por José Everaldo Andrade Souza .’.

Livro da Lei

Ir.’. Everaldo.

Ir.’. Everaldo.

Assim o entendeu a Maçonaria anglo-saxônica, para que a Arte Real pudesse florescer em suas colônias, habitadas por povos das mais diferentes religiões.

Desse modo, o Livro da Lei pode ser a Bíblia contendo o Velho e Novo Testamento para os cristãos, o Antigo Testamento ou o Talmude para os judeus, o Alcorão para os muçulmanos, os Vedas para os bramanistas, o Zend-Avesta para os parsis ou qualquer Livro Sagrado de outras religiões nas condições requeridas. Esse livro deverá estar aberto.

O Livro da Lei é o símbolo da Lei moral que cada Maçom deve respeitar e seguir, e representa a Filosofia que cada um adota, ou a fé que anima e governa os homens.

O Livro da lei foi objeto de muitas controvérsias entre espiritualistas, racionalistas e aqueles que pretenderam oferecer um terreno de entendimento.

Para os anglo-saxões e os espiritualistas em geral, é a Bíblia ou qualquer livro contendo a vontade revelada do Grande Arquiteto do Universo.