WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia policlinica itabuna secom bahia teatro itabuna


novembro 2019
D S T Q Q S S
« out   dez »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930






:: nov/2019

DO FUNDO DO BAÚ DE JOSÉ LEITE.

1) VIAGEM PARA SÃO PAULO.
2) AS VISITAS DA SEMANA.
3) AS FOTOS DESTAQUES DA SEMANA. :: LEIA MAIS »

Projeto ‘Ciranda, Ilhéus na Praça’ terá programação especial em dezembro

Dezembro é o mês de aniversário do projeto “Ciranda, Ilhéus na Praça”, iniciativa que reúne gastronomia, música, arte, armário solidário, cultura, alegria e muita diversão, ocupados num espaço público para a família e para a garotada curtir a programação, que segundo as organizadoras, terá uma edição especial no dia 21 de dezembro, na Praça Antônio Viana, em alusão ao Natal.

“No dia 7 de dezembro, nosso projeto completará dois anos. Nesse dia teremos música, contação de histórias e variedade de sabores com novos chefs”, informou a organizadora da atração, Faura Pinho, durante encontro com o prefeito Mário Alexandre, na última terça-feira (26) em seu gabinete.

Expositores – No evento, espaço reservado para a feira de aetesanato, que reúne na praça, expositores de Ilhéus e outras cidades e localidades, na promoção e incremento da economia local. De acordo com os relatos das organizadoras, a feira se consolidou ao longo do tempo, atraindo parceiros, a exemplo da Uesc (pesquisa); Sesi (robótica), escolas e organizações voltadas à educação.

Faura relatou ainda que o projeto possui cerca de trezentos expositores cadastrados e milhares de seguidores nas redes sociais. “A ideia é fomentar a economia criativa e descobrir os artesãos, os artistas que temos na cidade, valorizando e dando visibilidade. Nossa proposta passou a integrar o calendário de eventos da cidade”.

O Município estuda uma maneira de inserir ao projeto, exposição de trabalhos realizados por assistidos dos programas sociais, desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SDS), por entender que o evento visa oportunizar às crianças e a comunidade o acesso à leitura de qualidade, transformando o ato de ler em um momento de lazer, diversão e educação.

Mário Alexandre, por sua vez, acredita que toda inciativa que promova e incentive o fomento da economia e da cultura local, merece atenção especial. “Desde que assumimos a Administração de Ilhéus, ajudar passou a ser uma das nossas preocupações. Tenho dito que a ciranda serve de estímulo à outras pessoas cuidarem de nossas praças”.

Programa

Evento – Ciranda, Ilhéus na Praça

Local: Praça Antônio Viana, bairro Cidade Nova

Dia 7 de dezembro (aniversário do projeto) às 17h

Dia 21 de dezembro (Edição de Natal) às 17h

 

Transporte público em Ilhéus terá horário especial no fim de ano

O sistema de transporte coletivo de Ilhéus terá horário modificado nos períodos de Natal e Ano Novo em Ilhéus. Gilson Nascimento, diretor da Superintendência de Transporte, Trânsito e Mobilidade (Sutram) acordou a decisão durante reunião realizada com diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Ilhéus (SINDROD) e representantes das empresas concessionárias de transporte coletivo urbano de Ilhéus, no último dia 22 (sexta-feira), na sede do órgão.

Conforme o acordo firmado, na véspera do Natal e da Confraternização Universal, dias 24 e 31 de dezembro, respectivamente, os ônibus serão recolhidos às garagens a partir das 21h. No dia 24 o recolhimento de todos os veículos deverá ser realizado até às 22h, impreterivelmente. Já no dia 31, a partir das 22h, cada empresa manterá veículo de apoio, em virtude das festividades promovidas pela Prefeitura de Ilhéus.

De acordo com Gilson Nascimento, nos próximos dias será publicada uma portaria no Diário Oficial do Município.

