A empresa responsável pelo Sistema Ferry Boat da Baía de Todos os Santos acatou a recomendação da Defensoria Pública da Bahia para dar maior segurança no embarque e desembarque de passageiros. A recomendação também foi direcionada para Agência Estadual de Regulação de Serviços- (Agerba). Com isso, os passageiros já contam com zonas de proteção ao embarcar ou desembarcar das embarcações.   Os pedidos eram para impedir o acesso de pedestres às áreas reservadas aos veículos, utilização das plataformas exclusivas para eles e a devida sinalização. Segundo o defensor público Alan Roque, que em Itaparica e utiliza diariamente o sistema hidroviário, está havendo uma separação mais cautelosa entre passageiros e veículos e a instituição continuará a acompanhar o cumprimento das medidas. “Note-se que o período de feriado aumenta muito o fluxo, mas a cautela vem sendo cumprida”, destacou Alan Roque, que junto à defensora pública Maia Gelman expediu o comunicado com as recomendações à Agerba e à Internacional Travessias – empresa concessionária de serviço público responsável pelo Ferry Boat.   Conforme a Internacional Travessias, em resposta às recomendações, o acesso dos passageiros acontece em regra pelos “genteodutos” (passarelas exclusivas para pedestres), mas usam excepcionalmente as pranchas principais quando há indisponibilidade dessas passarelas, por conta de manutenções ou quando a maré torna insegura a passagem.  A concessionária argumentou também que, por conta do contrato de concessão, em algumas embarcações não há genteodutos, mas a travessia é feita “de forma absolutamente isolada dos veículos”. No documento oficial, a empresa colocou-se à disposição para acolher propostas e recomendações da Defensoria e da Agerba “que visem elevar a qualidade dos serviços prestados”.