João Alfredo Amorim de Almeida

João Alfredo Amorim de Almeida

Nasceu em Ilhéus em 9 de junho de 1920, filho de Firmino Eloy de Almeida e Alice Amorim de Almeida, foi o sexto filho, seus irmãos eram: Luiza (Lizette), casada com Pedro Ribeiro Filho; Gastão; Amilton; Avani (Nani); Euler; Dion; Maria Luiza; Manoel Carlos, Henrique e Cesar.

Cursou o Primário e o Secundário em Ilhéus. Cursou Extensão em Sociologia Política, 1965 e Administração em Empresas, 1966, pela Faculdade de Sociologia e Política de Ilhéus e o curso de Relações Humanas da Diretoria de Ensino Comercial do Ministério de Educação e Cultura, MEC.

Iniciou sua vida cedo, aos 19 anos de idade, trabalhando no Banco Misael Tavares; foi o Encarregado do Serviço de Estatística do antigo Serviço Nacional da Febre Amarela do Ministério da Saúde, em Ilhéus, de 1939 a 1943; Secretário da Assembléia Geral da Associação Comercial de Ilhéus, em 1950; gerente de exportação de cacau da firma Brandão Filhos Importação e Exportação S/A, de 1951 a 1964; Presidente do Rotary Clube de Ilhéus em 1963; diretor financeiro da Santa Casa de Misericórdia de Ilhéus de 1963 a 1964; Presidente do Clube Social de Ilhéus em 1965; Cruzada do Bem pelo Bem em 1973; redator chefe do “Diário da Tarde” em 1974; membro da Comissão de Estudos e Elaboração dos Estatutos da Comissão de Desenvolvimento Regional de Ilhéus; Conselheiro da União dos Escoteiros do Brasil; Presidente do Instituto de Cacau da Bahia de 1975 até junho de 1978 e Diretor Administrativo e Financeiro de 1983 a 1985.

Iniciou na vida política em 1966 quando foi eleito vereador de Ilhéus, para o mandato de 1967 a 1969, com expressiva votação, nesta época o cargo não era remunerado. Na Câmara de Vereadores destacou-se pelos projetos apresentados, visando a solução dos problemas mais graves do município. Em 1969, como Presidente do Legislativo, assumiu o cargo de Prefeito no dia 7 de abril, por causa do afastamento do Prefeito Nerival Rosa Barros, um ano depois, reeleito Presidente do Legislativo, continuou como Prefeito até dezembro de 1970.

Como Prefeito construiu prédios escolares, pavimentou diversas ruas, realizou melhorias nos distritos, instalou a Biblioteca Pública Epaminondas Berbert de Castro, que funcionava no prédio da Secretaria de Educação; construiu o restaurante “Os Velhos Marinheiros”, no obelisco; no seu governo foi inaugurado o Hospital Regional Luis Vianna Filho.

Eleito Deputado Estadual pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA) de 1979 a 1982; suplente de deputado estadual pelo Partido Democrático Social-PDS, 1983-1987, efetivou-se em março de 1986. Na Assembléia Legislativa foi presidente da Comissão de Finanças e Orçamentos (1981-1982); vice-presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural (1986); titular das Comissões: Agricultura e Incentivo Rural (1979), Desenvolvimento Econômico, Social e Urbano (1980), Finanças e Orçamento (1980), Turismo e Empreendimentos Sociais (1981-1982); suplente das Comissões: Finanças e Orçamento (1979, 1986) Educação, Saúde e Serviços Públicos (1980), Proteção ao Meio Ambiente (1981-1982), Educação, Esportes e Serviço Público (1986). Fez parte dos partidos políticos ARENA e PDS.Encerrou sua carreira política aos 66 anos de idade para cuidar de seus negócios pessoais.

Foi condecorado com o Diploma de Amigo da Polícia Militar da Bahia, Amigo da Associação do Ministério Público da Bahia; Benemérito da Campanha Nacional de Escolas da Comunidade de “O grande amigo da Universidade de Santa Cruz”, Ilhéus; Honra ao Mérito de Expoente da Economia Bahiana, conferido pelo Supremo Condave do Brasil; Medalha do Mérito da Polícia Militar da Bahia e do Mérito dos Ex-combatentes do Brasil. Comendador da Ordem do Mérito da Bahia, Título de Cidadão Honorário dos municípios baianos: Ubaitaba, Itapé, Mascote e Gongogi.

Casou-se com Filomena Flores de Almeida (Filó), com quem teve três filhos: Luis Eduardo (Lulu); Raymundo Eloy (Zunde) e Maria Aparecida (Cida).

Faleceu no dia 13 de julho de 1994, aos 74 anos, devido a problemas cardíacos, seu corpo está enterrado no Cemitério de Nossa Senhora da Vitória