O NEGÃO E O PAPA

O Papa chegou ao Brasil em missão não oficial.
O Negão, o melhor motorista da Sé, o aguardava no aeroporto.
O Papa tinha um compromisso e estava atrasado, mas o Negão não passava dos 80 Km/h nem a pau!
Impaciente, Sua Santidade pedia:
– Negón, piú veloce, per favore.
– Santidade, não posso. Dá multa, dá pontos na minha carteira, e desmoraliza a Sé!
E continuava nos 80 km/h. O Papa, desesperado, disse então:
– Negón, passe aqui, per favore. Dammi l’auto.
O Negão foi no banco de trás e o próprio Papa foi dirigindo a limusine, agora a 150 km/h.
Lá na frente, um policial rodoviário os interceptou.
Quando viu quem era, resolveu passar um rádio pro chefe, sussurrando discretamente:
– Chefe, peguei um cara importante voando na Dutra, e não sei o que fazer!
– Quem é… Um deputado? – Perguntou o chefe.
– Não chefe, é mais importante.
– É um senador?
– Não chefe, é mais importante ainda.
– Então, é um governador de estado?!?
Um juíz do supremo tribunal?!?
– Que nada chefe, é mais importante ainda…
– O presidente?!?!?
– É mais importante que a Dilma, chefe…
– Puta que pariu, então é o Papa!
– Que nada chefe, o Papa é apenas o motorista dele, acho que é São Benedito!…