Dom Mauro Montagnoli / Bispo diocesano de Ilhéus

Dom Mauro Montagnoli / Bispo diocesano de Ilhéus

Jesus pregado na cruz grita ao Pai: “Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?” (Mc 15,34). Como era possível que o Pai abandone o filho nessa hora terrível? Assim como Deus não abandonou o filho na hora derradeira, ele nunca abandona seus filhos nos momentos difíceis e agonizantes. Podemos dizer com o salmista: “Escuta a minha súplica: estou numa angústia extrema. Salva-me dos meus perseguidores porque são mais fortes que eu”. (Sl 142,7)
Neste momento difícil por que passamos com a greve da PM da Bahia queremos lembrar a todos os envolvidos na questão que a Palavra de Deus é bastante clara e contundente: “Ele mostrou a força do seu braço: dispersou os que tem planos orgulhosos no coração. Derrubou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes” (Lc 1,52-53).
Porque será que não se ouve o grito dos mais fracos e humildes? Eles sempre são considerados os desordeiros, os bandidos, que querem perturbar a ordem pública?
Quem tem o direito de definir que os que reivindicam seus direitos são os errados, os conturbadores da ordem, os marginais e bandidos?
É triste ver que tantos que lutaram pelos direitos dos trabalhadores mais pobres e desprotegidos, que até arriscaram sua vida, hoje agem como os prepotentes que não querem ouvir e não se sensibilizam pelo clamor dos mais pobres.
Que coerência é essa? Num tempo em que eram oposição faziam essas mesmas coisas, mas agora que são o governo agem como se nunca tivessem sido oposição.
O que os PMs pobres exigem é o reconhecimento da sua dignidade como seres humanos e o direito que têm de receber aquilo que foi determinado em lei e que não está sendo cumprindo pelos que detêm o poder. Como ser insensíveis a esse clamor?
Lembro aqui a palavra de Jesus: “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Fechais aos outros o Reino dos Céus, mas vós mesmos não entrais, nem deixais entrar aqueles que o desejam” (Mt 23,13-14).
Cristãos que somos, temos o dever e a missão de vivenciar os valores do Reino de Deus, a vida, a justiça, a fraternidade, o amor e a paz.
Confiamos no Senhor Misericordioso que ilumine as mentes dos envolvidos nessa questão e abra seus corações, especialmente dos que detêm o poder a fim de que cheguem a um acordo que defenda a vida das pessoas e traga a paz e tranqüilidade que todos nós desejamos.
Deus abençoe a todos.

Ilhéus, 08 de fevereiro de 2012.

Dom Mauro Montagnoli
Bispo da Diocese de Ilhéus