961 pensando que o povo Brasileiro não permitiria seu afastamento (puro engano), bem como os conservadores não permitiriam a posse de João Goulart, declaradamente da esquerda. Jango estava ausente do País em visita à China Comunista e, após a Nação não suportar mais a completa desordem e anarquia no campo administrativo e financeiro, criando então uma crise política, social e militar, assumiu o Presidente da Câmara de Deputados e uma Junta Militar tendo à frente o General Costa e Silva, Brigadeiro Correia de Melo, e Vice-Almirante Rademaker, onde através do Ato Institucional Número 1, assume como Presidente o General Humberto de Alencar Castelo Branco, que inicialmente rompe relações diplomáticas com Cuba e passa a endurecer com as manifestações contra o Governo pelos sindicatos, estudantes, políticos e alguns ditos intelectuais declarados comunistas. A partir disto o Governo Militar de Castelo Branco e dos demais Generais passa a combater o comunismo no Brasil, entendendo que se o mesmo se fortalecesse seria perigoso para a Nação.

A partir de Geisel inicia-se uma abertura política lenta, gradual e segura, que diga-se de passagem, já era intensão desde o Governo de Castelo Branco, mas que não pôde executar decorrente das manifestações que aconteceram e que foram reprimidas pelas Fôrças Militares, para preservar a ordem pública. Diante dos fatos, não resta dúvida que ocorreram excessos, como em todo conflito de ordem militar, principalmente pelo fato da tentativa de manifestações e ataques extremistas da esquerda. Mas, diante do que vivemos naquela época, podemos afirmar que, os Militares fizeram uma revolução industrial tão grande e benéfica neste país, que de um 45o lugar no PIB Internacional, entregaram o Brasil 21 anos depois em 10o lugar. Durante este período, restabeleceram a autoridade que faltava no país, aumento da produção da Petrobras de 75.000 barris/dia para 750.000 barris/dia, criação da Eletrobras, Embratel, Telebras, Nuclebras, formação das 200 milhas marítimas ocasionando com isto aumento do Território Nacional e das reservas biológicas e petrolíferas, desenvolvimento das indústrias aeronáutica e naval transformando o Brasil em 1971 no 2o maior construtor de navios do mundo, construção das maiores hidrelétricas do mundo (Tucuruí. Ilha Solteira, Jupia e Itaipú), aumento da malha rodoviária asfaltada de 3.000 para 45.000 km, criação do INPS (hoje INSS), IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM, FUNRURAL, FGTS, PIS, PASEP, EMBRAPA, INFRAERO, IBDF, SFH, BNH, SUDAN, MOBRAL, Projeto RONDON, Banco Central, criação dos Pólos Petroquímicos de Cubatão-SP e Camaçari-BA, ampliação da rede ferroviária de 3.000 para 11.000 km, construção da Ferrovia do Aço, construção da Ponte Rio-Niteroi e da Rodovia Rio-Santos, construção de 4 milhões de moradias, implantação da Zona Franca de Manaus, início da Reforma Agrária com a promulgação do estatuto da terra, incremento da exploração petrolífera através da criação da Bacia de Campos, construção de 4 portos e reforma de outros 20, regulamentação do 13o salário, e etc, etc, etc…, e o melhor de tudo, não permitiram a criação de uma F.A.R.C. no Brasil.

Por que então o País em muito se desenvolveu durante a administração pelos Militares ?
Primeiro porque durante sua formação o Soldado é educado para servir, e ser chefe é cumprir a missão que lhe foi atribuída – está no Manual de Campanha do Exército. A educação do Oficial do Exército tem como princípios a coesão, disciplina, respeito à hierarquia, desambição, preparo físico e intelectual, bem diferente da classe política tradicional que conduz o poder político, não generalizando, é claro – há excessões.

Por tudo isto, foi importantíssimo para o Brasil o período governado pelos Militares, porque senão, o que seríamos hoje ? Uma outra Cuba ?
Quando Jânio foi eleito, o povo Brasileiro se encheu de esperança, mas se decepcionou rapidamente, pois percebeu que o que ele queria mesmo era ter poder, e foi ele sem dúvidas, o responsável pela instauração do Regime Militar.

