Depois de uma assembléia realizada na noite deste sábado, 11, os policiais militares da Bahia decidiram acabar com a greve que já duravam 12 dias no Estado. A categoria aceitou a proposta de 6,5%, retroativa a janeiro passado, feita pelo governo. Também foi aceita a proposta do pagamento da GAP – Gratificação por Atividade Policial – a partir de novembro próximo. Segundo o comando geral da PM, 100% do efetivo da polícia já se encontram em atividade.
O governo da Bahia, por meio de sua assessoria de comunicação, informou que não vai revogar as prisões dos policiais acusados de promover atos de vandalismo, formação de quadrilha e depredação do patrimônio público durante a greve. Também não haverá negociação de anistias.
O comando da greve disse que vai brigar na justiça pela revogação das prisões dos 12 policiais que tiveram mandados expedidos durante a paralisação.
O impacto da greve no Carnaval
A policia volta as suas atividades, mas o estrago já foi feito, prejuízos, incertezas e cancelamentos de pacotes. Dezenas de eventos pré-carnavalescos foram cancelados.As vendas de abadas caíram ,de acordo com empresários do ramo. O comercio deixou de vender e acumula dividas.

SEGURANÇA
Por mais que o Governo passe a imagem de que haverá segurança e que tudo voltou ao normal, há no ar o clima de incertezas. A policia que retornou as suas atividades já deixou bem claro que não será atuante .Retorna uma policia desestimulada, sem acreditar em seus comandantes . Salvador já está entre as capitais mais violenta do país em situação normal, imagine em uma das maiores festas populares sem o entusiasmo da policia militar nas ruas? Sem falar que a policia na Bahia funciona em péssimas condições de transporte, sem combustível, esta é uma realidade do interior da Bahia.


SE LIGUE NA NOTÍCIA