WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
hospital ilheus secom bahia embasa sesab bahia


agosto 2015
D S T Q Q S S
« jul   set »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  








Não conheço aquele PAI…

Venci a minha primeira noite. Agitado, inquieto, mas aguentei firme e na FÉ que a SANTINHA não sairia de perto fui, na certeza disso, relaxando e dormi.

Amanheci saudosista. Revivendo alguns momentos marcantes dessa época quando os meninos nem sabiam o que era presente faziam fila para a entrega. Depois de algum tempo lembrei da mesa que começava a ser organizada na quinta. Era um “futuqueiro” quando da escolha das cadeiras e posição na mesa. Hoje, aqueles pequenos já são pais e mães e certamente estarão fazendo o mesmo – seguindo, por assim dizer, – o exemplo de União que, na mesa, fecha a corrente como foi repetidas vezes mostrada, vivida…  Aquela mesa ainda existe, mas com certeza ela está, hoje, muito triste …

Desci, abri o escritório – onde estão símbolos e imagens – agradeci, fiz orações e fiquei um bom tempo olhando pro nada. Lembrei das cenas lá na UTI vi vidas “saindo” passando pro outro lado, vi recuperações … e volto a repetir: se determinadas pessoas passassem três dias, conscientes, em uma UTI o mundo seria outro.

Tive na UTI agonia desespero, medo, pensamentos negativos e alucinações. Não sabia de onde vinham, mas vivi a pior sensação de toda a minha vida. Cuidaram com mais medicamentos e eu adormeci. As sucessivas crises de abstinência dificultavam o andamento do tratamento. Com o passar do tempo os medicamentos começaram a agir e fui, aos poucos, tomando consciência das coisas e passei a ajudar. Parei de reclamar e encarar de frente quando percebi que o meu problema era muito pequeno se comparado ao do meu vizinho e da senhora da frente. Fiquei com vergonha, pedi desculpas para Deus por ter reclamado tanto, e fiquei somente com a deprê que com algumas bombas me botavam no rumo novamente …

Sai da UTI na primeira vez e fui pro apartamento. Na véspera da minha alta tive dois ataques de bactérias em menos de 40 minutos. Meu coração remendado e com as duas safenas completamente obstruídas aguentou. Voltei para a UTI e depois pro apartamento que somando os tempos de cada momento quase fecha 30 dias de confinamento.

Depois de tantos medicamentos e mais 14 dias de antibiótico finalmente tive alta na véspera deste dia dos pais.

Meu irmãozinho Naldinho foi me buscar. Na saída enquanto arrumavam as coisas no carro observei um andarilho, retirante não sei bem o que eles eram, mas me chamou atenção o cuidado dele segurando na mão de uma criança de no máximo quatro anos de idade. Numa parada rápida ele futucou num saco preto que estava encostado num portão de ferro e seus olhos brilharam quando ele descobriu o que vi nitidamente: um hambúrguer amassado falando um pedaço certamente de uma dentada de uma boca bem alimentada… Ele segurou com tanto cuidado que mais parecia um banquete. Sentou numa sombra, abriu o papel alumínio que embrulhava o pão estendeu como se fosse uma toalha de renda e comia um pedacinho saboreando e dois pedaços para a criança que antes de engolir já estava com a mão estendida querendo mais “dizendo” com aquele gesto que tinham um bom tempo sem comer. Terminada a ‘saborosa’ refeição limpou as mãos na calça surrada e com todo carinho do mundo, com a ponta da camisa também bem usada limpou a boca do pequeno menino. O homem olhou para um ponto qualquer, segurou na mão da criança (certamente filho) e seguiram sem rumo, sem um destino, sem saber onde e quando chegar.

Não conheço aquele homem/Pai, mas neste dia quero abraçar todos os pais na figura daquela criatura que de todas as formas mostrou zelo, alegria no cuidar, na preocupação em fazer aquela fome passar. Por algumas horas certamente ele conseguiu. Não se sabe quando ele encontrará outro saco de lixo com um verdadeiro banquete dentro.

Naldinho ligou o carro, dei uma olhadinha pro portão do hospital, me benzi, agradeci a Deus por tudo e pedi pra que Ele cuidasse daquela dupla que me fez refletir sobre tantas reclamações que faço ao longo do dia, meses e anos. Com lições assim tenho melhorado e vou conseguir melhorar ainda mais, porque cada vez mais atento, vejo no dia a dia os recados e ensinamentos do nosso bom DEUS.

