O querido Ir.'.  Everaldo

O querido Ir.’. Everaldo

Tinha uma ruma de gente nessa mesa (cortei). Papo vai, papo vem e aí saiu uma conversa sobre um determinado assunto diretamente ligado a um dos que estava sentado. Everaldo.’. fez duas perguntas sobre o assunto e mudou de conversa.

Altos causos continuaram alegrando o momento festivo e lá pras tantas cada um pegou o seu rumo.

Ele, vou aproveitar para dizer, cultua a família. Digamos que ele seja dependente, ao extremo, da família que ele tão bem constituiu …

Hoje, um motoboy chamou na porta com um envelope amarelo, com nome, endereço e com três caixas “bunitinhas” dentro. Alívio para três meses rsrsrsrsrsrs

Vê se pode: o cara nem thum e resolveu mesmo … affff !!!!!!

Querido!,

Grande bjo e tenho certeza que JC viu essa sua ação solidária e despretenciosa como, aliás, tem sido as suas incursões.

Fique com DEUS (Sempre!).

Rabat.’.