Por Gustavo Kruschewsky

LAMENTÁVEL! Tenho percebido traços fortes nos discursos de campanha eleitoral 2018 de todos os candidatos – tanto do legislativo quanto do executivo – e chego à conclusão que a oligarquia do Estado Brasileiro vai continuar, onde tudo continuará controlado por meio de “regulamentações rígidas” e o assistencialismo é a meta de todos eles. As pessoas que vivem na linha da mediocridade ficarão na miséria eternamente, sofrerão muito mais por não terem poder de escolha…. Será esse o Brasil que se quer para o futuro? E a ingenuidade da grande maioria do povo brasileiro é gritante…Mais uma vez, LAMENTÁVEL!

É preciso fazer valer no Brasil a legalidade da candidatura avulsa, sem precisar ser filiado a PARTIDOPATA, e assim, através de regras estabelecidas, registrar o nome para o exercício de qualquer missão política, tanto no legislativo quanto no executivo, a fim de disputar uma eleição. Tem gente competente e bem-intencionada que poderá prestar serviços efetivamente para o bem da sociedade brasileira acabando de vez com a burocracia exagerada, com a comilança da cobrança de impostos e se ter um verdadeiro livre mercado em que haja a dicotomia entre o Estado e empresas livres.

Não me canso de ouvir o jurista Modesto Carvalhosa – gritando por uma restauração da democracia no país e aqui eu ajudo a fazer o coro – quando ele prega em seu mais recente livro intitulado DA CLEPTOCRACIA PARA A DEMOCRACIA EM 2019, diz ele: “Na restauração do regime democrático no Brasil, em substituição à cleptocracia reinante, impõe-se uma nova regra constitucional de igualdade absoluta de tempo de propaganda eleitoral gratuita para todos os candidatos, sejam eles inscritos pelos partidos, sejam independentes.

É preciso acabar com essa patifaria no Brasil, onde prevalece o “poder” de poucas pessoas pertencentes a vários partidopatas, onde fica caracterizado e provado que são escancaradamente FACÇÕES – até mesmo interligadas – dirigindo a coisa pública e por efeito colocando mais gente ingênua na condição de sub-pessoa e por causa do famigerado e antidemocrático FORO PRIVILEGIADO eles ficam impunes e continuam praticando atos criminosos até o término do mandato e muitas das vezes são reeleitos.

E a insegurança da constituição federal prevalece dizendo que o poder “EMANA DO POVO”.

VAMOS CRIAR UMA NOVA CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA!!!

POR OUTRA VERTENTE, VALE DIZER, QUE UM PAÍS QUE RESPEITA O SEU POVO DEVE TER 100% (CEM POR CENTO) DE INFRAESTRUTURA EM SANEAMENTO BÁSICO! NADA DISSO ACONTECE NO BRASIL! DESSA FORMA O SUBSOLO SERÁ DRASTICAMENTE DETERIORADO E DESTRUÍDO E O FUTURO DOS NOSSOS FILHOS E NETOS SERÁ AMARGANDO ENFERMIDADES.

Vê-se, nessa infernizada campanha eleitoral de 2018 a grande maioria da turma de eleitores abafada, parecendo adolescente que se apaixona perdidamente! É o que se percebe em muitos eleitores que matam e morrem por Haddad, esquecendo-se que ele já teve oportunidades em várias funções públicas e foi pífio. Prefeito de São Paulo e Ministro de Educação que nada fez por ela, acresce que responde processo judicial relacionado com sua “gestão” quando foi alcaide naquela capital. E os desavisados Bolsonaristas desenfreados que

também, ou não sabem, ou esqueceram que o seu candidato permaneceu 27 anos deputado federal e só viu aprovado apenas dois projetos, também é réu em processos criminais.

Todos os dois dizem em seus discursos repetidas vezes “que vão fazer diferente”, que “representam o novo”. Faz-me lembrar de Collor de Melo, quando candidato à presidente da república, dizia que seria o caçador de marajás, e deu no que deu.

A impressão que fica é que muitos eleitores brasileiros agem como crianças, ingênuas e inocentes e sem conhecimento, que acreditam em contos de fadas e são enganadas facilmente pelos mais velhos. Fica parecendo que existe no Brasil uma dinastia de ingênuos que são enganados pelos politiqueiros entra ano, sai ano.

Esse – DENTRE TANTOS OUTROS – é um dos principais motivos que o Brasil continua atrasado.

Faz-me lembrar, parte da contracapa do livro -Por que o BRASIL é um país atrasado? Autoria de LUIZ PHILIPPE DE ORLEANS E BRAGANÇA e se chega à conclusão que muitos brasileiros infelizmente não conhecem e não sabem diferenciar “as bandeiras legítimas na construção e defesa de um Estado de Direito moderno e de sucesso”, do que está acontecendo com o Brasil há muito “um Estado autocrático e interventor, fato que atingiu seu ápice com a Constituição de 1988”.