Clemente Nobrega, que é pesquisador de gestão e estratégia, autor de Empresas de Sucesso, Pessoas Infelizes?, entre outros livros, e do site clementenobrega.com.br, escreveu o artigo a seguir sobre o Barcelona, que foi publicado na Época Negócios, e que acredito vale a pena publicar, pois se aplica não só ao futebol, mas principalmente às nossas atividades profissionais.

O brilho e a inteligência de determinadas pessoas são importantes. Mas, mais importantes ainda são o método, os processos e os sistemas, que conseguem aproveitar ao máximo as potencialidades dos gênios.

Carlos da Silva Mascarenhas

[email protected]

 

Ideias e Inovação – Época NEGÓCIOS

Barcelona – a criatividade está no método

Sobre a inovação futebolística chamada Barcelona, a grande lição é a seguinte: a criatividade está num MÉTODO. Isso é bacana e vale em outros campos, até na arte e na ciência. São poucos os gênios que se destacam sem, digamos, estarem CONECTADOS a algo maior. É a conexão com um todo maior que potencializa a competência do indivíduo.

Os indivíduos têm que dominar fundamentos básicos – não errar passe, dominar bem a bola, por exemplo – mas o desempenho superior emerge sempre do coletivo. Milhares de jogadores pelo mundo dominam fundamentos, mas não fazem diferença porque estão em “coletivos” que não fazem diferença. Não conseguem conectar-se a nada maior que eles próprios.

Messi não joga na seleção Argentina o que joga no Barça. Daniel Alves idem, no Brasil. Nenhum jogador do Barcelona jogaria em qualquer outro clube do mundo o que joga lá. Faltam conexões. É o sistema – o método – “Barcelona” que os torna imbatíveis. Os clubes deveriam parar de contratar super-astros a peso de ouro; deveriam contratar MÉTODOS -sistemas culturais?! – a peso de ouro.

O sistema que o método implementa é mais importante do que qualquer ator individual, porque é ele que EDUCA este ator. Sistemas só se consolidam com tempo para experimentar (e errar) porque são processos de EDUCAÇÃO. Nenhum método vencedor se instaura sem tempo para experimentação, o que é frontalmente contrário à mentalidade dominante no futebol.

O brilhantismo do Barcelona consagra essa verdade de outros campos. O gênio isolado é um mito, uma exacerbação da mentalidade midiática de hoje. Celebridades não têm importância. Os executivos da GE que tiveram sucesso durante os 20 anos de Jack Welch lá, não tiveram sucesso equivalente em outras empresas. A APPLE só será realmente notável se tiver embutido em sua cultura o que Steve Jobs concebeu.

Um líder só é líder de verdade se criar um sistema que sobreviva a ele.

Como amante do futebol espero que o sistema Barcelona se replique.

Que sobreviva ao fim do time espetacular que vimos desfilar ontem no Japã