Portanto senhores, ao invés de só criticar e denegrir as nossas Fôrças Armadas, que combateram o anarquismo, terrorismo e sequestros, vamos conhecer melhor esta etapa da história Brasileira, e ver que a população não suportava mais dirigentes com intenções de transformar este País em uma nação comunista, e queria portanto, a intervenção Miltar para o restabelecimento da ordem. Nos tempos de hoje pudemos ver os resultados comunistas em países como a antiga União Soviética, China Comunista, Cuba e outros – só entraram em decadência.

A causa principal do prolongamento do regime militar foi sem dúvida pela necessidade de enfrentar a subversão e a luta armada intensificada principalmente em 1968 por organizações comuno-terroristas, e que por isto, se fez necessário o uso da força, para que se pudesse então restabelecer a democracia, que como disse no início, era meta desde o Gen. Castelo Branco (1964) e que culminou com o Gen. Figueiredo.

Só para comparação:
Depois que os Militares entregaram a gestão do Brasil aos civis, observaram que, pela ausencia de intervenções de ações de choque o banditismo tomou conta do País? Agora, parece que estão acordando um pouco tarde, mas quando se resolve intervir de forma enérgica e com o apoio das Forças Armadas, o resultado positivo aparece ! Infelizmente, agora como no regime militar passado, quando se utiliza força militar parte da população sofre o reflexo desta força empregada, mesmo de forma amarga. São consequencias de guerra!


Téc.Indl. EDUARDO GRISI
Consultoria Técnico Industrial
Engenharia Eletromecânica
Tecnologia em Segurança no Trabalho
(75) 9144-2170
eduardogrisi@hotmail.com eduardogrisi@ig.com.br
eduardogrisi@bol.com.br


| Postado em Espaço do Leitor
| | 4.758 visualizações

6 Responses to “O QUE OCORREU DE FATO NO BRASIL DURANTE O REGIME MILITAR”

  • Degas says:

    É verdade que houve muitas conquistas ns governos militares. A Petrobrás se fortaceleu, criou-se a Eletrobras, Embratel, Telebras, Nuclebras, etc. Além do INPS (hoje INSS), IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM, FUNRURAL, FGTS, PIS, PASEP, EMBRAPA, INFRAERO, IBDF, SFH, BNH, SUDAN, MOBRAL, Projeto RONDON, Banco Central, criação dos Pólos Petroquímicos de Cubatão-SP e Camaçari-BA, ampliação da rede ferroviária de 3.000 para 11.000 km, construção da Ferrovia do Aço, construção da Ponte Rio-Niteroi e da Rodovia Rio-Santos, construção de 4 milhões de moradias, implantação da Zona Franca de Manaus.

    Houve uma grande expansão das universidades federais (embora alguns professores tenham sido aposentados ou misteriosamente desaparecido).

    Durante a crise do Petróleo nos anos 70, a decisão do governo Geisel foi investir em infra-estrutura. Com isso garantiu-se empregos aos brasileiros, ao mesmo tempo em que produzia-se bras que teriam utilidade estratégica no futuro.

    Mais ou menos da mesma forma que fez o Governo Lula na crise passada (só que o investimento foi no setor produtivo).

    Ambos viram a crise como uma oportunidade. Tstrategicamente estavam corretíssimos.

    Só que as semelhanças acabam aí. O governo Lula (e FHC, e Itamar, e Collor, e Sarney) eram democraticamente eleitos. Escolhidos pela população. E enfrentaram, no campo do debate das idéias, o precioso elemento do contraditório nas discussões: a oposição.

    No caso dos militares, infelizmente a escolha foi outra. Segundo o relato acima, o governo “passa a endurecer com as manifestações contra o Governo pelos sindicatos, estudantes, políticos e alguns ditos intelectuais declarados comunistas”

    A pergunta é: como ficam o direito de qualquer cidadão preferir esta ou qualquer outra ideologia? Não é democrático um indivíduo concluir que o comunismo, ou o capitalismo, ou o feudalismo é uma boa forma de governo? Não é por haverem discordantes que se constrói a Democracia? Como justificar esse “endurecimento”?

