Nessa semana, vimos dois fatos em que a insanidade falou mais alto e o preço pago pelos insanos foi caro.
Primeiro, o caso do menino e o tigre, que também poderia ter sido o menino e o leão. Com onze anos de idade (o filho), é instintivo que um pré-adolescente já tenha a noção de que animais selvagens de grande porte oferecem perigo. Qualquer cidadão de 43 anos (o pai) em pleno gozo de suas faculdades mentais, teria zelo e cuidado de não expor o próprio filho a um perigo real. Transgrediram a razão e as placas de advertência das jaulas dos felinos. Resultado: um braço dilacerado e amputado, de graça.
Dois supostos pichadores invadiram um prédio para satisfazer seu prazer nada convencional de depredar o patrimônio alheio, mais uma vez transgredindo a sanidade e as leis. Resultado: morreram de graça, alvejados pela polícia.
Coisas que só Freud pode explicar.

Nilson Pessoa