Fábio Sabino passou cinco dias desaparecido no Litoral baiano (Foto: Reprodução/TV Paraíba)

Fábio Sabino passou cinco dias desaparecido no Litoral baiano (Foto: Reprodução/TV Paraíba)

Fábio Sabino viajava para visitar fábrica quando teve carro interceptado.
“Ele chegou a cavar a própria cova”, diz prima.

Um empresário paraibano foi sequestrado por engano quando viajava a trabalho pela Bahia. Segundo a família, Fábio Carvalho Sabino, de 48 anos, desapareceu no domingo (5) e só voltou a fazer contato cinco dias depois, na sexta-feira (10). Natural de Campina Grande, Fábio mora em Goiânia (GO) e administra uma empresa de açaí e outra de polpa de frutas. Segundo a prima Fabiana Medeiros, que reside na Paraíba, a família não tinha mais esperanças de encontrá-lo vivo.

Aos parentes, Fábio relatou que teve o carro interceptado na estrada entre Ilhéus e Ipiaú, quando viajava para visitar uma fábrica. Segundo Fabiana, ele disse ter sido encapuzado e levado em outro veículo para o cativeiro. Quando perceberam que haviam sequestrado a pessoa errada, os criminosos teriam dito que iriam matar Fábio, mas acabaram mudando os planos e o libertando.

“Pelo que ele entendeu, o objetivo original do sequestro da outra pessoa não seria extorquir dinheiro, era crime encomendado. Mandaram ele cavar a própria cova, mas depois acharam que não seria certo matar alguém inocente. Minha mãe já estava em Goiânia dando apoio à irmã dela, mãe de Fábio, pois ninguém acreditava mais que ele estava vivo devido à falta de contato para pedir resgate na hipótese dele ter sido sequestrado”, relatou a prima.

O empresário teria sido libertado na quinta-feira (9) e, depois de telefonar para a família, chegou a Goiânia na noite da sexta-feira (10). O boletim de ocorrência sobre o desaparecimento do empresário foi registrado na 8ª Delegacia de Polícia de Goiânia, quando a família estava há dois dias sem notícias de Fábio. A Divisão de Pessoas Desaparecidas da Polícia Civil chegou a publicar em seu site uma foto com informações sobre a vítima solicitando ajuda à população. O caso também foi comunicado à Polícia Federal.

Karoline Zilah Do G1 PB

No G1 Ba