    E tem outra coisa: não é bem certo afirmar que a “abertura política lenta, gradual e segura, que diga-se de passagem, já era intensão desde o Governo de Castelo Branco, mas que não pôde executar decorrente das manifestações que aconteceram e que foram reprimidas pelas Fôrças Militares, para preservar a ordem pública. ” – Esta abertura não se pôde executar devido à entrada de generais como Médici, período em que a espionagem, a tortura e a expatriação de brasileiros se tornou constante. O governo mandava prender e mandava soltar, sem mandato judicial, sem acusação, sem provas. Tantos são os desaparecidos e os torturados que até hoje o Brasil paga indenizações às famílias das vítimas. O que justifica um governo ser tão intolerante com seus opositores? Porque não dialogar com todo mundo, comunistas e sindicalistas inclusive?

    Uma lição de anti-democracia.

    Degas.

  • Carol Oliveira says:

    Nunca vi um comentário tão nazi-facista como esse. Sao e foram criminosos pq perseguiram PESSOAS, SERES HUMANOS. torturaram, estupraram, violentaram, mutilazam, fuzilaram, mataram com acido, veneno, porrada… Um verdadeiro campo de concentração!
    Em hipótese alguma, as liberdades e principalmente a DIGNIDADE da pessoa podem ser suprimidas em nome de coisa alguma, e muito menos por justificativa de subversão.
    Ninguem estava protegendo a patria de ditadura de esquerda, do “comu-terrorismo”. Veja LULA, “comunista” para muitos e o melhor presidente eleito DEMOCRATICAMENTE PELO POVO que o Brasil ja teve.
    Quanto a Jango? Nunca o Brasil foi tão BRASIL. Ele fez muitas coisas, muito antes de ser presidente. Ainda como Ministro de Getúlio, foi dele o projeto de aumentar em mais de 100% o salario minimo, foi ele o relator do projeto do FGTS, enfim, muitos projetos do segundo goverdo de vargas foi de Joao Goulart. Como presidente, EM DOIS ANOS, instituiu as reformas de base, em pernanbuco, aprovou o CODIGO NACIOAL DO TRABALHO RURAL, concedendo salario minimo pro trabalhador do campo. Instituiu a lei (recepcionada pela CF de 1988) que diz que as emissoas de tv e etc, não podem ter donos estrangeiros. Era contra as privatizações dos recursos naturais brasileiros, como por ex. Vale, Petrobras. Aumentou o numero das verbas para as escolas e universidades publicas. Reformou a Escola de Direito em Pernanbuco.
    Enfim, como um presidente em tao pouco tempo e que fez tantas coisas boas poderia ser ruim? Esse discurso falido e nazista de “proteger a patria dos subversivos” é uma vergonha. E você deveria, como brasileiro, se envergonhar dessa história sangreta, fria e feia qe faz parte do nosso pais.
    As obras do governo militar, nao foram porque eles eram bons e queriam o desenvolvimento do pais. Foi uma NECESSIDADE para camuflar o que acontecia no Brasil e para sustentar a ditadura militar e os apoios de banqueiros internacionais (Leia-se EUA). Nunca uma politica de “Ame-o ou deixe” pode ser vista como heroica, patriota e nacionalista. Essas megas construçoes fizeram com que o pais fosse a miseria com a inflaçao, com a desvalorização do servidor publico e das empresas.
    A verdade, é que nenhum burgues queria o Brasil desenvolvido, a politica mundial dos EUA era fazer da america do sul seu quintal. E por muitos anos fomos quintal.
    Essa novela esta trazendo a verdade que a Globo (patrocinadora da ditadura) nunca teve descencia de mostrar. Recomendo a todos, para que possamos refrescar a memoria das vergonhas do passado e não esquecer que a liberdade é um direito FUNDAMENTAL.

