Alguma coisa tem que ser feita, alguma medida do poder público municipal precisa ser adotada.
Cheguei à conclusão que não devemos apenas criticar o Secretário de Desenvolvimento Urbano, o problema do lixo na cidade de Ilhéus é institucional, portanto, é um caso de governo.
A cidade está impregnada e com lixo em todas as partes.
Aqui pelas bandas da Zona Sul está um caos, acredito que também pelas bandas da Zona Norte, Centro, morros e afins.
Uma posição partindo do nosso alcaide, claro se ele estiver na cidade e tiver um tempinho disponível, seria reunir todo o seu secretariado, assessores, colaboradores e abrir uma discussão séria sobre a situação do lixo na cidade.
A coleta doméstica não está sendo feita com regularidade, aproveitando o espaço as pessoas que têm o costume de jogar todo tipo de lixo nas ruas (entulho, geladeira, guarda-roupa, estante, colchão, etc.) estão usando e abusando de provocar o aumento na sujeira da cidade.
Terrenos baldios, como o que existe ao lado do prédio do antigo Café Polar, é um exemplo do que está ocorrendo.
A discussão do alcaide com seus secretários, não deve ater-se apenas à coleta doméstica, mas sim uma ampla abordagem do que fazer com o abandono em que a cidade está jogada.
Fiscalização e aplicação das normas do Código de Postura é um tema que deve também ser abordado pelo alcaide.
Conversando nesta manhã com o Senhor Paulo Carqueja, vereador, disse-lhe que o lixo na cidade é um problema de governo e ele reconheceu que o problema existe, é preocupante e que alguma coisa tem que ser feita.
Já que os nossos edis tem conhecimento do que está acontecendo, nada mais correto e por eles serem os fiscais do povo, que adotem providências junto ao poder executivo no sentido de se encontrar uma saída para esta aberrante e nojenta situação.
O lixo está se alastrando, apenas a regularização da coleta doméstica não vai resolver a pendenga, requer uma posição mais efetiva do poder público municipal.
Fiscalização, aplicação do Código de Postura, campanhas educacionais, seriedade e compromisso com a cidade e seus habitantes.
Afinal quem não gosta de ter uma melhor qualidade de vida? Com o LIXO fica muito mais difícil.
Lembrete: não espere apenas por ações da prefeitura, faça também a sua parte como cidadão, exercendo seus direitos e obrigações como tal. A cidade não pertence ao alcaide, aos secretários, aos vereadores, Ilhéus é de todos nós, seus filhos nativos e adotivos, como também dos turistas e visitantes.
ZÉCARLOS JUNIOR