Por secom

Considerado uma das agremiações mais tradicionais do Carnaval de Ilhéus, o bloco Zé Pereira alegra e diverte foliões nas ruas do Pontal há mais de 36 anos. A tradição se repete nesta sexta-feira (1º), com mais um desfile à zero hora, marcado pela irreverência e descontração que fazem a história do bloco.

A diretora do bloco, Joana Angélica, garante que este ano o desfile não vai ser diferente. “A brincadeira de família do passado tornou-se uma das maiores manifestações de rua do bairro do Pontal, durante os festejos do momo”, diz ela. Hoje, o Zé Pereira leva para as ruas cerca de quatro mil pessoas, vestidas com camisas e fantasias e puxadas por uma bandinha de sopro.

No início, conforme relata a diretora, os participantes do grupo saiam do então famoso e frequentado Clube do Pontal após os bailes, mas queriam continuar a festa de Carnaval. “A gente pegava colheres de pau para bater nas panelas. Aquilo fazia muito barulho pelas ruas do bairro”, lembra.

O Pontal, bairro onde o bloco nasceu, já se prepara para receber um público expressivo, mesmo a cidade tendo cancelado o carnaval oficial. Empresários comemoram as vendas, pois nas lojas e nos principais armarinhos da cidade, a procura para comprar e alugar fantasias é grande.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, justificou a sua decisão considerando que o momento de crise nacional requer total responsabilidade e os “pés no chão” dos gestores municipais. Apesar de reconhecer a importância da festa, o prefeito garantiu uma estrutura mínima pela Prefeitura durante os festejos de rua. “Na última semana recebemos blocos tradicionais de rua, quando foliões de todas as partes celebraram a paz, o amor com muita brincadeira e diversão”, lembrou o prefeito.

A Superintendência de Trânsito e Mobilidade (Sutram) informa que um esquema especial será montado para evitar congestionamentos na ponte e na avenida Lomanto Júnior, principal forma de acesso ao bairro, via centro.