Secti participa do Fórum de Inovação e Sustentabilidade em Educação da Chapada Diamantina

Evento que acontece em Piritiba possui foco em computação criativa
Promover a ascensão social do Sertão da Bahia através da tecnologia. Esta ideia foi responsável por criar o Instituto Tecnológico de Piritiba (ITPI), uma organização privada sem fins lucrativos que foi inaugurada em maio deste ano. Agora, em busca de desenvolver ainda mais esta região, que possui a agropecuária como principal fonte de produção, e sofre com períodos de grande estiagem, a Universidade de Harvard desenvolveu um curso de computação gráfica para os alunos do ensino fundamental do município baiano. Em celebração à segunda turma formada pelo curso, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), representada pela secretária Adélia Pinheiro, esteve em Piritiba para prestigiar e conhecer mais sobre o programa.
Os resultados do projeto foram apresentados na Universidade Aberta do Brasil, em Piritiba, nesta segunda-feira (25), durante um hackathon, que é um evento que reúne programadores e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de softwares em busca de gerar soluções inovadoras. Os estudantes apresentaram os seus trabalhos, que pertencem as mais variadas áreas do conhecimento, como atividade final.
Na ocasião, a secretária da Secti, Adélia Pinheiro, palestrou sobre ações do Governo do Estado voltadas para Ciência e Tecnologia na Bahia. Além dela, diversos representantes do ecossistema de inovação, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Banco do Nordeste e o Núcleo Territorial de Educação (NTE) também estiveram no evento para uma agenda voltada à computação criativa e desenvolvimento sustentável.
Os responsáveis pela articulação, a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), a Prefeitura Municipal de Piritiba e o ITPI garantiram que 45 alunos do 6º ano (EF) passassem o período letivo atuando em práticas voltadas para o desenvolvimento de habilidades essenciais para os novos tempos, como o desenvolvimento de conexões pessoais, utilizando elementos dinâmicos para estimular a criatividade, imaginação, colaboração e interesses. De maneira lúdica, os alunos aprendem o conteúdo acadêmico enquanto criam jogos, animações e histórias, sempre em equipe, com o intuito de estimular o trabalho colaborativo.

:: LEIA MAIS »

UMAS E OUTRAS DA CIDADE (XXXI)

(NOTAS DE BELMONTE – ‘BEBEL’ PARA OS MAIS CHEGADOS)
A extensa planície da boca do Jequitinhonha chamada de Bebel pelos mais
chegados não teve –nascida ribeirinha e marítima– dificuldades para, com as
condições afloradas, se tornar portuária.
Porto que começa a se erguer nos 50 anos iniciais do século XIX com as
transações comerciais de mercadorias entre Bebel e Salto da Divisa no norte de
Minas Gerais. A respeito Milton Nascimento na pag. 31-32 do tópico ‘A
importância dos canoeiros do Baixo Jequitinhonha’ de seu livro “Cachoeirinha
_Freguesia de Nossa Senhora da Conceição…” ressalta que “De Belmonte levavam
para Minas Gerais artigos manufaturados oriundos da Europa, e gêneros de
primeira necessidade como sal, querosene e outros produtos. De Minas traziam
algodão produzido no médio Jequitinhonha que vinha até Belmonte e dali levado
para Salvador para ser exportado. Traziam também de Minas requeijão, manteiga e
carne de jabá. ”
E se consolida –de 1850 para frente, principalmente no decorrer da primeira
metade do século XX– em razão do nascimento de uma mercadoria diferenciada:
o cacau das margens do grande rio e que transforma o ‘porto’ num centro
efervescente e irradiador da economia da pequena Bebel. Não tardou a oficial Av.
Presidente Getúlio Vargas paralela ao rio ser transformada, efeito da mudança, na
sugestiva Rua do Porto.
Com a pujança cacaueira o ancoradouro fluvial do Jequitinhonha, à época
caudaloso, condicionava a atracação de navios de variados tamanhos e
consideráveis calados. A dar suporte para o transporte não só de cargas, mas
também de passageiros, o porto passa a ser o motor do progresso da cidade. Vapor
(como as embarcações da época –por serem movidas por este gás– eram
conhecidas) como o Itapicuru, o Cisne Branco, o Cachoeira, o Camacan dentre
outros ficara gravado nas mentes dos belmontenses que vivenciaram o período
desse ambiente portuário e, claro, suas histórias. Algumas recheadas de doses
hilárias, como a do naufrágio do Itiberê na costa de Bebel. Conta-se que um
lavrador de cacau dois dias após o acidente ao cobrar de outro cacauicultor o
pagamento de um débito relativo a um empréstimo lhe concedido, do devedor
ouviu o sonoro retorno: “Meu amigo, não se preocupe não. Tenha paciência. Na
volta do Itiberê o dinheiro estará em suas mãos”. Acontece que até aquele
momento só poucas pessoas sabiam do acontecido, a exemplo do espertalhão e
inadimplente lavrador.
O fato se incorporou ao imaginário popular da cidade a ponto de, em
qualquer conversa a dois que houvesse uma cobrança por solução, tiradas como
“Na volta do Itiberê eu te pago” ou “Na volta do Itiberê eu resolvo” saiam de batepronto.
Depois da navegação fluvial-marítima com as canoas e os barcos a vapor,
outro pendor de Bebel foi pela aviação. Os dois estão intrinsicamente ligados
porque antes da ‘pista terrestre’ o palco dos pousos – com os aviões do tipo
Junkers W-34 e JU-52 a intermediar em escala regular a linha Salvador/Rio de
Janeiro e vice-versa– foram as águas do Jequitinhonha. Mas essa parte fica para a
próxima Umas e Outras…
Heckel Januário
Em tempo: A Bahia foi uma das primeiras localidades a desenvolver o primeiro
meio de transporte introduzido no Brasil. Os portos de Salvador e de Ilhéus foram
importantes nessa empreitada. Hora com bons, hora com maus serviços,
companhias de navegação, alternavam-se no domínio das concessões, inclusive
capitalistas na jogada, e o próprio governo estadual. Inicialmente a do Recôncavo e
depois a do Sul da Bahia foram regiões onde a navegação baiana deu seguimento.
A do Sul, com o advento do cacau, passou a liderar o comércio marítimo baiano.
Embora a navegação atuasse como uma alavanca de crescimento, o período de seu
incremento foi de submissão do Brasil ao capital inglês. No de hoje o impositor
(ou impositores) é mais imperceptível, mas a subordinação continua subordinação.
Em tempo2: mesmo não tendo encontrado literatura sobre o Itiberê o site
www.naufragiosdobrasil registra que o naufrágio foi mesmo em Belmonte.
Em tempo 4: a inserção dos aviões Junkres se assentou em matérias dos jornais
‘Tabu’ (1ª quinzena de julho e 2ª de agosto de 1996) e ‘A Tarde’ de 23/8/1992

