Chego à conclusão de que, para eles, eu não valho porcaria nenhuma, que meu bom caráter não serve pra nada, meu exercício da cidadania é inútil e meu voto é lixo. Estou me sentindo um bosta, com a autoestima baixa e a sensação de que o povo, os cidadãos que pagam impostos, não passam de marionetes que só servem para levar ferro. Eles, os do poder, não estão nem aí pra nós, pra nossa saúde, para o lixo, para os ratos.
Este desabafo é porque tive acesso a alguns documentos antigos, de interesse comunitário, e constatei que o tal Lixão do CAIC existe há mais de 15 (quinze) anos. Isso mesmo, 15 anos sem uma solução efetiva e definitiva.
Absurdo maior foi o não atendimento da Prefeitura Municipal aos diversos apelos da população, devidamente formalizados pela Associação de Moradores da época e que eu não conhecia, por ainda não residir no local.
Me sinto ultrajado e tratado como se fosse o lixo do Lixão do CAIC. Ignorado como um cachorro de rua, daqueles que frequentam o dito Lixão.
Mais uma vez, repito: a mim não importa nem interessa quem foi, quem é ou quem deixa de ser o prefeito. Não quero saber de política nem de politicagem. Só quero soluções administrativas para questões básicas e descabidas, em contrapartida aos tributos que pago como cidadão e contribuinte do Município.
Observe as datas e o teor de cada um dos quatro documentos (me reservo a não exibir nomes das pessoas físicas remetentes e destinatárias).
O fato é que nada mudou em 15 anos. A inércia e o desprezo aos cidadãos, lamentavelmente, são de longa data e continuam nos dias de hoje.
É vergonhoso. É revoltante.

PARA LER EM TELA CHEIA CLIQUE ONDE ESTÃO AS 4 SETINHAS (LADO DIREITO).


Nilson Pessoa