O cheiro do lixo e do podre está espalhado por toda a cidade.
Ilhéus neste presente momento está uma cidade abandonada, sem eira, nem beira, ninguém está mais se importando com nada, quanto mais jogar m…. no ventilador melhor.
Os homens de gravata ainda estão inebriados com o banquete da ACI, pois nas homenagens e nos comes e bebes ninguém teve tempo de refletir sobre a grave situação que a cidade está passando.
E os homens de gravata têm toda razão, afinal de contas em dia de festa não se deve falar em tristeza, em esculhambação, em falta de respeito, de ética, de responsabilidade, de péssima gestão pública, nada nessa hora passa pela cabeça dos homens, a não ser o puxa saquismo, a hipocrisia, o desdém com uma cidade repleta de problemas.
Do outro lado do palacete da ACI está a casa que os edis chamam de “casa do povo”, donde os caras se dizem dignos representantes desse povo mal tratado e espoliado.
A omissão da câmara em vista da situação vexatória que passa a prefeitura nesse dramático e feio término de mandato é uma posição de quem também está encerrando um mandato sem muita coisa para expor à comunidade.
Alguém viu ou ouviu algum vereador esbravejar sobre a desastrada administração municipal? Partiu para o combate para apurar as denúncias?

Acredito que os salários, 13º, 14º dos senhores edis, assessores e demais colaboradores estão garantidos, pois a única coisa que chama a atenção é quando não acontece o maldito repasse do duodécimo, assim acontecendo aparece alguém na tribuna para propor a cassação do mandato do alcaide.
Mas esse alcaide que tanto mal fez à cidade, em tempo algum deixou de autorizar o dito repasse, então as coisas fluíram como a turma gosta, dinheiro no bolso, sem pressão, sem cobrança, ao deus dará.
Com o novo aumento dos nossos bravos edis e de seus assessores, a casa do povo vai gastar com os ditos cujos a bagatela de R$ 380.000,00 mensais, fora pagamento de funcionários e demais despesas, afinal, são dezenove eleitos pelo povo.
Poucas empresas que se viram pra gerar emprego e pagar seus inúmeros impostos podem assumir um desembolso mensal desse montante.
No meio de toda essa bagunça, a cidade cresce, os empresários construindo e criando novos empreendimentos, as faculdades e colégios a todo vapor, os agricultores tentando reescrever uma nova história do cacau, enfim, não estamos parados, enquanto uns destroem, outros constroem.
Recado para o novo alcaide: juntamente com sua equipe, terás pela frente um imenso desafio, que vai requerer muito trabalho e não vai ser em um ano que as coisas vão se normalizar, o pipino é grosso, a cidade está destroçada.

ZÉCARLOS JUNIOR