Doações não identificadas vieram de contas da Malásia, Holanda e EUA.

Corpo de Henrique Vasques, de 21 anos, será cremado nesta segunda.

 Velório de Henrique Vasques ocorre na Quarta Parada (Foto: Renato Jakitas/G1)

Velório de Henrique Vasques ocorre na Quarta

Parada (Foto: Renato Jakitas/G1)

Familiares do estudante paulista de medicina morto na Rússia quando patinava com um amigo num lago congelado na cidade de Kursl, a 456 km de Moscou, disseram ao G1, no começo da tarde desta segunda-feira (9), que conseguiram custear o traslado do corpo graças ao apoio de brasileiros residentes no exterior.

O corpo de Henrique Vasques, de 21 anos, era velado desde a noite deste domingo (8) no Cemitério Quarta Parada, na Zona Leste de São Paulo. De lá, o corpo seguirá para o Crematório da Vila Alpina, também na Zona Leste, por volta das 14h, onde será cremado em cerimônia reservada para amigos e parentes.

As doações, não identificadas, vieram de contas bancárias de países como Malásia, Holanda e Estados Unidos.

A família conseguiu arrecadar os US$ 6 mil necessários para trazer o corpo ao Brasil em um campanha promovida nas redes sociais na internet. Além das doações anônimas, a família também contou depósitos bancários de amigos e parentes.


Renato Jakitas Do G1 SP