Continuo em casa; entregue a medicamentos e pensamentos.

Um grande bjo pra todos vocês, grato por tudo e fiquem com DEUS (Sempre!).

Rabat.

8 respostas para “Não conheço aquele PAI…”

  • Lusimar Dortas says:

    Querido Rabat,

    Esta sua reflexão nos leva a entender que PRECISAMOS DE MUITO POUCO para sermos felizes. Além disso, a felicidade está dentro de nós e não a percebemos por estarmos voltados para VALORES QUE POUCO ACRESCENTAM.

    Vivi momentos muito difíceis meu amigo, mas descobri uma FORÇA GIGANTESCA
    que jamais imaginei possuir. Pautada na existência de um SER SUPREMO para continuar GUERRIANDO até onde esta força nos permitir.

    Forte Abraço.

    Fique com DEUS Sempre!

  • Rafael Rabat says:

    Graças a Deus está de volta, e voltou muito inspirado…
    Parabéns pelo texto!

  • Zécarlos Junior says:

    Amado amigo/colega/irmão,

    Vou lhe dizer uma coisa que é muito importante para mim:

    VOU ACREDITAR EM VOCÊ, NA SUA FORÇA DE VONTADE, NA SUA FORÇA DE SE LIBERTAR, NA SUA FORÇA DE FÉ EM DEUS.

    Tô imensamente feliz por ter você de volta.

    DEUS há de lhe abençoar sempre! Claro que Zoinho de Mãe também vai fazer a parte que lhe cabe, aliás, como vem sempre fazendo.

    ZÉCARLOS JUNIOR

  • EVERALDO says:

    MEU QUERIDO AMIGO/IRMÃO

    QUÃO BOM E QUÃO AGRADÁVEL É O SEU RETORNO AO NOSSO CONVÍVIO!!!

    TFA

    JOSÉ EVERALDO ANDRADE SOUZA

  • Rabat says:

    muita luz e paz, que bom que você voltou ao nosso convívio. muita saúde e muita felicidade para você, Deus lhe proteja sempre

  • Dirceu Góes says:

    Caro Rabat,

    O jornalismo agradece as pérolas que você cria.
    É sempre muito bom refletir sobre a vida a partir dos seus textos.
    Tenha um ótimo retorno.
    Abs,

    Dirceu Góes

  • Eduardo Afonso says:

    Querido amigo e irmão Roberto Rabat, li com bastante carinho e atenção o seu comentário acerca do seu estado de vida em condições de recuperação no leito
    do Hospital Santa Cruz. A nossa vida sempre estará nas mãos de Deus. A mente
    humana sempre direcionada para a confiança nos desígnios da força que existe
    em nós e deixamos de lado a fórmula mágica do sentimento de nunca estamos só.
    Passamos despercebidos de nós mesmos, e Jesus Cristo está firme no meio de nós.
    Tenho acompanhado a sua situação e meus pensamentos de esperança de vida nova
    para vc. Acredito que muitas outras pessoas também fazem parte dos mais reais
    desejos de vê-lo recuperado plenamente com a Graça de Deus. Viajei para o Santuário da Lapa, e visitando o Bom Jesus da Lapa, na Gruta onde todos os Romeiros fazem os seus pedidos, solicitei ao Bom Jesus que visitasse vc em qualquer lugar que estivesse, e desse amor e paciência aos seus familiares, a minha amiga e sua querida filha Naiana me dava todas as informações. Disse a ela que iria à Gruta do Bom Jesus da Lapa e deixaria lá o meu pedido para que Rabat adquirisse força e que desaparecesse o cansaço que havia relatado na minha visita na UTI do HSC. Juntamente com minha esposa deixei o meu pedido aos pés do Bom Jesus, e haveremos de no próximo ano (2016) ir agradecer a graça que estamos recebendo. Então pedimos que Deus fique sempre com você amigo e não podemos faltar esse nosso compromisso que agendamos em nossa vida de amor, paz, alegria e solidariedade pela existência de Jesus Cristo em nosso coração.

    Abraços, Eduardo Afonso e família

  • Heckel Januário says:

    Oi Rabat
    Há dois dias não abro o r2c. Hoje ao faze-lo para o envio de um texto, deparei com esta bonita reflexão.
    Desejo-lhe, neste retorno, SAÚDE, MUITA E SEMPRE SAÚDE

Deixe seu comentário





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia