POLUIÇÃO VISUAL

Por Luiz de Oliveira Alves

Graduado em Ciências Biológicas (UNIFESO, 2014)

A poluição visual se dá quando as informações visuais estão em excesso ou algum fator que cause algum estresse estético no ambiente que afeta a qualidade de vida dos seres humanos. Podendo ou não atuar junto com a poluição luminosa, a poluição visual é encontrada em áreas urbanas, principalmente em áreas comerciais pelo excesso de propagandas. As propagandas visuais modificam as paisagens podendo causar acidentes automobilísticos devido as distrações ao volante.

Poluição visual. Osaka – Japão.

Foto: Perati Komson / Shutterstock.com

 

Além das propagandas, outra fonte de poluição visual são os cabos entrelaçados a postes e as pichações, que acarretam na desvalorização do valor histórico de vários prédios e monumentos históricos desviando a atenção da população.

Pichações, além de serem consideradas poluição, são consideradas crime ambiental e vandalismo, além de afetar a microeconomia local com os seus reparos, o ato de pichar em muros muitas das vezes está associado a marcação de território de gangues. A punição por pichamento pode chegar a um ano de prisão além de multa. A pichação é a única poluição visual que é considerada crime pela legislação Brasileira.

A sua exposição prolongada afeta a saúde humana provocando desconforto visual, estresse e até transtornos a saúde mental. Em casos de muita repetição da mesma propaganda, o comerciante pode ter uma reação negativa, no qual a população passa a ignorar pela alta descarga de informações. Tais propagandas incentivam o consumo excessivo, no qual acarretam obesidade, tabagismo, alcoolismo e o aumento em produção de lixo e resíduos, principalmente no descarte dos materiais utilizadas na produção de tais propagandas.

No Brasil, fica explícita a poluição visual em períodos de eleições, no qual se encontra, além das propagandas consumistas e de serviços, as propagandas eleitorais em muros de casas, em carros, postes e placas de utilidades públicas além dos panfletos de propaganda eleitoral espalhados pelos chãos em vias e estabelecimentos públicos, acarretando em outros tipos de poluição e desmatamento. Os municípios são os responsáveis pela fiscalização da poluição visual de acordo com a lei 6.938/81 publicada em 31 de agosto de 1981.

Em São Paulo a “Lei Cidade Limpa” proibe propagandas em carros, motos, ônibus, bicicletas, muros, laterais de prédios, praças, viadutos, ruas, túneis e coberturas. Além de limitar o tamanho dos anúncios, tal lei especifica que os estabelecimentos só podem ter uma única fachada contendo todas as informações ao público. Tal lei foi criada no intuito de preservar a memória histórica e cultural da cidade.

Referências:

http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/Cartilhas/Lei%20Cidade%20Limpa.pdf

http://sites.uepb.edu.br/biofar/download/v2n2-2008/06-poluicao_visual.pdf

 

DO QUE É FEITO O FERMENTO?

O fermento é um ingrediente bastante usado para o preparo de pães, bolos, biscoitos, entre outras receitas, fazendo com que ao serem preparados, esses alimentos cresçam e fiquem “fofinhos”. Esse ingrediente normalmente é o último a ser adicionado, de forma que não começará a agir antes da hora esperada. Por exemplo, ao mexer por muito tempo uma mistura para bolo com o fermento, este poderá começar a agir, e sua reação, baseada em um gás (como será explicado a seguir), acabará perdendo o efeito, já que as bolhas sairão da massa. Entretanto, a maioria das pessoas não sabem do que exatamente é feito o fermento. Antes de mais nada, precisamos entender que existem basicamente dois tipos de fermento: o fermento biológico e o fermento químico. Vamos entender, abaixo, a diferença entre eles e do que são feitos.

