Casa de Cultura Jorge Amado
Através de sua obra conhecida no mundo inteiro, o escritor Jorge Amado divulgou e imortalizou as belezas e as histórias de Ilhéus. Para agradecer ao “filho adotivo” (Amado nasceu na vizinha Itabuna), a cidade prestou-lhe uma homenagem à altura de seu talento, transformando sua antiga residência na Casa de Cultura Jorge Amado. Construído pelo pai do escritor em 1928, o palacete em estilo neoclássico ocupa uma área de 600 metros quadrados, com cinco metros de pé direito, piso de jacarandá e azulejos ingleses na varanda. Inaugurada em 1988, a Casa de Cultura continua recebendo as visitas dos turistas nacionais e estrangeiros onde são conduzidos ao quarto do escritor, onde estão expostas as capas de edições de sua obra, fotos antigas e objetos pessoais.
A Casa d Cultura Jorge Amado foi doada pelo Governo do Estado ao Munícipio especificamente para a Fundação Cultural de Ilhéus, cujo prédio outrora foi o Clube dos Bancários, Faculdade de Direito de Ilhéus, Mesa de Renda do Estado e finalmente a sede da Fundação Cultural de Ilhéus que foi Presidida por pessoas de destaque no mundo intelectual do município de Ilhéus, a exemplo do seu primeiro presidente Nestor Amazonas, Acioly da Cruz Moreira, Carminha Cardoso, Sá Barretto, Hélio Pólvora, Simone Balleta, Eugenia Célia Fonseca e Mauricio Corso, os quais promoveram diversos eventos culturais, utilizando os espaços internos da casa criando dois auditórios que eram utilizados para conferencias, oficinas de arte cultural (aulas de violão, dança de salão, teatro, ballet, bateria, contos, fotografia, quartas cultural, semana Jorge Amado, Natal nas praças, entre outros eventos).
Anualmente a Casa de Cultura passava por uma reforma com pintura externa e interna, conservação do piso de madeira, recuperação do imobiliário dos auditórios, telhado e o acervo artístico.
A Fundação Cultural mantinha um convênio com a Casa de Cultura Jorge Amado de Salvado – Bahia, onde foram doadas diversas relíquias do uso do escritor e de sua residência, bem como com doações de livros, etc.
Infelizmente o governo municipal passado, transformou a Fundação Cultural de Ilhéus para Secretaria de Cultura e o atual governo unificou o turismo com a cultura criando a Secretaria de Cultura e Turismo.
Infelizmente tirou todo brilho cultural, pois sabemos que a cultura do município de Ilhéus está de certo modo abandonada, sem animo, apática, quase inexistente. Ficamos com saudades dos tempos áureos das saudosas Lindaura Kruschewsky e Eugenia Célia, que tanto abrilhantaram aquele acervo cultural, com festas inesquecíveis, principalmente ba Semana de aniversário do saudoso e inesquecível Jorge Amado, que fez Ilhéus ser conhecida e reconhecida como berço da cultura.
Estivemos participando recentemente da programação da Semana Aniversário de Jorge Amado, onde achei pífio, inexpressível, sem criatividade e inoperante, pois a população nem conhece seus administradores para questionar porque tanto descaso com a cultura da cidade.
O que mais chama à atenção que a classe artística de Ilhéus desapareceu, a Associação dos Músicos e Artistas, tomou doril, nada faz e nem sequer faz uma manifestação como outrora onde tínhamos lideres a exemplo de Pedro Matos, Equio Reis, Paulo Rosário e outros amigos que trabalham diuturnamente na área cultural, contudo não contribuem dando seu grito de socorro em prol da cultura Ilheense.
Recentemente lendo um Blog da cidade que denunciou a sujeira da escadaria da Casa de Cultura Jorge Amado, em pleno festejo de seu aniversário. Tirei um dia para verificar in loco e percebi que além das escadas sujas a Casa está precisando de uma pintura geral e até mesmo recuperar os dois auditórios que já não existem mais, pois um auditório (térreo) serve para guardar entulhos e está com vazamento na parte hidráulica e o outro da parte superior foi transformado em salas de escritório.
Soube que o amigo Boby Jal que nem sequer é funcionário do Munícipio, tomou as providencias no sentido de fazer uma limpeza na escadaria da Casa d Cultura Jorge Amado, pois a funcionária que exerce o cargo de auxiliar de limpeza desobedeceu a ordem da chefia alegando não ser da sua obrigação.
Portanto Ilheenses é preciso acordar, pois nosso patrimônio cultural está cada vez mais se deteriorando. Veja o Teatro, Casa Jorge Amado, Prefeitura, Associação Comercial, Igreja São Jorge, N.S. das Vitorias, Catedral São Sebastião, Obelisco, Igreja N.S. Lourdes do Outeiro, Igreja N.S. Piedade, Palácio Episcopal do Convento, Prédio Escolar General Osório, Instituto Municipal de Educação, Ginásio de Esportes, Estádio Mario Pessoa, Estatuas, Leões da Praça Dom Eduardo. Todos esses patrimônios estão precisando de uma séria conservação por parte do poder público e da sociedade local.
Acorda Ilhéus!

Colaboração de Luiz Castro
Bacharel Administração de Empresa