O título desse nosso comentário reflete bem quanto os políticos está levando a sério o nosso país! Verdadeiramente a população que assistiu o debate realizado na noite de quita-feira (9) pela Band, o primeiro debate presidencial, foi marcado por um tom de pouco rigor, e, no entanto, com eventuais faíscas, e também pela atuação, na qualidade de mediador, do jornalista Ricardo Boechat. Nas redes sociais, seus usuários achavam divertidos com a forma menos rígidos e até hilariante com que o assunto de grande relevância, na forma com que foram tratados os postulantes à presidência da nação brasileira.

Refletindo bem, notamos que os eleitores brasileiros não podem ainda julgar a quem confiar os contraditórios destinos do Brasil. O que assistimos foram acusações pessoais e muitas em tons de deboches entre os candidatos. Não se pode saber quem ganhou o debate, mas quem perdeu foram as pessoas que adiaram o descanso de sono, para dormir às 3h30 da manhã e muitos com certeza não conseguiram pregar o olho, porque ficaram imaginando que o melhor do debate foi o boechat, da própria rede de tv transmissora do debate, sem nenhuma prerrogativa para trazer de volta a ética e moralidade das administrações brasileiras.

Tem momentos que não podemos entender até que ponto chegam os limites de certos pessoas que não procuram preservar as suas inespresivas qualidades em determinados assuntos, tendo seu sentimento de desconforto intransigente de avaliar a si próprio. Nesse debate, uma coisa nos chamou a atenção. Observamos o silêncio antes de o candidato Meireles comentar a resposta do outro Daciolo. Notamos que o Bolsonaro e Boulos seguraram o riso diante da fria em que botaram o ex-ministro. Durante o encontro, o apresentador foi flexível quanto ao controle do tempo, pediu a colaboração dos candidatos e os alertou sobre questões que haviam deixado de ser respondidas – uma prática para lá de comum entre politicos malandros e calculistas.

O momento que ganhou as redes, porém, foi quando o presidenciável do PDT, Ciro Gomes, pediu para usar em uma resposta a seu opositor, Cabo Daciolo (Patriota), o tempo do qual havia aberto mão em outra. “Eu tinha deixado um minuto para trás”, disse. “Isso é verdade, mas perdeu“, rebateu Boechat, ao que foi possível ouvir Ciro dizer ao fundo “perdeu playboy”. O jornalista, então, repetiu em alto e bom tom a mesma frase, causando risos da plateia. “Parafraseando o candidato. A frase foi dele”, ressaltou. Sem a concessão, Ciro não pôde terminar seu debochado argumento. Assim, pode-se analisar a falta de bom senso, responsabilidade e honestidade na discussão de assuntos inerentes aos problemas os quais cruciam de nosso país.

Oito candidatos à Presidência da República participaram na noite desta quinta-feira (9) de um debate na TV Bandeirantes. O debate, primeiro da eleição 2018, durou 3 horas e 13 minutos e terminou na madrugada desta sexta (10). Podemos dizer que não podemos sentir que o Brasil terá uma nova administração pública dentro dos requisitos relacionados a tantos problemas sociais, morais e econômicos. A dificuldade é acreditar nos candidatos que conversam tantas coisas fantasiosas, se transformam em salvadores da Pátria, e até se ridicularizam quando prometem sanar dividas de mais de 63 milhões de brasileiros endividados, o que achamos uma tremenda falta decoro e respeito a nossa população, como afirmou um deles nesse debate.

Chega de tantas mentiras e posições nojentas que não fazem parte das soluções para mudar o Brasil. Os noticiários relatam a nova pesquisa do Ibope informando que 41% dos eleitores estão indecisos sem candidatos. Alguns otimistas poderão até dizer que não há motivo para pessimismo, pois o grande número de desorientados constitui uma oportunidade fantástica para o surgimento de novas lideranças moralizadoras, pois os que estão aí causam tremendas duvidas em suas futuras condutas. Nas escolhas dos representantes da política brasileira o que preocupa a todos é o dia de amanhã, e que fazer para consertar novos deslizes de desgovernos do Executivo e Congresso Nacional. PENSEM NISSO!!!

Eduardo Afonso – Ilhéus-Bahia.