Lançamento do Jornal Eco Kids (Foto: Cristiano Cruz)

Numa parceria entre o Ministério Público do Estado da Bahia, Conselho de Defesa do Meio Ambiente (Condema) e Secretaria de Educação da Prefeitura de Ilhéus, foi lançada na manhã desta terça-feira (22), no Centro Cultural de Olivença, a 8ª edição do jornal Eco Kids, totalmente elaborado pelos alunos da Escola Nucleada de Olivença. O lançamento do jornal foi um evento bastante participativo, contando com a presença de dezenas de alunos, professores, diretores, pessoas da comunidade, além da promotora Karina Cherubini; do presidente do Condema, José Nazal Pacheco Soub; Marcelo Roncato, do Plano de Recuperação da Mata Atlântica; dentre outros.

Lançamento do Jornal Eco Kids (Foto: Cristiano Cruz).

A 8ª edição do Eco Kids foi inspirada no projeto Trilhas Ecológicas, levando os alunos a participar de várias atividades reflexivas, dinâmicas e participativas, unindo teoria à prática, além de estimular o aprendizado de atitudes favoráveis ao meio ambiente. “Isso também possibilitou aos nossos educando serem multiplicadores do conhecimento universal, que é simples preservar, basta querer e acreditar que um simples gesto fará a diferença”, afirmou Maria Parecida Ferreira, diretora da escola.

A promotora pública Karina Cherubini explicou que o jornal tem os seus custos garantidos através das multas aplicadas contra os infratores do meio ambiente. “Isso permite que, aquele que mata um passarinho receba uma punição, que é revertida para a confecção desse jornal e que servirá para conscientizar todos vocês (dirigindo-se aos estudantes) a não se tornarem infratores no futuro”. Da mesma forma se expressou José Nazal, salientando que, quando criança havia matado alguns passarinhos, e que hoje se arrepende. “Mas naquela época não havia um jornal como o Eco Kids para nos ensinar a preservar a natureza”.

Em seguida aconteceram várias apresentações de palco, através de duplas e de grupos de alunos, recitando poesias, paródias musicais, balé e, ao final, um ritual indígena. “A consciência ecológica deve ser trabalhada na escola porque acreditamos que esta tem um lugar privilegiado para aprendermos e ensinarmos que nós, seres humanos, não somos os únicos habitantes deste planeta, que não temos o direito de destruí-lo, pois da mesma forma que herdamos a terra de nossos pais, deveremos deixá-la para nosso filhos”, disse a diretora Maria Aparecida.