O Programa de atendimento e conscientização em massa conhecido como Mutirão do Diabético já é realizado anualmente em Itabuna, sul da Bahia, desde o ano de 2004. O principal objetivo é proporcionar ORIENTAÇÃO, CONSCIENTIZAÇÃO, MOBILIZAÇÃO E ATENDIMENTO MÉDICO ESPECIALIZADO GRATUITO para as principais complicações associadas ao Diabetes com intuito de diminuir sua morbimortalidade e melhora a qualidade de vida dos pacientes diabéticos. Ao conciliar orientação, prevenção e tratamento, o Mutirão do Diabético de Itabuna vem proporcionando a melhoria da qualidade de vida de milhares de pacientes de uma doença silenciosa, responsáveis pela maior parte dos casos de mortes e incapacitações no Brasil.

ITABUNA 2016

Assim foi o 12o Mutirão do Diabético de Itabuna, realizado no dia 26 de Novembro, com ações de prevenção na Praça Rio Cachoeira e atendimento médico no Hospital de Olhos Beira Rio. Em 2016, foram cerca de 1100 voluntários, incluindo profissionais de saúde de várias partes do país, estudantes, num trabalho que resultou no número recorde de procedimentos. Na Feira Multidisciplinar em Diabetes foram realizados exames de glicemia e pressão arterial em aproximadamente 2 mil pacientes para detecção de novos casos, fazendo parte da Campanha de Detecção Nacional de Novos Casos de Diabetes da FENAD (Federação Nacional de Associação e Entidades em Diabetes). Mais de 25 estandes educativos e de serviços com diversas atividades como  o de educação física, avaliação auditiva, direitos dos diabéticos, saúde bucal, oficina de nutrição, psicologia, conhecendo a insulina, automonitorização da glicemia, perto de 1.000 pacientes foram submetidos a triagem de glaucoma no estande de prevenção a cegueira, além do espaço Diabetes Kids, dedicado às crianças com 300 crianças foram avaliadas por equipe multidisciplinar, entre outros.

Na parte médica 1.400 pacientes foram submetidos a exames de mapeamento de retina para detecção de retinopatia diabética, sendo que os pacientes com Retinopatia Diabética mais graves, em torno de 250 pacientes,  foram submetidos a exames bioquímicos, com a realização de exames de proteinúria urinária e exames de sangue como hemoglobina glicada, e dosagem do colesterol, glicemia e creatinina, estes pacientes foram avaliados por equipe da Nefrologia  para afastar a Nefropatia diabética. Estes pacientes com Retinopatia Diabética mais graves tem índices de mortalidade mais elevados, foram pela primeira vez avaliados com equipe de triagem para Cardiologia, sendo que os pacientes identificados como de suspeita de doença isquêmica cardiovascular foram submetidos a eletrocardiograma e ecocardiograma por cardiologistas.   Todos os 1.400 pacientes que fizeram o mapeamento de retina também foram submetidos ao Exame do Pé Diabético com equipe Multidisciplinar previamente treinada, avaliando pulso, deformidades, ulceras,  sensibilidade, entre outros dados, sendo os pacientes detectados com lesão grave de alto risco já passava com equipe de Angiologistas e realização de curativos, e pacientes com deformidades importantes e ainda sem lesões ulcerativas, mas de riso elevado, passavam com a equipe da fisioterapia, completando o circuito do pé.

Em torno de 150 pacientes foram submetidos a tratamento a laser de retina gratuitamente no dia do Mutirão, sendo que estes pacientes são completamente tratados no decorrer do ano, e os pacientes com Retinopatia Diabética importante , mas ainda sem indicação de tratamento são monitorados no setor de retina durante o ano com exames de retina agendados graças ao apoio da Secretaria Municipal da Saúde. Lembrando que mais de 80% dos 1.400 pacientes avaliados tem fundo de olho normal e só precisam ser vistos no próximo ano ou seja no próximo mutirão, gerando proteção ao paciente e economia ao Sistema de Saúde.

Outras atividades adicionais não relacionadas ao Diabetes, mas importante para a Comunidade, como o cadastramento para doação de medula óssea (ONG Enaultinho Rocha), Testes de Detecção a Hepatite C realizados pelo Rotary e uma grande ação realizada durante o Mutirão do Diabético e em toda semana antes do evento, a detecção da Hanseníase, com a presença da Carreta de Combate a Hanseníase da NOVARTIS, que roda o Brasil, gerando um grande impacto pois segundo a Enfermeira Moema de Janeiro a Outubro 31 casos de Hanseníase foram diagnosticados em Itabuna, na semana da carreta até antes do Mutirão, em 1 semana 21 casos suspeitos foram detectados, e ainda funcionou no dia do Mutirão, passando o Município de media para alta endemicidade, e com isto os pacientes chegando ainda sem as incapacidades próprias da doença.

Sendo realizado um ato público de Celebração do Dia Mundial do Diabetes com a presença de Representantes do poder público como o Secretario Municipal da Saúde Dr. Paulo Bicalho e do Ministério da Saúde Sr. Eduardo Nilsson; Comandante da Marinha o Capitão de Corveta Luiz Carlos da Capitania dos Portos de Ilhéus, reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz, representantes da sociedade civil organizada: LIONS, Rotary, das Maçonarias, Ordem Demolay, entre outras entidades; a presença do Dr. Rubens Belfort Jr, vice-presidente da Academia Nacional de Medicina e presidente da Academia Brasileira de Oftalmologia, representando o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, Dra. Silvana Vianello diretora de Comunicação da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), Dr. Mauricio Aquino presidente da Regional Bahia da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV),além do apoio da FENAD, representado pelo Dr. Paulo Henrique Morales e da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). Além de parceiros privados importantes do Mutirão como a Novartis, Bahiagás, entre outros.

“O espírito do Mutirão deve permanecer durante todos os dias do ano, porque esse é um trabalho permanente”, disse a presidente da Associação dos Diabéticos de Itabuna, Dra. Marluce Leão. “Viemos aqui para acompanhar um projeto importante, para reproduzí-lo em Salvador e outras cidades da Bahia, o que impressiona não é apenas a estrutura, mas o comprometimento de centenas de voluntários”, destacou o Dr. Mauricio Aquino, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular-Regional Bahia. “O mutirão já é um patrimônio de Itabuna”, disse o secretário municipal de Saúde, Dr. Paulo Bicalho, que fez questão de destacar “o trabalho dos agentes comunitários, que atuaram durante todo o ano junto a comunidade nas ações de prevenção”. Para o Dr. Paulo Henrique Morales, da Federação Nacional das Entidades e Associações em Diabetes, “a maneira como os diabéticos são tratados, os cuidados com a prevenção e o número de pessoas beneficiadas fazem do mutirão um referencial na atenção à saúde”. A reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz, Adélia Pinheiro citou “a integração de professores e estudantes de universidades e faculdades de Itabuna e Ilhéus na prevenção de doenças e na promoção da saúde, resultando na melhoria da qualidade de vida”. Amauri Guerreiro, diretor da área de Oftalmologia da Novartis, disse que “é gratificante ver o resultado prático daquilo que fazemos em prol da saúde. Estamos felizes em sermos parceiros do Mutirão do Diabético, um evento que é feito com muita paixão e que está sendo seguido por outras cidades”.  Eduardo Augusto Fernandes Nilson, coordenador de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, ressaltou que “esse é um modelo para o país e o mundo, pelo foco na prevenção e pela garantia de tratamento aos casos de diabetes detectados. É uma experiência capaz de mobilizar e sensibilizar o sistema de saúde pública”. O Dr. Rubens Belfort Jr. afirmou que “o mutirão a cada ano fica melhor, atraindo pessoas de toda a região. É um evento que atrai a atenção de profissionais de várias partes do país, que estão aqui para conhecer e replicar o projeto”. Mais de 15 oftalmologistas de mais de 6 estados do Brasil vieram ajudar e também aprender o Know-how já sendo replicados com sucesso em outras cidades do Brasil.

O Mutirão do Diabético de Itabuna será apresentado no Congresso Mundial de Diabetes da International Diabetes Federation (IDF), a pedido do Dr. Gordon Bunyan, que era Vice-presidente da IDF, que acontece em dezembro em Vancouver, no Canadá, como um modelo a ser aplicado em outros países. Um motivo de orgulho para todos os que dão sua contribuição para um evento que é hoje motivo de orgulho para a cidade de Itabuna. O Dr. Gordon Bunyan enviou uma mensagem ao evento destacando o Mutirão do Diabético de Itabuna “como um dos principais eventos de prevenção do mundo, que deve ser levado a outros países em que  a população mais carente tem dificuldades de acesso ao sistema de saúde pública”

Participando pela terceira vez do Mutirão, no programa Balanço Geral Especial da Record TV Cabrália, a cantora Tays Reis, vocalista da Banda Vingadora, sucesso em todo o país, disse que “praticamente começamos nossa carreira aqui e hoje, mesmo com shows pelo país, fazemos questão de prestigiar esse evento que leva saúde para milhares de pessoas. É tudo muito bem organizado, as pessoas se dedicam, fico feliz em colaborar e espero estar aqui outras vezes, porque essa é minha terra e a minha gente”.

O Mutirão do Diabético foi encerrado com a apresentação do Balanço Geral Especial, comandado por Tom Ribeiro, pela Record TV Cabrália, que além de depoimentos sobre prevenção, contou com as presenças de Tays Reis da Banda Vingadora, Mari Antunes da Banda Babado Novo, entre outros artistas, transmitido para todo sul, extremo sul e sudoeste da Bahia.

O Mutirão do Diabético encerra então um Novembro Azul intenso na cidade de Itabuna que durante todo o mês de novembro a Comunidade foi mobilizada com a 1a Caminhada Azul com em torno de 600 participantes, a 4a Pedalada Azul com quase 1.000 ciclistas, Desfile de da Camisa Internacional do Unidos pelo Diabetes no Shopping da Cidade, Campanha da Luz Azul com grande adesão, divulgação extensa do Combate ao Diabetes com campanhas publicitárias educativas durante todo mês na TV, radio e internet; capacitação de centenas de voluntários: universitários, saúde básica, agentes comunitários de saúde, entre outros.

“A cada ano o Mutirão ganha uma nova dimensão e já é reconhecido em outros países. Isso só é possível porque Itabuna se uniu em torno desse projeto, que hoje não pertence apenas ao Hospital de Olhos Beira Rio e à ASDITA, mas a toda a cidade”, disse o Dr. Rafael Andrade, coordenador do Mutirão do Diabético de Itabuna.