Devido à forte emoção em que estou envolvido, assistindo e vendo tanta coisa acontecendo na cidade e às vezes nada podendo fazer, a não ser me vingar escrevendo algumas letrinhas no site R2CPRESS, cismei com as notícias distribuídas pela assessoria de imprensa da prefeitura.
A maioria das notícias divulgadas era checada e não correspondia ao que era publicado, daí minha indignação.
Num dos comentários postado no site, recebi uma advertência do meu amigo e editor Sr. Roberto Rabat Chame, explicando-me qual o real papel da assessoria de imprensa da prefeitura.
Como sou disciplinado e obediente aos mais velhos, principalmente por se tratar de um jornalista com uma extensa carreira de sucesso, competência e credibilidade, entendi perfeitamente o recado e vi que não estava agindo da maneira correta.
Por isso, me acho no direito e dever de pedir desculpas ao pessoal da assessoria de imprensa da prefeitura e, doravante, serei super cuidadoso quando tratar do problema.
Portanto, espero com essa atitude me redimir da falta cometida.
Assunto passado, também me acho no direito de continuar como cidadão e exercendo a minha cidadania, emitir comentários sobre o dia a dia da cidade.
Mesmo aceitando que o pessoal da AI recebe informações das demais secretarias, acho que seria de bom alvitre que algumas dessas informações fossem checadas pelos jornalistas, pois assim o fazendo preservaria o seu trabalho profissional, como também a imagem do gestor público principal, que anda ribanceira abaixo.
O pessoal da AI anda de carro pelas ruas, usa transporte coletivo, passa pelos inúmeros pontos de lixo, tem filhos em escola, mete o pé na lama e nos buracos, enfrenta os problemas do trânsito, enfim, passa por tudo que o cidadão comum passa.
Daí porque acho que esse pessoal deveria ter o cuidado de examinar a sua função exercida na prefeitura e analisasse o lado do povo, da população, do povão, pois os problemas são de todos e todas que vivem em nossa cidade.
Se todos os servidores públicos da prefeitura olhassem com olhos de cidadão o que se passa ao seu redor, com certeza algo poderia acontecer de bom para a cidade, nada como sentir na própria pele a dor do desprezo, dos maus tratos, da indiferença, da falta de compromisso, da falta de seriedade com as coisas e recursos públicos.
ZÉCARLOS JUNIOR