Transporte dos corpos foi feito em helicóptero da FAB (Foto: Joa Souza | Agência A TARDE)

Transporte dos corpos foi feito em helicóptero da FAB (Foto: Joa Souza | Agência A TARDE)

Foram levados de Porto Seguro, a 709 km de Salvador, para o Rio de Janeiro (RJ), na tarde desta terça-feira, 21, os corpos do piloto Marcelo Mattoso de Almeida e da empresária Jordana Kfouri Kavendisch, vítimas da queda do helicóptero de prefixo PR-OMO, que caiu na noite de sexta-feira, em Trancoso, a 15 km de Porto Seguro.

Sete pessoas – duas delas crianças – estavam na aeronave e todas morreram. Os corpos de Marcelo e Jordana, encontrados entre a noite desta segunda e a manhã desta terça, eram os únicos que faltavam ser resgatados.

Segundo informou o advogado Loredano Aleixo Júnior, que representa as famílias na região, os corpos serão cremados no Crematório Santa Casa de Misericórdia, no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro.

A cremação está prevista para ocorrer ainda nesta terça, informou o advogado. Os corpos foram levados para o Rio de Janeiro num helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB), que saiu de Porto Seguro por volta das 14h30. Com o fim das buscas pelos corpos, resta apenas o resgate da cabine do helicóptero, informou o coronel do Corpo de Bombeiros, José Braga Neto.

Remoção – Segundo declarou o coronel, o resgate da cabine não tem previsão de ocorrer, pois é preciso reunir representantes do fabricante do helicóptero e do Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 2), com sede em Recife (PE), responsáveis pelas investigações do acidente.

A cabine está a uma distância de cerca de 250 metros da praia. Vários destroços foram resgatados e estão em uma fazenda em Trancoso para serem periciados. Navios e barcos de salvamento foram retirados do local do acidente na tarde desta terça-feira.


No A TARDE ON LINE