WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa secom bahia


setembro 2011
D S T Q Q S S
« ago   out »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  






:: set/2011

DESABAVO DE UMA VELHA SENHORA AMBIENTALISTA / NOSSO TEMP ERA ASSIM!!!

Sensacional! Estou enviando não só para os meus amigos(as) cinqüentões, mas principalmente para meus filhos , sobrinhos, netos desta geração. 

DESABAFO

Na fila do supermercado, o caixa diz uma senhora idosa:
– A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis ao meio ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse:
– Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu:
– Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com  nosso meio ambiente.
– Você está certo – responde a velha senhora – nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.
Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o meio ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plastico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar. Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos ‘descartáveis’ e poluentes só porque a lámina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só  uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Então, não é risível que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?
(Agora que voce já leu o desabafo, envie para os seus amigos que têm mais de 50 anos de idade… E não reclama! Eu também recebí….. hahaha)

placa de sinalização do limite entre os municipios de Ilhéus e Itabuna

De: Sidcley
Assunto: placa de sinalização do limite entre os municipios de Ilhéus e Itabuna

Corpo da mensagem:
O povo de Ilhéus quer saber aonde foi parar a placa de sinalização do limite entre os municipio de Ilhéus e Itabuna.


Esta mensagem foi enviada através do formulário de contato do site R2CPRESS | A Letra Fria da Verdade http://www.r2cpress.com.br/v1

PEDIDO PARA SETOR DE ILUMINAÇÃO

De: J.B. DE ILHÉUS
Assunto: PEDIDO PARA SETOR DE ILUMINAÇÃO

Corpo da mensagem:
GOSTARIA DE PEDIR AO SETOR DE ILUMINAÇÃO DA PREFEITURA, SE POSSIVEL, QUE TROCASSE 02(DUAS) LAMPADAS QUE ESTÃO QUEIMADAS NA AVENIDA ITABUNA, NAS IMEDIAÇÕES DA ANTIGA MAX COISAS, POIS TEM UM BECO AO LADO E FICA MUITO PERIGOSO A NOITE PARA OS MORADORES DO ALTO DA TAPERA SUBIREM. AGRADEÇO PELA ATENÇÃO.


Esta mensagem foi enviada através do formulário de contato do site R2CPRESS | A Letra Fria da Verdade http://www.r2cpress.com.br/v1

UTILIDADE PÚBLICA – À PROCURA DE Da. OLGA FERREIRA

Publicado inicialmente no Blog O SARRAFO e repercutido em quase toda a blogosfera regional, tomamos conhecimento do pungente depoimento/pedido assinado por Da. Olga Ferreira, que pode ser encontrado neste endereço: http://www.osarrafo.com.br/v1/2011/09/19/espaco-do-leitor-desabafo-de-uma-mae/#comments .

No seu texto, Da. Olga escreve sobre as agruras da sua família e faz uma contundente crítica à Santa Igreja Católica e especialmente ao nosso Bispo Dom Mauro Montagnoli, acusando-o de ser contra o Projeto Porto Sul.

Da. Olga que freqüenta, ou como ela diz, freqüentou, durante muito tempo a Igreja São José, da Avenida Itabuna (SIC), até a morte de Padre Getúlio, sendo portanto uma pessoa da cidade, mostra um profundo conhecimento do Assentamento Bom Gosto, dizendo ter participado ali de trabalhos sociais. Chega a afirmar de forma categórica e numa linguagem até sociológica, que lá naquele assentamento “existem áreas de 1 hectare onde 16 famílias tentam sobreviver, num verdadeiro processo de favelização rural. Muitos sequer vivem da terra, apenas moram nela e buscam seu sustento como trabalhadores informais em Ilhéus” .

Após atenta leitura do texto de Da. Olga, muito me surpreendeu o fato dela utilizar a maior parte do seu escrito para fazer contundentes e infundadas críticas a Dom Mauro e à Igreja Católica, sem que sequer informe um e-mail ou telefone para que algum empresário que queira oferecer emprego aos seus filhos entre em contato.

Mas, de qualquer forma, como cristão, eu me proponho a ajudar Da. Olga.

Tenho uma empresa que presta consultoria e assessoria a organizações da nossa região, a CONSULTIC – http://ilheusconsultic.wordpress.com/ , e me proponho a tentar conseguir colocação para seus filhos, desde que ela envie os currículos deles para o meu e-mail: [email protected].

