WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom ponte ilheus secom bahia secom bahia


novembro 2011
D S T Q Q S S
« out   dez »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  








Heckel Januário em: BRASIL DESIGUAL

Mais uma vez o Brasil mostra a sua cara, aliás, as várias.

Pois é. O censo 2010 divulgado recentemente pelo IBGE é uma prova que o País é o mesminho de sempre, ou seja, o país das desigualdades.

Embora indicadores neste sentido venham melhorando há alguns anos, essa melhora se dá a “passos de cágado”, sendo assim insuficiente para curar o mal. Por outro lado, num contraste formidável, a economia vai muito bem: é a 7ª do mundo e possivelmente conforme previsões poderá chegar à 6ª e superar a do poderoso Reino Unido.

Mas o que uma economia de PIB comparável ao de países ricos, de produção, portanto, ascendente, significa em termos de nível de vida para a maioria dos brasileiros? Em minha opinião de analista de boteco, mas levada em conta o dia-a-dia das ruas, a observação por aí, diria nada e absolutamente nada, considerando se tratar de umas das piores distribuições de renda do planeta. É inconteste a pesquisa do Instituto ao exibir que os nossos 10% de habitantes mais ricos têm renda média mensal 39 vezes maior que a dos 10% mais pobres.  Isso não entrando na seara de que essa camada riquíssima, segundo Miriam Leitão, comentarista econômico da Globo, esconde, não declara o total da renda.

Dados como o do fornecimento de água potável às famílias houve aumento, mas no conjunto, ao colocá-lo paralelo ao do de saneamento básico, de carência notável, é desfigurado completamente. Para se ter uma noção, basta dizer que na região Norte o acesso da população a este serviço caiu de 46,7% para 40,6%.

Como nas versões anteriores e a repetir o Brasil dos vários Brasis, a velocidade de crescimento social nas regiões Sudeste, ‘Sul Maravilha’ continua como se fosse de “Fórmula Um”, enquanto no Norte e Nordeste ela se assemelha à de uma “carroça”, pontificando desse modo ser o pobre do Nordeste mais pobre do que um do Sul.

Outro dado assustador é o da Educação, porque mesmo com a hoje abrangência do ensino fundamental, 671 mil crianças (3,9%) de 10 a 14 anos, ainda são analfabetas. O adjetivo pode parecer até exagerado, mas se esse quesito essencial for comparado com o da China com todo o seu tamanhão tanto em referência populacional quanto em área, de situação quase zerada, não é. A respeito o quadro aqui da Bahia é comprobatório ao indicar aproximadamente dois milhões de baianos com idade acima de 15 anos sem saber ler nem escrever.

Para um país que desde que me entendo adotara o slogan de “País do Futuro”, os números, especialmente os referentes aos meninos e meninas daqui, indicam que esse futuro, apesar do tempão decorrido, será sombrio. A não ser que… Na revolta ia me passando e por pouco acusaria somente os representantes políticos do presente esquecendo os do passado. Em tempo me veio discernir quem da culpabilidade e imputar mais àqueles, quando muitos adotavam o poder pelo poder e davam as costas ao país, principalmente a essas importantes questões sociais. Sim, mas uma boa parcela dos atuais e meio-atuais em absoluto não tem o direito de eximirem-se da co-responsabilidade por este Brasil Desigual, necessitando que a mandatária primeira da República jamais se esqueça de colocar a “Faxina” prometida em funcionamento.

Heckel Januário

1 resposta para “Heckel Januário em: BRASIL DESIGUAL”

Deixe seu comentário





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia