Os desencontros das pessoas na face da Terra é uma grande escalada que deixa uma multidão de gente perplexa! Afinal fomos criados para que? Precisamos de que para sentir uma vontade robusta de criar uma paz duradoura! Não seria importante falar de amor que é falar de Deus e falar de Deus é falar de um tema sem fim, já que os mesmo termos e as mesmas palavras Amor-Deus enchem a alma de gozo, felicidade, plenitude, alegria e satisfação, sem expressar nem os motivos e nem as razões pelas quais se sente tanto bem-estar e regozijo interior. Sentir-se bem representa um perfeito estado de espírito e a mente viaja na harmonia que nos rejuvenesce e muitas vezes nos tornamos crianças, pois encontramos a noção exata da beleza da vida!
É muito importante o homem entender que não está sozinho! Porém, o homem impregnado de individualismo e radicalismo na sua maneira de ser só, procura um isolamento para criar um mundo diferente, somente vivendo suas caminhadas no seu próprio destino. Assim, dentre as conquistas alcançadas nas estradas do seu universo surge os gestos agressivos e as palavras ávidas, marginalizando-se inconscientemente. Tudo isso acontece porque poucos gostam de ouvir, foge do diálogo, criando caminhos vagos para a formação da sua existência. Olhando bem, ninguém vale nada sozinho, esta é a natureza que nos faz conviver e vencer muitos desafios juntos, independente da cor, da riqueza material, das crenças, basta à inteligência aliada aos bons propósitos para ser real na qualidade humana!
Nas passagens da vida paramos sempre diante das escolhas, às vezes gerando conflitos de vontades e pensamentos. A existência de pessoas mal formadas mergulhando em abismos tremendos em seu estado de espírito e o mundo se tornam pequenos para a solução de milhares de problemas. E olhando bem, se não existe confusão não existe escolha. E geralmente para as pessoas simples a escolha entre fazer ou adquirir isto ou aquilo oferece a certeza de que tudo tem uma razão de ser!

Tem momentos em nossa vida que achamos o mundo vazio e sem boas propostas ao nosso alcance, meio descontrolado, insatisfeito e parado. Tudo isso porque não buscamos as nossas qualidades individuais e passamos despercebidos pelas ruas, ignorando a nós mesmos que somos pessoas e não coisas. Procuramos a solidariedade humana, a felicidade e encontramos apenas imagens! Colocamos nossas tendências de boas qualidades e nunca atingimos uma paz absoluta. E a passagem da realidade é a morte daquilo que chamamos de vida, e do outro lado o tempo e espaço natural das coisas que deixamos de sentir em nosso estado vida. Existem ideias de que, por exemplo, quem é uma determinada pessoa e a sua importância, ou mesmo o que deveria ser? Porém, se quisermos eliminar este espaço nas mentes humanas, simplesmente podemos afirmar que seremos sempre o que somos.
Buscamos a cada dia que passa alcançar melhores momentos e de repente por nossa culpa somos tragados pela morte. E a vida é como um rio em dias normais, que surgem turvo e agitado nas tempestades. Por esta razão a parada impensada em nossas ações, facultada do nosso íntimo, nos coloca uma amargura mais amarga dentro de nós. É bom lembrar que depois de cada noite surge sempre um lindo amanhecer. E a dor e a tristeza nos reservam sempre uma enorme esperança para encontrar uma nova felicidade. Nunca esquecer que o sapo tem o olho grande, mas vive sempre na lama!
É significativo o ser humano forçar uma parada em sua vida e saber fazer as suas interrogações sobre os atos e fatos ocorridos acerca das inúmeras fases da sua vida. Todavia, se fizermos uma observação nos limites da qualidade de homem no planeta em que vivemos, vamos ficar decepcionados por nossas profundas autenticidades de defensores das discórdias. Quantos trocam a justiça pelas consequentes imaginações de temeridades nas infrações contra as leis naturais das coisas que estão ao seu alcance para servi-lo! Transgridem contra suas próprias qualidades de criador da ordem que disciplina os seres considerados organizados!
O certo é que sempre encontramos uma saída a fim de justificar as nossas falhas, contudo, são aparentes justificativas exteriorizadas por nossas modalidades sistemáticas de vida. Dessa forma esquecemos-nos da presença de Deus e o homem sem Deus é um animal irracional. E nós sabemos que nos caminhos por onde passamos existe sempre uma luz formada de amor e solidariedade sem distinção. Sabemos que nada se perde quando procuramos progredir, existirá uma transformação aliviando nossas dificuldades dentro da esfera terrestre.
Diante de tantas expectativas e acontecimentos que surgem na vida, os homens estão sendo atacados em todas as partes por onda passam, carregando uma preocupação natural e deixando à sua barba de molho, porque as manifestações alheias quando não observadas, transformam desajustadas crises irrefletidas em crimes horríveis. As opiniões públicas ficam a se indagar: é melhor ir à igreja orar, frequentar reuniões ou clubes, participar de associações técnicas ou científicas ou permanecer em casa na santa paz?
Todos nós temos os nossos anseios em busca de novas emoções! O homem procura incessantemente trilhar novos horizontes, contudo, esquecendo que a amizade remendada é a mesma coisa que um café requentado. Devemos crescer, entretanto, crescer unidos no respeito mútuo da humildade.

Eduardo Afonso – (73) 8844-9147 – Ilhéus-Bahia

Para ler a 11ª PARTE clique AQUI.