  • Domingos D. Santos says:

    No início do seu texto você diz que Jânio continua desagradando a todos, inclusive aos Estados Unidos. Pergunto e não se pode desagradar os Estados Unidos? Teríamos/temos que ser subservientes e puxa sacos daquele País? Outra coisa que vc. não sabe, é que durante o regime militar, tivemos um grande retrocesso na educação. É verdade que tivemos grande obras, mas a dívida externa gerada até hoje o povo paga. Quem era doido de pedir para fiscalizar as contas públicas? Tinha licitação? Será que tinha superfaturamento, etc? Seria bom estudar mais sobre o regime militar. Atualmente, admiro as forças armadas e sei do importante papel que desempenha protegendo nosso país. Mas naquela época, se meteram onde não devia, gostaram do poder, ficaram além da conta e cometeram excessos e danos cujas consequencias até hoje sentimos.
    Domingos D. Santos

  • Nilson Pessoa says:

    É com imensa tristeza que leio eventualmente no R2CPRESS, textos de saudosistas do horrendo período da ditadura militar. Mas tudo bem, é a prova de que hoje vivemos numa democracia, onde as manifestações populares e individuais, por mais absurdas que sejam, são naturalmente consentidas. Muito diferente da época da Censura, do DOI-CODI, das torturas e dos assassinatos.

  • antonio jorge says:

    Vou iniciar a frase com uma negativa, não da para analisar, formar opinião sem ter conhecimento de causa, um fato real é que Tio Sam é, sempre foi, e sempre será o gerentão do mundo e nesse caso a depender da situação, mas pode ser bom ou pode ser ruim. Vamos procurar conhecer mais e melhor a historia, um ponto é que Jango estava contrariando os interesses comerciais de alguma familia americana, hoje quando um presidente viaja ele vai contactar novos mercados, o mercado americano já não é tão interessante para nós a bola da vez é a China lá sim é um grande
    mercado o dragão acordou, quem sobreviver verá.

  • Eduardo Grisi (Correinha) says:

    Quando tive a coragem de escrever este artigo, a intenção foi contar a versão da história baseada no que viví na época – menino, adolescente e adulto formado e trabalhando em empresas estratégicas de interesse da Nação – Telecomunicações, Petróleo e Engenharia Militar, onde minha opinião e de muitos contraria em parte o conteúdo da novela até agora apresentada, que se refere aos Militares taxando-os todos de criminosos sanguinários. Diante disto, já esperava comentários com opiniões democráticas divergindo da minha, como foram algumas, mas não ofensivas a minha pessoa, como outras, que prefiro não comentar.
    Não sou Nazi-Facista, ao contrário, sou favorável ao combate ferrenho a este tipo de classe. Sou um Cidadão de pensamento e comportamento democráta, cumpridor dos meus deveres à Nação, e que muito me orgulho das Forças Armadas do Brasil, donde sou Reservista do Exército Brasileiro, ao qual estarei sempre pronto a serví-lo quando chamado, dentro da Lei e da Constituição.
    Não me envergonho de dizer que sou a favor de proteger a Pátria de pessoas e/ou grupos que promovam a desordem, a anarquia, o terrorismo, seja lá que adjetivo fôr. Me envergonharia sim, de ter que proteger estas pessoas, contrariando os meus princípios ideológicos e que estão contidos em nossa Bandeira – Ordem e Progresso.
    Falando de Educação daquela época, não tínhamos um grande número de Universidades e Faculdades como temos hoje, mas tínhamos qualidade de ensino, e não só vendas de diplomas como ocorre atualmente em muito do ensino superior, além de que as Escolas Técnicas foram amplamente fortalecidas pela necessidade decorrente do crescimento econômico industrial.
    Portanto, para conhecimento de outrém, no Regime de Governo Militar formei-me como Técnico Industrial, Tecnólogo e Engenheiro.
    Quanto à necessidade que o Brasil daquela época dependia dos Estados Unidos, não era privilégio só nosso. Deixemos a hipocrisia de lado ! Como País em desenvolvimento tínhamos mesmo que puxar o saco dos Americanos, pois dependíamos de sua parceria econômica. Hoje entretanto, com diversas alterações políticas ocorridas no mundo, o Brasil conseguiu novas parcerias internacionais como a China recentemente, principalmente depois que este País Comunista vem se abrindo ao mundo democrata paulatinamente.
    Portanto, democracia é isto – diversas opiniões sendo dadas dentro de um respeito mútuo, e não atacando e ofedendo pessoas só pelo fato de achar que determinadas ações que tendem a escapar do controle da diplomacia e da autoridade, tem que ser tratadas pelo uso da força tarefa, como também considero que crimes de ordem política, social ou de que categoria fôr cometidos por abuso de poder, tem que ser investigados, juntado provas, julgados e condenados pela Justiça.

Deixe seu comentário