Fermento biológico

Composto por fungos microscópicos vivos, o fermento biológico pode causar estranheza, mas trata-se de fungos benéficos. Apesar de parecer estranho um ingrediente usado em alimentos ser feito de fungos, temos que lembrar que o fungo não é somente aquele mofo desagradável que contamina os alimentos, mas também ingrediente para alimentos, além de serem, alguns, próprios para consumo, como os próprios champignons, que são cogumelos, ou seja, fungos, comestíveis. Chamamos esses fungos do fermento biológico de leveduras, que são conhecidos cientificamente pelo nome de Saccharomyces cerevisiae.

À base de bicarbonato de potássio, esse fermento age com a interação entre os fungos vivos e a glicose da farinha, sendo que se alimentam desta. Da digestão é produzido o gás carbônico, responsável por fazer a massa crescer.

O processo é um pouco demorado, e por isso há necessidade de deixar o pão descansar, e os fungos acabam morrendo no forno, quando aquecidos. Este deve ser usado em pães e massas de pizza, mas sempre deixando descansar para crescer

Fermento químico

O fermento químico, por sua vez, é feito com base em bicarbonato de sódio e algum ácido que, juntos, sofrem uma reação que libera as mesmas bolhas de gás carbônico. No caso, trata-se de substâncias que se tornam ácidas quando em contato com líquidos, ou ainda durante seu aquecimento. Já quando estamos batendo a massa do bolo, a reação tem início, mas seu auge acontece somente quando o bolo está no forno.

Este fermento, normalmente é usado em bolos e biscoitos.

Fonte:

https://www.sitedecuriosidades.com/curiosidade/do-que-e-feito-o-fermento.html

AQUELA BOLA

Luis Fernando Veríssimo

Na volta do jogo, o pai dirigindo o carro, a mãe ao seu lado, o garoto no banco de trás, ninguém dizia nada. Finalmente o pai não se aguentou e falou:

– Você não podia ter perdido aquela bola, Rogério.

– Luiz Otávio… – começou a dizer a mãe, mas o pai continuou:

– Foi a bola do jogo. Você não dividiu, perdeu a bola e eles fizeram o gol.

– Deixa o menino, Luiz Otávio.

– Não. Deixa o menino não. Ele tem que aprender que, numa bola dividida como aquela, se entra pra rachar. O outro, o loirinho, que é do mesmo tamanho dele, dividiu, ficou com a bola, fez o passe para o gol e eles ganharam o jogo.

– O loirinho se chama Rubem. É o melhor amigo dele.

– Não interessa, Margarete. Nessas horas não tem amigo. Em bola dividida, não existe amigo.

– E se ele machucasse o Rubem?

– E se machucasse? O Rubem teve medo de machucá-lo? Não teve. Entrou mais decidido do que ele na bola, ficou com ela e eles ganharam o jogo.

– Você está dizendo para o seu filho que é mais importante ficar com a bola do que não machucar um amigo?

– Estou dizendo que em bola dividida ganha quem entra com mais decisão. Amigo ou não.

– Vale rachar a canela de um amigo pra ficar com a bola?

– Vale entrar com firmeza, só isso. Pé de ferro. Doa a quem doer.

– É apenas futebol, Luiz Otávio.

– Aí é que você se engana. Não é apenas futebol. É a vida. Ele tem que aprender que na vida dele haverão várias ocasiões em que ele terá que dividir a bola pra rachar e….

– Haverá – disse Rogério, no banco de trás.

– O quê?

– Acho que não é “haverão”. É “haverá”. O verbo haver não…

– Ah, agora estão corrigindo meu português. Muito bem! Eu não sou apenas o pai insensível, que quer ver o filho quebrando pernas pra vencer na vida. Também não sei gramática.

– Luiz Otávio…

– Pois fiquem sabendo que o que se aprende na vida é muito mais importante do que o que se aprende na escola. Está me ouvindo, Rogério? Um dia você ainda vai agradecer ao seu pai por ter lhe ensinado que na vida vence quem entra nas divididas pra valer.

