Estudante saiu em defesa de um amigo que foi agredido com um soco e foi baleado

Foto: Acervo Pessoal


Estudante foi baleado na madrugada de domingo


Policiais da Delegacia de Monte Gordo fazem diligências na tarde desta segunda-feira (9) na região de Guarajuba, em Camaçari, na tentativa de localizar os responsáveis pelos disparos que atingiram o estudante de engenharia Líbio Chaves Mendonça, de 22 anos.

De acordo com o delegado Nilton Borba, a hipótese de que o jovem teria reagido a um assalto está descartada: “Assalto não foi porque não levaram nada. Briga também não foi. Tudo indica que foi algum desentendimento”.

Segundo o delegado, Líbio saiu em defesa de um amigo que foi agredido com um soco por um homem que chegou ao local do crime, na Praça de Guarajuba, em uma motocicleta. “Os dois homens chegaram na moto. Um agrediu um rapaz, ele (Líbio) saiu em defesa do amigo e foi baleado”, diz o delegado.

Quatro tiros foram disparados na direção do estudante. Atingido por três tiros na cabeça, ele foi encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador, ainda na madrugada de domingo (8).

Na noite de ontem, familiares do estudante chegaram a divulgar que ele teve morte cerebral. Porém, na manhã de hoje, a irmã de Líbio, Ana Paula Mendonça, postou uma nota em sua página pessoal no Facebook para confortar e acalmar os amigos da família, depois de ter confirmado a morte do irmão.

Segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), foi aberto um protocolo para confirmar morte encefálica – procedimento que reúne vários exames para confirmar a morte.

“A notícia que sabemos não foi verdadeira. O que sabemos é que no momento ele está fazendo exames e tomou uma injeção para melhorar a pressão. Vamos continuar na corrente de oração”, diz a nota divulgada pela irmã do jovem.

Até a tarde desta segunda-feira (9), nenhum suspeito foi preso.


Da Redação
CORREIO DA BAHIA