WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom ponte ilheus embasa secom bahia


dezembro 2018
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  






:: 19/dez/2018 . 14:58

LUIZ CALDAS, TRIBO DE JAH E PIRILAMPO CONFIRMADOS NO RÉVEILLON DE ITACARÉ

O rei do axé music, Luiz Caldas, e a banda Tribo de Jah, um dos maiores nomes do reggae do Brasil, são algumas das atrações já confirmadas no réveillon 2018/2019 de Itacaré, que terá ainda shows com Padre Ednaldo e Banda, Pirilampo e DJ. A festa acontece a partir das 20 horas na Praia da Coroinha, orla da cidade, e contará ainda com um show pirotécnico.

Considerado um dos grandes nomes da música nacional e internacional, Tribo de Jah é uma banda de reggae brasileira que foi formada 1986 em São Luís, no Maranhão. A banda tem com sua característica peculiar, a presença de quatro músicos deficientes visuais que se conheceram ainda meninos, na Escola de Cegos do Maranhão e despertaram para a música utilizando-se de instrumentos velhos da escola (um piano do qual faltavam algumas teclas, um violão também sem uma ou outra corda e o baterista utilizava-se da escrivaninha da escola para marcar o ritmo) combinaram que seguiriam juntos no projeto da formação da banda de reggae.

Luiz Caldas é um cantor, compositor, multi-instrumentista, arranjador e produtor brasileiro, conhecido por ter sido precursor do axé, gênero musical que criou um novo movimento no circuito baiano na década de 80. Foi o inventor do ritmo que misturava o pop com reggae, toques caribenhos, ijexá, frevo e samba, presentes num ritmo que ganhou o apelido de “Deboche” (o chamado “Fricote”) que evoluiu para outros tantos ritmos lançados no carnaval baiano, consolidando-se no popular estilo, atualmente denominado “axé music”.

Prefeitura de Ilhéus remove barracas irregulares da Praia do Cristo

A Prefeitura de Ilhéus, por meio de uma ação conjunta entre a Secretaria de Serviços Urbanos e a equipe de Fiscalização e Postura da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável (Seplandes), retirou as estruturas fixas erguidas de forma irregular na Praia do Cristo, um dos principais atrativos turísticos na zona urbana da cidade. A ação, realizada na tarde de terça-feira (18), visa ao cumprimento da lei de uso e ocupação do solo, que não permite ocupação permanente em zona marítima, pré-estabelecida pela Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Segundo o gerente de gestão ambiental da Seplandes, Bruno Miranda, a ação de ordenamento da Praia do Cristo faz parte da Operação Verão executada pela Prefeitura de Ilhéus, a fim de garantir o conforto e segurança da população e dos turistas nas praias da cidade. Os comerciantes foram previamente notificados pelo setor de fiscalização municipal. “As notificações foram entregues em tempo hábil, para que os comerciantes saíssem de forma voluntária, evitando o mínimo de perda de materiais”, esclarece.

O gerente enfatiza também as questões legais em torno deste assunto. “O terreno da Praia do Cristo, como de toda a orla de Ilhéus, é de propriedade da União, regulamentado pela SPU. Os comerciantes do local não tinham nem autorização federal nem municipal para erguer estruturas fixas na praia”, explica Bruno Miranda.

Os comerciantes de alimentos e bebidas, segundo o gerente, também foram previamente informados que só poderiam atuar nas praias sem estruturas fixas. O assunto foi um dos temas de reunião realizada entre eles e representantes da Prefeitura, no último mês de novembro, quando ficou decidido a mobilidade do comércio de praia. De acordo com levantamento feito pela Secretaria de Industria e Comércio (Sedic), atualmente existem 28 ambulantes regularmente cadastrados e aptos para a comercialização na Praia do Cristo.

POR SECOM

NATAL – CELEBRAÇÃO E COMPROMISSO DE VIDA

“Natal é sempre um momento forte e muito especial na vida de todas as pessoas e, de um modo todo particular, para nós que somos cristãos. Todos os povos, todas as religiões, todas as culturas, cada um à sua maneira, recordam e celebram o grande acontecimento de Jesus.

Em Jesus, o filho de Maria e de José, é o próprio Deus que se encarna, se faz um de nós, que assume a nossa condição humana, menos o pecado, que vem viver no meio de nós para nos trazer a Vida, a Esperança, a Luz… “o povo que caminhava nas trevas viu uma grande luz. Sobre aqueles que habitavam a terra da sombra, uma luz resplandeceu”(Is.9,1). Jesus vem para nos conduzir à plenitude da vida: “Eu vim para que todos tenham Vida, e vida em abundância (Jo 10,10).

É portanto, a grande festa da Vida que nasce, que vem a nós, assim como é expresso em um dos cantos muito cantado nesse tempo: “Natal é vida que nasce; Natal é Cristo que vem; Nós somos o seu presépio, e a nossa casa é Belém” .

É Jesus que vem, por isso nos preparamos… Porque é um momento tão importante, nós, como comunidades cristãs, o preparamos com carinho durante as quatro semanas do tempo de Advento, que é tempo de espera daquele que está por chegar.

