WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


dezembro 2018
D S T Q Q S S
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  






:: 3/dez/2018 . 20:07

Indicação ao prêmio Nobel de literatura traduz e publica autor baiano em Paris

Um dos mais prolíficos poetas europeus contemporâneos, Athanase Vantchev de Thracy, 78 anos, traduziu para o francês e publicou em Paris o livro Arresto (Arrestation), do escritor baiano Bernardo Almeida. De acordo com Athanase, indicado ao Prêmio Nobel de Literatura de 2019, nos discursos poéticos da obra, às vezes confessionais, o autor desenvolve e expõe um conjunto de “sensações ricas e difíceis de definir, como evidencia a eloquente série de palavras ou qualificadores que buscam transformar o todo em profusão”.

Além de especificar ou enriquecer o pensamento linguístico e poético, segundo o tradutor, essas acumulações estéticas têm um acentuado valor estilístico. “Elas combinam com a concisão dos versos e o florescimento das assonâncias, tornando o livro rico pela poesia oral – numa série de ladainhas que estão profundamente enraizadas no espírito e se estabelecem lá, como um incentivo para entender a dureza e complexidade de um mundo cruel, onde o amor é uma luta, violência em uma vida que se assemelha à existência do poeta”.

 Para o francês, em Arresto, o baiano Bernardo Almeida se revela um poeta da condição trágica e heroica do homem, “perdedor – cuja imensa dignidade não permite que nada se tire dele, ainda que tão baixo caia, porque luta, mesmo sem esperança, e especialmente sem esperança”, sentencia o tradutor Athanase Vantchev de Thracy, na apresentação do livro.

Intelectual búlgaro radicado há mais de 50 anos na França, Athanase assinala que Arresto é uma obra marcada pela reunião de três gêneros. “Um deles é quase aforístico, em seus breves poemas; outro combina elegância realista, até crueldade e filosofia da existência; e, finalmente, os poemas-narrativas nos apresentam destinos ou fatias de vida de personagens em luta – com astúcia – contra um destino oposto”, afirma de Thracy, que editou o livro na capital francesa, pelo Institut Culturel de Solenzara, neste ano.

A entidade foi criada na década de 1980 por um grupo de personalidades que tinha como objetivo dar visibilidade a obras de grandes poetas e autores eminentes, por meio de uma organização oficial. Entre os fundadores do instituto, o ex-primeiro-ministro da França e ex-presidente da Assembleia Nacional, Edgar Faure, membro da Academia Francesa, assim como o professor da Sorbonne, Jean Bernard, o filósofo Jean Guitton, o escritor soviético Julian Semenov e o cantor francês Charles Aznavour, morto este ano. :: LEIA MAIS »

Inscrição para credenciamento de grupos culturais termina nesta sexta-feira em Ilhéus

POR SECOM

Termina nesta sexta-feira (7), na sede da Secretaria da Cultura de Ilhéus, a inscrição para credenciar grupos culturais do edital Artes na Rua. Podem participar grupos de teatro, culturas populares e de dança, performance circense, estátua viva, poeta, cordelista, contadores de história, djing, breakdance, graffiti, rapper, djing, breakdance e solo e pocket instrumental afro, a fim de compor a programação artística-cultural do verão 2018-2019. Pessoas físicas, MEI e jurídicas do campo artístico-cultural sediadas no município por cerca de um ano podem participar destas modalidades.

O secretário da Cultura de Ilhéus, Pawlo Cidade, informa que a primeira etapa de inscrição ocorre através do preenchimento de formulário disponibilizado no endereço eletrônico http://www.ilheus.ba.gov.br ou presencial, na sede da secretaria, situada no calçadão da Rua Jorge Amado, Centro Histórico, acompanhado de documentação obrigatória e artística.

A documentação deve ser entregue em dois envelopes lacrados e identificados: credenciamento artístico-cultural 2018-2019 categoria/modalidade, nome do grupo ou do projeto proponente. Em outro envelope, devem constar a documentação artística, credenciamento artístico-cultural 2018-2019, categoria/modalidade, nome do grupo ou nome do projeto proponente.

O processo de credenciamento se desenvolve da seguinte forma: inscrição, habilitação documental, apresentação do material artístico, análise e atribuição de pontos à pessoa habilitada, convocação e assinatura do contrato, com publicação resumida no Diário Oficial eletrônico do município. Os credenciados poderão participar de no máximo quatro apresentações artísticas em projetos, eventos e atividades culturais promovidos ou apoiados pela Prefeitura de Ilhéus durante o prazo de vigência do credenciamento.