Fico aqui aguardando os currículos, Da. Olga, e mesmo que a Senhora não esteja satisfeita com a atuação da Igreja Católica Apostólica Romana, não deixe de freqüentar alguma igreja, mesmo de outra confissão religiosa, pois a palavra de Deus é para nós o maior alimento.

 

Carlos da Silva Mascarenhas

Roberto: Notícia para seu site

Olá Rabat!

Veja a notícia publicada na revista Quem!

Juliana Paes pode ser a nova “Gabriela”

Link: http://revistaquem.globo.com/Revista/Quem/0,,EMI266439-9531,00-JULIANA+PAES+PODE+SER+A+NOVA+GABRIELA.html

Por favor, dê os créditos da notícia para a revista.

Muito obrigado,

Roberto

MAÇONARIA / MUDANÇA DE DATA

A Loja Maçônica Ecologia e Fraternidade Itacareense que estaria promovendo uma feijoada no dia 25, alterou a data para o dia 02.08.2011.
O Local será o mesmo: Clube Pirajá
Horário: A partir do meio dia.
Data: 02.08.2011
Cidade: ITACARÉ.

Os primeiros ‘feijoeiros’ serão brindados com uma bela camisa do Bloco do Bode, entidade carnavalesca da Loja.
Durante a feijoada vários brindes serão sorteados. Acontecerá, também, um bingo com prêmios diversos.


J.O.

“Vaquinha …”… AGORA VAI !!!!!!!!

Observe, nas fotos abaixo, principalmene nas duas primeiras, que a valeta que corta a Sá Oliveira está praticamente concluída.
Toda essa “tapação”, sem muita estética, – evidentemente – foi fruto de uma ação por parte dos comerciantes da Sá Oliveira que preocupados com a integridade física dos transeuntes taparam o valetão.
Para que a prefeitura não fique muito chateada, os voluntários deixaram esse pedacinho pra que ela (a pmi) conclua com pedaços ou cacos de meio fio e o melhor: FAÇA A INAUGURAÇÃO dos caquinhos tapadores, juntados com o que já foi feito pelos comerciantes e receba os aplausos de reconhecimento.
Com isso, sabendo dessa possibilidade, o pessoal já sentenciou:

AGORA VAI !!!!!

Clique para AMPLIAR.


Clique para AMPLIAR.


Clique para AMPLIAR.


Clique para AMPLIAR.


J.O.

Maria Regina Canhos Vicentin em: Mudamos se desejamos

Outro dia, caminhava em direção ao trabalho quando vi de relance alguém que havia coordenado um grupo do qual fiz parte na minha puberdade. Pessoa distinta que pregava a Palavra de forma bonita, mas que com o passar dos anos foi se afastando da Igreja. Também, na mesma semana, ouvi relatos sobre alguém que admirei na juventude, e que mudou completamente de comportamento ao longo da vida, assumindo atitudes diversas daquelas que me inspiraram fascínio e respeito. Tomei conhecimento ainda de alguns fatos praticados por pessoas que tinha em alto conceito, e que me decepcionaram, embora não tenham feito, diga-se de passagem, nada de errado ou grave.

Percebi, assim, que quanto maior a expectativa que temos das pessoas, mais fácil fica nos frustrarmos diante das constatações que a vida traz. Num primeiro momento, tendemos a descrer do ser humano, pois muito esperávamos. Um pouco de reflexão, no entanto, mostra como somos frágeis e vulneráveis em nossas decisões, opções de vida, escolhas. Tantas possibilidades à nossa volta nos levam à indecisão, principalmente se desejamos experimentar tudo ou optar pelo que aparenta ser mais vantajoso. Estou para afirmar que o “melhor” não existe. Ao menos, não na concepção que temos de melhor, pois o “meu melhor” pode diferir do “seu melhor”. As decepções serão muitas, já que somos imperfeitos e falíveis. É inevitável.

:: LEIA MAIS »

VEREADORES COBRAM SUSPENSÃO DOS “PARDAIS” EM ILHÉUS

Vereador Edvaldo Nascimento (Dinho Gás)

