Professores de Direito constitucional  da USP ,Conrad  Mendes e Virgílio Afonso,  afirmam que há excesso de individualismo no STF, e tal situação prejudica a qualidade das decisões e atuação institucional da corte.
O   Jornalista Luiz Maklouf Carvalho, instigou a comunidade jurídica a debater a historia do supremo tribunal federal na época da ditadura militar. O que os defensores da constituição fizeram quando a constituição de 1946  mais precisava. Poucos sabem. Depois do julgamento da ADPF 153, julgada em 28 abril de 2010, sobre a aplicação da lei da anistia os questionamentos sobre o STF e a ditadura militar de 1964 aumentaram.
O judiciário, depois da Constituição de 1988, ganha um protagonismo  muito grande. O cidadão brasileiro começou a procurá-lo, até porque o acesso à Justiça lhe era negado.
A crise na república tupiniquim envolve o judiciário de forma violenta, como acreditar num poder que se  mostra acovardado.
Chamado   resolver tudo  com um  ativismo impressionante,  começa  a extrapolar suas atribuições  e passa a ter atuação em áreas que não seriam consideradas seu campo de atuação.Tornaram-se Deuses,os verdadeiros salvadores da pátria.
O Judiciário se politizou.  Há atuações de figuras muito midiáticas, como Gilmar Mendes, no STF e Durango Kid e Deltan Dallagnol, na república de Curitiba. E quando os órgãos de imprensa condenam,  o Judiciário ratifica uma posição já pré estabelecida. Pratica-se pois, o indesejável populismo judicial.
Faz-se necessário um roteiro com o objetivo de resguardar  a  importância  que o judiciário  tem numa verdadeira democracia .Temos urgência,.Conrad Mendes, Virgilio Afonso,Luiz Maklouf, se juntem a Marcelo Lavanere e tente salvar essa merda……..
 
TONHODEMACUCO
MARÇO2017
 III = http://www.r2cpress.com.br/v1/2017/06/10/esculambou-geral-iii/