 

CMS-ILHÉUS PRESENTE NA II MOSTRA INTEGRADA DE HUMANIZAÇÃO E SAÚDE DO TRABALHADOR DO SUS-BAHIA

Recentemente nos dias 29 e 30/11/2018, no auditório do HGE II e salão principal ocorreu o evento de humanização e saúde do trabalhador do SUS. As palestras foram muito interessantes, pois desdobravam os assuntos atuais e futuros em que vivemos e viveremos, ao inicio o coral vozes do SESAB fez uma linda apresentação para harmonizar o ambiente, logo após eis que surge com um discurso muito pessimista em relação à economia do país, e atua situação o pós doutor o Sr. UALLECE LIMA, professor da faculdade de economia da UFBA, senti orgulho dos alunos deste jovem, e talvez uma inveja, pois o mesmo retratou fatos econômicos tão fáceis de compreensão deste a revolução de 1964 até os dias atuais em 2018, fez uma explanação que deixou todos pensativos e a compreender os grandes riscos de como conduzir as palavras diante de relatos apavorantes, como por exemplo, debito enorme da previdência isso ficou bem claro que não existe debito ou déficit na previdência e sim uma maneira de esconder o alto debito que as grandes empresas no Brasil por falta de pagamento e não são nem se querem notificadas ou multadas ou até imposta para que paguem ai sim nosso debito que o governo insiste tanto em dizer que somos nós que trabalhamos muito e quando nos aposentamos além de ser uma pequena quantia que comparada a aposentadoria de políticos não chega a 2%, e quando a começamos a receber será tão insuficiente para pagar nossas despesas básicas para sobrevivência, como alimentação, transporte e os medicamentos das doenças que adquirimos durante o tempo de trabalho, em lugares insalubres, onde a discórdia e a concorrência entre técnicos capacitados e técnicos indicados politicamente sem base e sem a humanização para com os pacientes e no momento do atendimento desconta-se a ira que cada um guarda dentro de si, pois fala-se que quem as fezes é ferido sempre e não se tem resposta dos seus dirigentes para mudar o ambiente totalmente carregado de desanimo, descarrega seus problemas em quem não devia, se analisarmos bem esta ultima frase, todos nós em algum momento nos descontrolamos.

Mais voltemos a uma critica feita pelo nosso professor WALLECE LIMA, quem afirma que político não é profissão para que os parlamentares de diversas áreas se aposentem com salários altos e são sempre reajustados dentro do índice imaginário deliberativo que não existe e não compete para cada um deles, daí a maneira pela qual os políticos assim agem, nos tratam como itens descartáveis, foram eleitos ai detém um mandato de 4 e até 8 anos, e as pessoas que eles deveriam demonstrar a real política ficam descartados, com fome, sem remédios, sem assistencialismo social, jogados no mundo da vida que deveria ser por eles que se dizem políticos nem criam projetos para revolucionar tais problemas, interessante se faz para eles quando é do seu interesse próprio.

Neste final de semana me decepcionei com uma pessoa que não citarei nome, político de alto escalão na Bahia, mais através da representatividade da Maçonaria Regeneração Sul Bahiana 994, vi esta pessoa ser vaiada, ser pedido para que se retirasse do auditório, funcionários estaduais muito decepcionado e revoltados com o novo ( todos tem medo do novo pensei ) talvez ele tenha um objetivo para a melhorar na Bahia a sua pasta de atuação, e acompanhei os seus passos, vi sua melhora, sempre o recepcionei quando pela região estava , me atendia muito bem tinha o prazer de conversar pelo Zap e pessoalmente traçar metas para trazer para ilhéus e até veio pois muitos documentos protocolei no SESAB e fomos atendidos, ilhéus ganhou com isso, fiz pela minha cidade e pela minha Ordem Maçônica, eu sempre apoiado pelos 250 irmãos sempre estava solicito para auxiliar, mais este dia fatídico dia 29/11/2018 fui decepcionado pela pessoa ter passado por mim e nem ao menos me cumprimentou, (eleição ganha)marcamos um horário para uma conversa mesmo estando lá não nos atendeu, uma colega ligou e foi marcado para o outro dia após a saída do HGE,

quando adentramos na sala após esperar por quase 3 horas, entramos e com a máxima frieza fomos nós técnicos e estudiosos da mesa diretora do CMSI, tratados com uma frieza que parecíamos desconhecidos que nunca o vimos e nem conversávamos, me decepcionei bastante pois acreditei em algo que nunca existiu, sai da sala super constrangido e arrependido de ter levantado uma bandeira que nem o vento a soprava, senti muito doeu o coração mais foi apenas pelas pessoas humildes que planos tínhamos para ajudar, mais sei com o apoio que tenho dos meus irmãos da nossa Ordem, dos indígenas parentes, dos lideres de comunidades que sempre conversamos e traçamos metas, de alguns amigos dos distritos, sei que estarei sempre abraçado pelo amor do GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO. E que não me impossibilitará de dar continuidade em fazer o bem sem olhar a quem, progredir sempre.