O presidente da Câmara Municipal de Ilhéus encaminhou ofício ao prefeito em exercício (interino) Mário Alexandre, indicando a suspensão do funcionamento e, das multas emitidas pelos radares eletrônicos da cidade.
Edvaldo Nascimento (Dinho Gás), afirmou que seguiu o posicionamento dos vereadores, que tem sido contrario as cobranças de multas emitidas pelos quatro “pardais”, instalados em locais de muito movimento e sem a devida sinalização em Ilhéus.
O assunto já vinha sendo discutido pelos vereadores desde a semana passada e foi tema do discurso feito na ultima quarta-feira 14, pelo vereador Alcides Kruschewsky, que classificou as multas como indevidas.
Outro vereador, Tarcísio Paixão ressaltou que além da sinalização é preciso que seja feita uma campanha educativa de 60 a 90 dias para que a população ilheense se conscientize sobre como agir nas imediações dos pardais.
Dinho Gás salienta que outro fator foi determinante para que a Câmara tomasse essa posição e diz respeito às várias queixas que tem chegado diariamente à vereança, “todos os dias nós recebemos queixas de motoristas, taxistas, empresários e até de gente de fora da cidade, todos cobrando uma providência”, finaliza.
Segundo o presidente da Câmara de Ilhéus, já existe o entendimento de que documento encaminhado pelo Poder Legislativo solicitando a suspensão dos “pardais” deverá ser acatado pelo município e nas próximas horas um Decreto Municipal será baixado com essa finalidade.


AI/VER.

OPUS DEI

BOLETIM 21 de setembro de 2011 

Bento XVI fala aos casais de namorados durante Congresso Eucarístico. Editorial sobre a importância de educar a afetividade. Prelado fala ao Zenit sobre a confissão. Texto doutrinal sobre a sociabilidade humana.
DO PRELADO

O Prelado fala – em sua carta – de Abraão, pai na fé, destacando a sua fidelidade, o seu trato e a sua amizade com Deus e a sua preocupação com os outros. [+]

O Prelado do Opus respondeu a 3 perguntas feitas pela agência de notícias Zenit. D. Javier Echevarría vê na luz verde do confessionário um mão estendida rumo à conversão. [+]

NOTÍCIAS

“O verdadeiro amor promete o infinito!”, disse Bento XVI em uma mensagem dirigida àqueles, junto com outra pessoa, buscam colocar as bases para viver um amor definitivo. [+]

CULTIVAR A FÉ

Para a pessoa humana a vida social não é algo acessório, mas deriva da sociabilidade: a pessoa somente cresce e realiza sua vocação em união com os demais. [+]

Os afetos são imprescindíveis para uma vida plena. Mas é necessário educá-los para que contribuam realmente para a felicidade da pessoa. Um novo texto sobre a família e a educação. [+]

Descaso na Cultura

A cultura é como a atmosfera. Não se vê, nem se pega, mas precisamos dela para sobreviver. Cultura é uma rede de significados que dão sentido ao mundo. A religião, a culinária, o vestuário, o mobiliário, as formas de habitação, os hábitos à mesa, as cerimônias, o modo de relacionar-se com os mais velhos e os mais jovens, com os animais e com a terra, os utensílios, as técnicas, as instituições sociais (como a família) e políticas (como o Estado), os costumes diante da morte, a guerra, o trabalho, as ciências, a Filosofia, as artes, os jogos, as festas, os tribunais, as relações amorosas, as diferenças sexuais e étnicas, tudo isso constitui a Cultura como invenção da relação dos seres humanos com o Outro.  E o Outro é a natureza.

Um povo sem cultura é frágil, nem sequer sabe defender o espaço em que sobrevive, já que não percebe  de onde veio e para onde vai. Vive à deriva. Ou como gado humano. Como estabelece a Constituição Federal, a cultura é um direito fundamental, importante vetor de desenvolvimento econômico, valioso exercício de cidadania para a inclusão social. É caminho que salva vidas, retira as pessoas das zonas do risco, tornando digna nossa existência em convívio com os outros.

Cultura é tudo que o homem simboliza diante da vida.  Tudo que o ser humano inventa para humanizar  a natureza é cultura. Os imediatistas não pensam a vida dessa maneira  porque só a concebem através da produção dos meios materiais. Cultura para esses não é base do equilíbrio social, meio para combater a pobreza. Não é essencial. Confundem-na com  pura distração, curtição, futilidade, ornamento. Desperdício. Para eles, a vida é produção e troca de valores materiais,  empreendimento e lucro. Isso basta, é tudo.

:: LEIA MAIS »

Foto de Acidente com F1! ! ! ! !

SIMPLESMENTE IMPRESSIONANTE! ! ! !

Não é bonito de ver,  mas vale pela lição , afinal, pode acontecer com  qualquer um de nós….
Esta imagem retrata um acidente de F1 que ocorreu há um tempo. Não se aconselha a visualização por pessoas facilmente impressionáveis. 

:: LEIA MAIS »





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia