FUNDAÇÃO CULTURAL DE ILHÉUS

Tudo começou com o saudoso Pedro Matos (Pedrinho Matos), entusiasmado pela cultura fundou a SACI – Sociedade Artística Cultural de Ilhéus, que muito realizou  em prol da cultura da nossa cidade, promovendo Teatro ao Ar Livre, Oficinas  de Dança, violão, concurso de fotografia, poesias, redação, festivais de música a exemplo do projeto seis e meia, entre outras atividades artísticas e cultural. Vale salientar que Pedrinho Matos não tinha nenhuma renumeração por parte do governo municipal, vindo a falecer no ostracismo cultural. (Coisas de Ilhéus)

Com a evolução da cultura o Governo do então prefeito JR criou  o projeto de lei denominando Casa da Cultura de Ilhéus, através da Lei 1183 de 26/05/78 e posteriormente mudou para a razão social de Fundação Cultural de Ilhéus, cujo objetivo era incentivar, fomentar as diversas manifestações culturais e artístico, propriedade que fundamente sua função pública.

Infelizmente em 03/03/13 através da Lei 3.655 em seu artigo primeiro o próprio alcaide que criou a Fundação Cultural de Ilhéus, extinguiu sumariamente, criando em seu lugar a Secretaria Municipal de Cultura, sem consultar a classe artística de Ilhéus, somente para atender os interesses pessoais do ex-presidente daquela instituição, que veio de Salvador somente para presidir e nada realizou em prol da cultura local.

Infelizmente a classe artística não fez nenhum movimento contrário a extinção da FUNDACI, deixando os edis à vontade para votar em dez minutos favorável ao projeto do então alcaide.

A Fundação Cultural de Ilhéus teve sua época áurea  elaboração e execução de vários projetos culturais, através dos ex-presidentes do quilate de Nestor Amazonas, Acioly da Cruz Moreira, Professora Carminha Cardoso, Raimundo Pacheco Sá Barretto, Hélio Pólvora, Simone Barlleto, Adriana Silva, Professor Arleo Barbosa, Eugenia Silva e Mauricio Corso.

Estamos torcendo para que o atual alcaide nomeie o Ator, Escritor e Dramaturgo Pawlo Cidade, o qual é possuidor de um vasto currículo na área cultural, e que vem desenvolvendo seus projetos desde a época de Nestor Amazonas, além de contar com a aquiescência da classe artística local.

A  nossa cidade não precisa importar Secretário de Cultura, Pawlo Cidade reúne todas condições para desenvolver projetos culturais e executar, pois conta com uma excelente equipe de trabalho a exemplo de Paulo Rosário e demais funcionários.

Colaboração de Luiz Castro

Bacharel Administração de Empresa