Ele vem e quer morar em cada um de nós (nós somos o seu presépio), em nossa família (a nossa casa é Belém), em nossas comunidades. E nós queremos acolhê-lo. Mas não queremos acolhê-lo de qualquer jeito, com a casa (coração) desarrumada, empoeirada, bagunçada. Por isso preparamos o ambiente: varremos toda a sujeira que foi se acumulando ao longo do tempo, enfeitamos a casa (através da oração e reflexão nos grupos de famílias, nas comunidades…), abrimos as portas para receber a Jesus que vem a nós e quer conosco morar, caminhar, acolhendo-o em todos os nossos irmãos e irmãs, especialmente naqueles com os quais Jesus se identifica e solidariza: os pobres, os doentes, as crianças, os idosos, os marginalizados, os pecadores.

O Natal nos ensina … O nascimento nos ensina muitas coisas que, se levadas para a vida, nos ajudam a ser melhores e a servirmos mais às pessoas. O fato de Jesus ter querido nascer menino, como nascemos todos nós, nos ensina que devemos, como cristãos, viver simplicidade, a alegria, a ternura, a confiança que são próprias das crianças. Viver, em outras palavras, a infância espiritual. O próprio Jesus quis viver aquilo que depois, no seu Evangelho, coloca como condição para fazer parte do seu Reino: ser como criança.

Jesus quis nascer numa estrebaria e ser colocado dentro de uma manjedoura, para nos ensinar que somos chamados a viver uma vida de desprendimento, que precisamos viver uma vida simples, sem apegar-nos às coisas materiais, ao luxo, ao bem-estar, mas confiando sempre em Deus e na sua Providência que nunca falha. Quer nos ensinar que a Vida e a felicidade verdadeiras não estão no ter, nas riquezas, mas aquilo que somos, no saber, a exemplo de Cristo, solidarizar-nos, a comprometer-nos com os

pequenos e marginalizados, partilhar nossos dons e nossos bens com todos. :: LEIA MAIS »

Ceia Natalina Solidária serviu mais de 100 refeições em Ilhéus

Uma nova corrente do bem está sendo formada para realizar a segunda edição da Ceia Natalina Solidária. Aproveitando o clima de comunhão e solidariedade, um grupo de voluntários vai oferecer refeições gratuitas para pessoas em situação de rua. A montagem da estrutura começa às 19 horas desta quinta-feira (20), na Praça J. J. Seabra, Centro de Ilhéus, em frente à Câmara de Vereadores.

A II Ceia Solidária não possui vínculos com igrejas ou partidos políticos, sendo um momento de confraternização. A ideia é repetir o sucesso do ano passado, quando foram servidas mais de 100 pessoas, entre adultos, jovens, crianças e idosos, com direito a sobremesas e bebidas não alcoólicas. Além das refeições, foram feitos cadastros de pessoas interessadas em reencontrar familiares ou receber apoio social.

Na primeira Ceia Solidária, foram reunidos, aproximadamente, 60 voluntários. Neste ano, é possível colaborar com a realização da através de doações ou oferecimento de trabalho voluntário. Para reforçar a iniciativa, basta entrar em contato com uma das organizadoras, Paula Trindade, pelo telefone (73) 99151-4315.

PARA HAVER SENTIDO

A campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro embora com a inseparável presença marcante do economista Paulo Guedes, tido como um ultraliberal de carteirinha (o “Posto Ipiranga” como o identifica para assuntos econômicos o ganhador da disputa), ela se fez mais enfática no combate à violência, ao crime organizado e à corrupção, não deixando muito clara a juízo deste escrevinhador, a política econômica a ser adotada. No entanto, vinculando-me a esta política, a cadeira do referido economista ao ser colocada na arrumação da casa numa das cabeceiras da mesa e a do deputado Onyx Lorenzoni, outro liberal e conhecido pela sua determinação na criminalização do Caixa Dois nas CPI(s) do Congresso, numa outra, indicam proposições neoliberais –significando, como preceitua o neoliberalismo, privatizações em massa, ajuste fiscal, nada de protecionismo econômico e elevação de impostos e tributos etc., etc., enfim, diminuir drasticamente o Estado na economia.

Porém às propostas do Posto Ipiranga de passar para o setor privado o Banco do Brasil e a Caixa Econômica como primeiro prato a ser servido e de cara ‘riscado do cardápio’ pelo gerente do estabelecimento, revela uma certa contradição na preparação.

Tal poda, comenta-se, pode ter a ver com o histórico de estatista de sua excelência. Seus votos –fora deputado federal por quase três décadas consecutivas– contrários às vendas das empresas Vale do Rio Doce em 1997 e Telebrás em 1998 são exemplos emblemáticos. Acerca de sua oposta posição em torrar nos cobres os bens da coletividade muito se foi e se é comentado o jocoso episódio em que o parlamentar promete ‘apagar’ FHC, então mandatário da Republica, por levar a cabo seu plano privatizante. Essas privatizações, vale recordar, ainda que tenham, com referência às telecomunicações, beneficiando de algum modo a vida de milhares de brasileiros no boom dos celulares, na transação –está registrado nos autos da imprensa– houve maracutaia da grossa, resultando em consequência a queda de ministros e autoridades envolvidas; quanto ao negócio com a multinacional mineradora o que se tem é que houve uma verdadeira ‘doação’ do patrimônio público. :: LEIA MAIS »

CLIENTE INSATISFEITO COM OS SERVIÇOS DOS CORREIOS

Ansioso pelo fim do monopólio dos Correios e pela sua privatização, fico mais uma vez indignado com o péssimo serviço prestado há anos por tal empresa. Difícil aceitar que um objeto chegue em Curitiba em 29.11 tenha a taxa de importação paga em 03.12 e ouvir para aguardar mais 45 dias até a chegada em Salvador… Urge a aplicação da Lei Ruaneles!





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia