WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


Abril 2018
D S T Q Q S S
« mar   maio »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  






:: 23/abr/2018 . 18:14

VEM SÃO JORGE ACUDIR A TEU POVO!

HINO DE SÃO JORGE

  1. Ó valente soldado romano, mais valente soldado da Cruz!

Tu venceste os ardis do tirano, deste a vida por Cristo Jesus.

Vem São Jorge acudir o teu povo, contra a insídia do fero Dragão.

Refalsado ele ataca de novo, na heresia e no culto pagão.

  1. O teu sangue orvalhou Nicomédia, arrancando-a ao poder de Satã.

E na Ilíria e Dalmácia e na Média floresceu a seara cristã.

  1. Quatro séculos já se escoaram, desde o dia no qual nossos pais

a São Jorge esta Igreja sagraram em tripúdios de fé sem iguais.

  1. Teu louvor nunca foi interrompido, Santo Mártir,

no povo de Ilhéus fiel sempre e cristão destemido, pois que velas por ele nos céus.

  1. Teu constante favor, tua benção, este povo bem sente e bem vê.

Sê, tu, a guarda à pureza da crença e ao tesouro divino da Fé.

 —

Por Paulo Costa

PASCOM – Diocese de Ilhéus

Mais um corpo encontrado em Ilhéus

Na manhã desta segunda-feira um segundo corpo encontrado na cidade de Ilhéus, dessa vez boiando debaixo da ponte Lomanto Júnior, localizada no bairro Pontal.

LUIZ CASTRO EM: DECOLORES

História de Ilhéus

A história de Ilhéus remonta a época das capitanias hereditárias, quando D. João III doou vasta extensão de terra, 50 léguas de largura, ao donatário Jorge de Figueiredo Correia, escrivão da corte real. Instalada em 1535 na Ilha de Tinharé, antigo domínio da Capitania de Ilhéus, a sede administrativa logo se mudou para a região da Foz do Rio Cachoeira, a chamada Baía de Ilhéus. Ainda que se falasse da terra as maiores maravilhas, o donatário da Capitania preferiu o luxo e o fausto da corte, enviando o déspota espanhol Francisco Romero para representá-lo na admini- stração da capitania, ademais, enfrentar e depois pacificar a bravura dos índios tupinambás.

Vila de São Jorge dos Ilhéus Logo, a amizade dos colonizadores com os nativos tornou possível a fundação cultural da Vila de São Jorge dos Ilhéus, que se transformou em freguesia em 1556 por ordem de D. Pero Fernandes Sardinha. Considerada por Tomé de Sousa como “a melhor coisa desta costa, para fazenda” a região se tornou produtora de cana-de-açúcar e ganhou muitas construções. Mas, com a chegada dos ferozes índios Aimorés, que passaram a atacar as plantações, Ilhéus sofreu o declínio econômico que resultou em decadência. No século XVIII com a importação de mudas de cacaueiros da Amazônia e sua notável adaptação à condições climáticas da região, Ilhéus viu brilhar diante de si um novo eldorado. O cultivo do cacau passou a gerar um número sem fim de histórias, receadas de cobiça, amores e lutas pelo poder, formando um terreno fértil para os romances de Adonias Filho e Jorge Amado, onde narram as paixões desenfreadas dos coronéis por dinheiro, mulheres e terras.

Doação da Capitania de Ilhéus – 1534 A carta da doação da Capitania de Ilhéus a Jorge de Figueiredo Correia foi assinada em Évora a 26 de junho de 1534. O donatário mandou em seu lugar o preposto Francisco Romero, que primeiro se instalou na ilha de Tinharé, onde fica o Morro de São Paulo e depois, quando descobriram o que seria mais tarde a Baía do Pontal, se encantaram e fundaram a sede da capitania, dando o nome de São Jorge dos Ilhéus, uma homenagem ao donatário Jorge e Ilhéus, devido à quantidade de ilhas que encontraram no seu litoral. Além das que existem ainda hoje, como a Pedra de Ilhéus, Ilheusinho, Pedra de Itapitanga e a Ilha dos Frades, os morros de Pernambuco e o atual Outeiro de São Sebastião também eram ilhas. :: LEIA MAIS »

Corpo encontrado na praia da avenida Soares Lopes

Vulgo Paulistinha foi encontrado morto na praia da avenida Soares Lopes, conhecido nas mediações do Centro de Ilhéus, por tomar conta de carro na frente no cinema.

 

 























WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia