O mundo passa por intensas transformações e a Igreja vive as grandes expectativas da carência de harmonia que traga a realizadora força da Universal fé cristã; afinal “o amor de Cristo nos deixa a maravilhosa mensagem de esperança da união”. Essa expectativa surge a fim de que a criatura “o ser humano”, possa ser comovido ou impressionado para seguir o rumo de boas qualidades morais, bons instintos, boa índole, criando um modo de imaginação de forma absoluta com respeitos recíprocos entre a razão e a verdade para viver na formação de sinceras atitudes. Jamais teríamos as imagináveis condições de enganar a nós mesmos, além do mais não devemos ignorar as nossas qualidades da livre e espontânea capacidade de pensar!

Os acontecimentos entre a fé e a razão de seguir os caminhos religiosos nos mostra que devemos seguir a persistência do amor e da paz. No entanto, observamos anúncios de que “Deus nos concede tanta e tamanha liberdade de pensar, que até nos faculta o direito de negá-lo.” O Papa afirma sempre que cada cristão possa ser um santo: “Existem os santos de cada dia, os santos escondidos, uma espécie de classe média da santidade, a que todos nós podemos pertencer”. Pelo que entendemos, basta entender que a mediocridade das pessoas materialistas são fontes em decomposições humanas e existe uma grande necessidade de transformar em boas ações essas nascentes que nos levam ao convívio com Deus em sua infinita bondade.

A Igreja Católica está presente na história brasileira desde a chegada dos portugueses, contribuindo para a formação cultural, artística, social e administrativa do nosso País. Existe a necessidade urgente nas comunicações entre os homens, à preservação da transparente sinceridade nas palavras que falam ou ouvem, especialmente, nos templos religiosos. São tantos assuntos em favor da paz e não sabemos que será possível o alcance da união entre as pessoas visando à criação da tão almejada força espiritual. O papa Francisco disse que líderes clericais e cristãos não devem trair a palavra de Deus com suas ações ou correm o risco de prejudicar a credibilidade da Igreja Católica. Existe uma grande necessidade de aperfeiçoamento do essencial significado do “sentimento humano”, na capacidade de que cada um possa sentir a sua natural disposição da busca da verdadeira comunhão com a religião. “Religião é um conjunto de sistemas culturais e de crenças, além de visões de mundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com a espiritualidade e seus próprios valores morais”. (Wikipédia).

Precisamos banir o que está se tornando muito difícil “seguir os conselhos de alguns padres”, os quais cometeram deslizes. Eles são chamados representantes da Igreja, não havendo outras condições de idealizá-los sem que se possa ver o seu exemplo extraído nas suas palavras! Quantos sermões, com sentimentos éticos e bem formalizados em favor da moral e do respeito humano recíproco, modificaram a vida de muita gente, transformaram naturezas humanas e provocaram uma nova qualidade na existência de muitas pessoas! Essas ações comportamentais devem ser moderadas para que sejam mútuas e verdadeiras entre as pessoas, principalmente, as religiosas!

O Santo Padre está muito preocupado com inusitados acontecimentos com a Casa de Deus, e observa-se uma clara mensagem para tentar restaurar a confiança na Igreja, após uma série de escândalos, inclusive de abuso sexual de crianças por padres, ele disse aos sacerdotes olhando-os com bons olhos para praticarem o que pregam. Foram palavras traduzidas pelos sentimentos mais puros de proclamar “respeito e sacrifício”, num chamando para todos os Cristãos seguirem os ditames do Evangelho segundo Jesus Cristo pregou e ensinou aos seus discípulos dizendo: Eu sou o amor, a verdade e vida!

Passamos por momentos em que os seres humanos considerados filho de Deus, esquecem a razão maior da crença nos princípios emanados nos Seus desígnios. Tem pessoas que acreditam em tudo e em todos os que abrem a boca

pronunciando a palavra em nome de um deus relativamente hipócrita e que prometem milagres que jamais serão em nome de Ser Superior! Esse foi e serão os casos dos “João de Deus que afirma que começou a ter mediunidade ativa aos nove anos de idade, quando era um menino católico avesso ao Espiritismo. Diz que aos dezesseis serviu de médium pela primeira vez na “cura” de outra pessoa. Teria então morado em vários estados, até fixar-se em Abadiânia, onde diz “receber” bons espíritos que realizam curas através dele, incluindo o fundador da Companhia de Jesus, Santo Inácio de Loyola”.

O povo no mundo inteiro acreditou nessa fantástica fantasia de milagres e esqueceu que o Deus verdadeiro, existe quando elevamos nossos pensamentos bem ligados aos bons caminhos do amor, da verdade e da vida. Não é necessário ir à igreja ou a outro local de culto para encontrar Deus, embora possa ajudar bastante. O Senhor se deixa facilmente encontrar quando voltamos nossa vida para a direção correta e caminhamos até Ele. Vem a reflexão: – Onde está Deus para que possamos ser tão íntimos d’Ele? A Bíblia ensina que Deus existe “de eternidade a eternidade”. (salmo 90:2). PENSEM NISSO!!!

Eduardo Afonso – Ilhéus-Bahia