O que podemos esperar, em pleno carnaval, daqueles caras que abusam do som estúpida e ignorantemente elevado em seus automóveis?
Até que eles podiam se reunir, todos, fazer uma fila de carros e ficar rodando pelo circuito do carnaval. Afinal de contas, é carnaval, festa democrática de tolerância, principalmente a barulho e música(?) de mau gosto.
Mas não é bem assim. Meu vizinho resolveu fazer isso na garagem, do meio dia à meia noite, tirando todo o sossego da pacatíssima rua onde moro. Pensou só no conforto dele, em ter um “trio elétrico” dentro de casa, cerveja gelada e mais barata e churrasquinho à vontade, o dia todo, como se só existisse ele no mundo. Será que, se eu pedisse, ele diminuiria o volume? Duvido. Será que eu encontraria alguma autoridade disponível, num domingo de carnaval, para resolver a situação? Também duvido.
De resto, foi lembrar uma frase dum velho amigo: “O ser humano é phoda…”

Nilson Pessoa
Ilhéus/Ba.