AO BLOG R2CPRESS

Sábado passado, nós do Colégio Fênix/Objetivo, realizamos uma festa da Primavera para os alunos do Colégio e convidados, também estudantes.

O ambiente festivo foi o mais sadio possível. A mocidade dançou e cantou ao som da banda. O evento aconteceu no pátio da Escola. Vários seguranças foram contratados e todos os funcionários do Fênix faziam a ronda constante no salão festivo. A Direção, no primeiro andar, acompanhava todo o desenvolver dos acontecimentos. Não houve qualquer incidente que ultrapassasse as raias do que se chama civilizado.

Fiquei chocado com a nota publicada nesse blog “Colégio Fênix Festa Marginalizada”. O autor dessa mensagem deixou se levar pelo ódio, inveja ou coisa semelhante do Colégio e foi um acontecimento de rua.Todos os funcionários ou responsáveis pela Escola estavam em seus postos até o final da festa inclusive eu, que sou o Diretor Geral, fui o último a deixar o colégio. Qual a intenção do autor, Rodrigo publicando esta nota?

É tempo de deixarmos de lado essas intrigas e pensarmos em coisas sérias a respeito da Educação. A festa da Primavera fez parte do Projeto Pedagógico da Escola. Esse elemento que escreveu essas asneiras em nenhum momento me procurou. Seria recebido por mim com toda a galhardia como faço com todos aqueles que me procuram no Colégio Fênix ou qualquer órgão que eu dirija.

A briga que ele usou para chamar de “Festa marginalizada” não aconteceu dentro do Colégio e sim, na Praça Otávio Mangabeira. Dois adolescentes que não são alunos do Colégio, foram às vias de fato e, por ciúme, trocaram pequenos tapas e depois, pelo que apurei, saíram abraçados.

Aproveito a oportunidade para mostrar o que os próprios alunos escreveram sobre a nossa Escola.

“O Colégio Fênix está preocupado em despertar a cidadania em seus alunos com incentivos e provocando dentro de cada um, solidariedade e, acima de tudo, o conhecimento.”

Meu caro Rabat, agradeço o espaço e, mais uma vez reitero a excelência em educação que o Colégio Fênix sempre teve dentro da nossa cidade.

Atenciosamente

Prof Arléo Barbosa