– Como você, Luiz Otávio?

– O quê?

– Você dividiu muitas bolas pra subir na vida, Luiz Otávio? Não parece, porque não subiu.

– Ora, Margarete…

– Conta pro Rogério em quantas divididas você entrou na sua vida. Conta por que o Simão acabou chefe da sua seção enquanto você continuou onde estava. Conta!

– Margarete…

– Conta!

– Eu estava falando em tese…

 

 

O PENSAMENTO DA SEMANA

Realize o seu sonho, você mesmo vai ter que fazer isso…eu não posso acordar você. Você é quem pode se acordar. Porque nós estamos no mundo? Certamente não para viver com medo e dor. Nós todos brilhamos como a lua, as estrelas e o sol…”John Lennon”

 

CURIOSIDADES


A Antártida é o único continente que não tem nenhuma zona terrestre abaixo do nível do mar.

A barba mais longa media 1.83 metros e pertencia ao indiano Shamsher Singh. A medida foi feita desde o queixo até à ponta da barba, em 18 de Agosto de 1997.

A biblioteca da Universidade de Indiana afunda 2 cm por ano porque, quando foi construída, os engenheiros esqueceram-se de incluir o peso dos livros no cálculo das fundações.

A cada ano, 98% dos átomos do nosso corpo são substituídos.

A Coca-Cola era originalmente verde, e a Islândia é o país com o maior consumo per capita do mundo.

Fonte:

https://www.naosalvo.com.br

 

A POESIA DA SEMANA

BEIJO ETERNO

Castro Alves


Quero um beijo sem fim,

Que dure a vida inteira e aplaque o meu desejo!

Ferve-me o sangue. Acalma-o com teu beijo,

Beija-me assim!

O ouvido fecha ao rumor

Do mundo, e beija-me, querida!

Vive só para mim, só para a minha vida,

Só para o meu amor!

Fora, repouse em paz

Dormindo em calmo sono a calma natureza,

Ou se debata, das tormentas presa,

Beija inda mais!

E, enquanto o brando calor

Sinto em meu peito de teu seio,

Nossas bocas febris se unam com o mesmo anseio,

Com o mesmo ardente amor!

Diz tua boca: “Vem!”

Inda mais! diz a minha, a soluçar… Exclama

Todo o meu corpo que o teu corpo chama:

“Morde também!”

Ai! morde! que doce é a dor

Que me entra as carnes, e as tortura!

Beija mais! morde mais! que eu morra de ventura,

Morto por teu amor!

Quero um beijo sem fim,

Que dure a vida inteira e aplaque o meu desejo!

Ferve-me o sangue: acalma-o com teu beijo!

Beija-me assim!

O ouvido fecha ao rumor

Do mundo, e beija-me, querida!

Vive só para mim, só para a minha vida,

Só para o meu amor!

 

 

A PIADA DA SEMANA

SEGREDO DO CARRO


Um homem estava perdido no deserto, mas encontrou um vendedor de carros que lhe disse:

– Vou te vender este carro quase de graça, mas ele tem um segredo que só posso lhe contar após a compra.

O homem fez só fez um questionamento:

– Se este carro funcionar eu não me importo qual é o segredo.

O vendedor então entregou o carro para o homem e em seguida contou o segredo:

– Para andar com este carro você tem que dizer “ufa” e para parar tem que dizer “aja Deus”.

O homem ainda suspeitando do vendedor entra no carro e diz:

– Ufa!

O carro começa a acelerar até atingir uma velocidade muito alta. O homem então percebe que o deserto acabou, mas um precipício está se aproximando e ele grita:

– Aja Deus!

O carro freia de uma vez e após derrapar por dezenas de metros para a poucos centímetros da borda. O homem olha aliviado para a beirada do precipício e exclama:

– Foi por pouco… Ufa!

 


oOo

Acessar:

 www.r2cpress.com.br