Clique para AMPLIAR.

O diretor-presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães, esteve nesta terça-feira (17) na Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo da Bahia, para apresentar os projetos de expansão do fornecimento de gás natural no Estado. Em audiência coordenada pela deputada estadual Ângela Sousa (PSC), Magalhães informou que o próximo passo da empresa é levar o gás natural às regiões oeste e sudoeste, onde o combustível poderá atender aos empreendimentos nas áreas da agroindústria e da mineração.

Atualmente, 93% das vendas da Bahiagás são direcionados ao setor industrial, o que significa uma das maiores médias do Brasil.

O gás natural, segundo Magalhães, corresponde hoje a 23,5% da matriz energética das indústrias baianas. Para ampliar essa presença e atender também clientes residenciais, além de viabilizar a ampliação do fornecimento do Gás Natural Veicular, a Bahiagás investiu R$ 80 milhões em projetos de expansão nos últimos anos.

“Nosso objetivo é tornar cada vez mais o gás natural um instrumento capaz de contribuir com o desenvolvimento econômico da Bahia”, afirmou o diretor-presidente. Ele lembrou ainda que o faturamento da Bahiagás duplicou nos últimos quatro anos, passando dos R$ 635 milhões em 2006 para R$ 1,25 bilhão no ano passado. No mesmo período, o lucro líquido da empresa saltou de R$ 51 milhões para R$ 141 milhões.

Além de Davidson Magalhães, a audiência na Comissão de Infraestrutura também contou com a presença do geólogo João Batista, da área de exploração de gás natural da Petrobras. Ele explanou sobre empreendimentos da companhia petrolífera, como a expansão do projeto de gás natural no campo de Manati, em Camamu. Batista enfatizou que ações como essa darão suporte à ampliação da presença do gás natural na economia baiana.

Juntamente com Ângela Sousa, participaram da sessão os deputados Cláudia Oliveira (PTdoB), Ivana Bastos (PMDB), Augusto Castro (PSDB), Maria Del Carmen (PT), José Raimundo (PT), Álvaro Gomes (PCdoB), Kelly Magalhães (PCdoB) e Cacá Leão (PP).