DECOLORES: A VIDA DE BAR EM BAR

Os restaurantes e bares de nossa cidade, sempre foram ricos de estórias e causos, pois seus proprietários eram conhecidos e desfrutavam da nossa amizade.

Ser amigo de João Nepomuceno o popular Garangau era motivo de satisfação esdrúxula. Seu bar era no galpão da Estrada de Ferro era freqüentado por fazendeiros de cacau e profissionais liberais que gostavam de comentar à respeito da situação cacaueira. Tempos depois após o termino da EFI, mudou-se para Avenida Litorânea próximo ao Bairro do Malhado. Lá era servido iguarias baianas principalmente a deliciosa jacuba.

O restaurante Barravento de Jorge Maia, era por demais conhecido, ali fazia a moqueca de acordo o gosto do cliente. Era só escolher o peixe que a cozinheira executava. Bebia-se também aquela batida de amendoim ou maracujá. Aos sábados e domingos funcionava a Boate, com grande numero de freqüentadores.

O Tabuleiro da Baiana era localizado na Barra de Itaípe, era outra opção depois do Barravento, a feijoada era o prato preferido dos clientes.

No Pontal desfrutávamos do Restaurante Cabana da Sereia, do Velho França, onde se cozinhava na panela de barro deliciosas moquecas de camarão e mero, com aquele escaldado, além do famoso caranguejo com aquele molho lambão.

No centro da cidade conhecemos vários restaurantes, O Jangadeiro de Walter Delicadesa, onde sua especialidade era o filé a cavalo.

O Restaurante Paris, de Pedro Felinto, localizado na Rua Sete Setembro, servia aquele frango ao molho pardo. No Restaurante Caneca de Sr. Nô, sempre primou pelo bom paladar, principalmente quando o prato principal era cozido de verduras com jabá e carne com osso.

Não podemos esquecer do Restaurante Luana Beira Bahia do amigo Adalberto e Zenaide, onde era o point da juventude Ilheense.

Com referencia aos Bares mais freqüentados, lembro-me do Bar Ilhéus dos espanhóis Pepe e Manolo; Bar Campeão de Pedro Golias; Bar Esteirinha de Dorneles na Rua Sete de setembro; Bar Lago de Zequinha Lago; Bar Copacabana no Pontal de Quintino; Caldo de Cana Pif Paf de Turquinho; Cantina da Lua de Enock Mota; Bar Barral de Manolo Barral; Bar Maré Mansa de Erotides Carqueja; Bar Samburá de Humainá; Brasinha Bar de Dioney; Bar Sanchopança de Secundino e o Bar do Sergipe na Araujo Pinho e Bar dos Coronéis de José Lucas.

Hoje , não temos tantas opções como tínhamos antigamente, pois os restaurantes são self service e os bares são de poucas opções.

Luiz Castro

Bacharel Administração de Empresa

Navio Iron Trader volta à venda eletrônica pela Justiça do Trabalho de Vitória

Embarcação está atracado no Espírito Santo desde 2015

A Justiça do Trabalho de Vitória em parceria com a leiloeira Hidirlene Duszeiko,realiza venda eletrônica com recebimento de propostas de qualquer lugar do Brasil até o dia 03 de dezembro de 2018, às 16:00 horas pelo site[hdleiloes.com.br]hdleiloes.com.br.

Será ofertado para venda o Navio Iron Trader, embarcação que saiu da Turquia em 2014, com destino ao Brasil e África para realizar entregas, porém a empresa que havia solicitado os materiais cancelou a transação. O navio que pertence a Iron Group Inc. Turquia está atracado no Berço 902 da Companhia Docas do Espírito Santo – CODESA desde 2015. Avaliado em R$ 1,6 milhões, receberá propostas a partir de R$ 1.2 milhões.

O prazo para propostas de compra foi prorrogado até o dia 03 de dezembro e as mesmas deverão ser efetuadas pelo site [hdleiloes.com.br]hdleiloes.com.br, mediante cadastro prévio em até 24 horas antes da venda. Interessados podem obter informações mais detalhadas pelo site [hdleiloes.com.br]hdleiloes.com.brou então pelo 0800-707-9272.























WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia