Reafirmar a beleza, a diversidade e a importância da história de Ilhéus por meio de uma simbologia capaz de representar algumas das principais qualidades ligadas ao seu imenso potencial cultural, histórico e turístico. Esta é uma das propostas do concurso público que a Fundação Universidade Livre do Mar e da Mata (Fundação Maramata), instituição sediada no bairro Nova Brasília, está promovendo. O certame, que receberá propostas até o dia 31 de outubro, vai selecionar a “Boneca Morena de Ilhéus”, produto que passará a ser um dos símbolos do município.

De acordo com o regulamento, que anuncia o resultado final para o dia 15 de dezembro, o primeiro colocado receberá um prêmio de 5 mil reais. Ainda segundo as regras anunciadas, o julgamento das propostas será realizado por uma comissão previamente instituída e levará em consideração critérios diversos, como criatividade, originalidade, aplicabilidade e relação com a história do município.

Antônio Olímpio, diretor-presidente da Fundação Universidade Livre do Mar e da Mata (Maramata), reitera que o trabalho vencedor será utilizado, por tempo indefinido, em materiais variados, a exemplo de cartazes, mídias digitais e impressos em geral. “Com esta iniciativa, poderemos estimular, por exemplo, uma ampla reflexão sobre as inúmeras contribuições de Ilhéus para o desenvolvimento geral do Estado da Bahia”, comenta Olímpio, acrescentando que os projetos que não estiverem de acordo com as regras do edital serão desconsiderados.

O regulamento divulgado pela Fundação Maramata determina também que a criação da logomarca deverá observar diversos parâmetros. Entre eles, a beleza da mulher ilheense, a hospitalidade da população e a representatividade do cacau na economia baiana. Outro aspecto que deve ser levado em consideração, durante a criação da Boneca Símbolo de Ilhéus, é a descaracterização etno-social, visando à propagação de uma mensagem de repúdio a todo e a qualquer preconceito.

Impedimentos – Aberto ao público em geral, o concurso possibilita o recebimento de uma única proposta por concorrente. Não poderão participar do certame os membros da Comissão Julgadora, bem como os parentes até o 2º grau dos integrantes da Comissão, da Fundação Maramata e da Administração Municipal.

O regulamento determina que as propostas deverão ser apresentadas por meio eletrônico, na forma impressa e em modelo com 30 centímetros de altura. O arquivo em meio eletrônico, prossegue o regulamento, deverá estar em formato compatível para que o acesso seja feito em programas abertos ou comumente utilizados para computação gráfica. A proposta em meio impresso deverá ter o original apresentado em tamanho mínimo de 210 x 297 milímetros (formato A4) visando o oferecimento das condições adequadas e necessárias para uma perfeita reprodução gráfica.

O regulamento do concurso enfatiza ainda que o envio da proposta implicará na aceitação plena das condições estabelecidas. Além disso, só poderão participar propostas originais e inéditas, produzidas em qualquer técnica, sem limitação de uso de recursos gráficos e técnicas de escultura. Por outro lado, prossegue, a proposta da boneca símbolo não deverá trazer qualquer marcação de identificação do participante em nenhuma das peças apresentadas (CDS, arquivo digital, modelo e material impresso). No ato de conferência da caixa, deverá ser criado um código único para cada proposta que será anotado no envelope, na folha com os dados do participante e no Termo de Cessão de Direitos de Uso em cada peça.

Julgamento – A Comissão Julgadora será integrada por seis membros: um representante da Universidade Livre do Mar e da Mata; um da Fundação Cultural (Fundaci), um da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), um da secretaria municipal de Educação, um da Direc e um da Procuradoria Geral do Município.

A Comissão Julgadora selecionará as propostas conforme os seguintes critérios: criatividade (inovação conceitual e técnica), 100 pontos; originalidade (desvinculação de outras marcas existentes), 70 pontos; comunicação (concisão e universalidade), 80 pontos; aplicabilidade (diferentes aplicações em modelos digitais e impressos), 80 pontos; e, finalmente, relação com o conceito, tema e objetivo geral, 100 pontos.

Premiação – O resultado do concurso será anunciado no dia 15 de dezembro na página www.ilheus.ba.gov.br e nos murais da Fundação Universidade Livre do Mar e da Mata, do Palácio Paranaguá, do Anexo de Secretarias e da Câmara de Ilhéus. Será premiado somente o primeiro colocado, que receberá o valor de cinco mil reais.

O trabalho inscrito no concurso e classificado em primeiro lugar será licenciado em favor da Fundação Universidade Livre do Mar e da Mata, realidade que permitirá a sua livre utilização e modificação. Em virtude disso, o autor do trabalho selecionado concordará em realizar a cessão de seus direitos dentro das condições estipuladas pelo regulamento e da assinatura do Termo de Cessão de Direitos de Uso. Além disso, ainda segundo o regulamento, a decisão da comissão será soberana e de caráter irrevogável, não cabendo quaisquer recursos por parte do participante.

A Fundação Universidade Livre do Mar e da Mata tem o objetivo de promover a educação e a consciência ambientais. Para isso, desenvolve uma série de ações e projetos, muitos deles executados com alunos da rede pública de ensino, participantes do ProJovem e comunidade que vive no entorno da instituição. Dentre as inúmeras atividades realizadas, destacam-se os vários cursos de educação ambiental. A iniciativa tem a proposta central de oferecer conhecimentos básicos, com ênfase na prática do trabalho de campo, visando à participação dos estudantes nas transformações sociais, políticas e econômicas da comunidade escolar.