De: Jose Renato Ribeiro
Assunto: A PM AGONIZA, MAS ESTÀ VIVA

Corpo da mensagem:
A PM agoniza, jogada como um indigente que chega a um Hospital Público sozinho e sem acompanhante e que por indiferença á sua chegada, acaba morrendo. Mas a PM está debilitada e desamparada, mas nao está morta nem morrerá, é quase bicentenaria e tem Historia na Bahia e no Brasil. O Poder da PM é permanente enquanto que o poder politico é efêmero. Ela está envolvida numa luta desigual, ate seus pares, os oficiais lhes viraram as costas. Sabem por que? A maioria ganha boas gratificaçoes, principalmente depois que acabaram com os Batalhoes e criaram as Companhias. A classe politica, uns se esconderam e outros iam apoiar o governador, entrando pelos fundos do palacio para nao serem vistos.Nestas ocasioes fala-se muito na Constituiçao Federal, quando è para ir de encontro ao trabalhador. Ai a rede globo leva um bocado de juristas, apalavrados, para ineterpretar a Constituiçao ao modo deles, de forma que nao venha ferir os interesses da globo, que é o carnaval. Ninguem menciona o artigo que diz: “todos sao iguais perante a lei”.Não quero aqui fazer apologia ao crime. Aqueles 7 ministros postos pra fora em apenas um ano de governo – recorde no mundo – quando se reuniam com assessores, lobistas, chefes de orgãos publicos, presidentes de ONGs para usurparem o dinheiro publico, nao estariam eles cometendo o crime de FORMAÇAO DE QUADRILHA? Há pouco li na Uol, PRESIDENTE DA CASA DA MOEDA, pasmem, Casa da Moeda, leva U$ 16.000.000,00 em propina para favorecer a fornecedoras da Casa da Moeda. Será que a presidente Dilma mandou a Força Nacional, o Exercito e Policia Federal cercar a casa do Presidente da Casa da Moeda? Tem algum daqueles ministros corruptos preso? Nao tenho noticias, as tenho dos Pms presos por reinvidicarem seus salarios.Agora, senhores R$ 1.300,00 de salario e de U$ 16.000.000,00 de propina é proporcional não é?


Esta mensagem foi enviada através do formulário de contato do site R2CPRESS | A Letra Fria da Verdade http://www.r2cpress.com.br/v1