Ninguém está acostumado a ver tanta chuva nesse período do ano, mas as consequências que ela traz já não são novidades

Ninguém está acostumado a ver tanta chuva nesse período do ano, mas as consequências que ela traz já não são novidades. Desde o primeiro pé d´água, na segunda-feira, a impressão que se tem é que Salvador derrete a cada gota que cai. São ruas alagadas, deslizamentos, desabamentos, problemas no trânsito e muitos, muitos buracos.

E é só falar em buraco que dona Teresa Maria Meireles Ribeiro, 64 anos, reclama do “vizinho” que sempre marca presença na porta de sua casa, na Avenida Salvador, no Bonfim. “Já perdi as contas de quantos anos isso está aqui. Cada vez que chove, abre mais”, contou.

Além do perigo para o trânsito, a cratera provoca o alagamento de várias casas próximas, inclusive a de Teresa. “Desse buraco brota uma água horrorosa, com cheiro de esgoto. Eu tenho acordado debaixo de água. Perco fogão, geladeira, troco piso. Quando chove aquilo parece uma fonte, não para de jorrar”, reclamou.


Chuva não deu trégua em Salvador; desde o início de novembro, chove muito

Na rua Franciscano, em Dom Avelar, uma infiltração destruiu cerca de 200 metros da pista.

“Tem dois dias que começou com um buraco pequeno e na madrugada de hoje (ontem) a chuva arrancou boa parte do asfalto”, contou o ajudante de pedreiro Antonio Silva. Com a situação da pista, o trânsito ficou complicado no local.
“Quase teve um acidente aqui porque os motoristas não estão tendo paciência para esperar o outro passar. Por pouco um carro não invadiu uma casa”, acrescentou o pedreiro.

Na manhã de ontem, funcionários da Superintendência de Conservação e Obras Públicas do Salvador (Sucop) informaram que até o final da tarde o asfalto seria consertado.

Também em Dom Avelar, um deslizamento de terra destruiu uma casa na Rua Raposo Tavares, deixando três pessoas feridas. De acordo com a Codesal, o imóvel já tinha sido notificado. As vítimas foram socorridas por populares e levadas a uma unidade de saúde.

A chuva também tem o poder de piorar o trânsito de Salvador, já conhecido pelos transtornos. Um alagamento em Água de Meninos deixou carros cobertos. Na rua  Régis Pacheco, no Uruguai, a inundação também paralisou o trânsito. A BR-324 também ficou congestionada nos dois sentidos e três ônibus quebrados, na Estação Pirajá, Largo do Tanque e Viaduto do Arco pioraram a situação.

 

Lais Vita
[email protected]

No CORREIO DA BAHIA

http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/chuva-nao-da-tregua-em-salvador-e-muda-a-cara-do-mes-de-novembro/