Rameses Cáridas na final do baiano de jiujitsu

Neste  fim  de  semana na  cidade  de  Feira  de Santana ás 09:00h no  ginásio do Sesi, o atleta Rameses Cáridas estará  na decisão  do  campeonato baiano  de  jiujitsu ,  sendo  que  o  mesmo  pode  se tornar o primeiro  atleta  do interior a ser  tri campeão  do  ranking seguido com menos  de  15  anos  de  idade  pela  FBJJE  Federação Baiana  de Jiujitsu  Esportivo.
O atleta cursa 8º Ano  em  escola  pública  e  já  está  aprovado  para  o 9º ano, aguarda  o  resultado  para  final   das olímpiadas  de  matemática. Agradeci a todos  antecipadamente  pelo  carinho  recebido  e  aos patrocinadores  Faculdade de Ilhéus, AABB de Ilhéus,  os  colaboradores  e  apoio  da  Academia  Físico  Center ,Click Cosméticos ,MP Marcus Puentes  A dominante (Itabela) Disbom  Sorvetes, Life  Saúde, LR Auto Peças, Papelaria Universal,Elifaz,Litoral Pneus,Ley Bike, Inforlaser, Laser Tech, Er thour , Lave leve, e a  todos  os  meios  de comunicação.. Sento  que  todos   os   videos   podem  ser&nb sp; visualizados  no  youTube

 

DO FUNDO DO BAÚ DE JOSÉ LEITE

1) ILHÉUS EM DESTAQUE.

2) VISITAS DA SEMANA.

3) AS FOTOS DESTAQUES DA SEMANA. :: LEIA MAIS »

Hospital de Base de Itabuna implanta ações de gestão e novas tecnologias

A direção do Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães, em Itabuna, apresentou hoje (22) ações e adoção de recursos tecnológicos que ampliarão a melhoria do atendimento aos pacientes. O hospital atende mais de 160 municípios da região, conveniados através do Sistema Único de Saúde-SUS.

Entre ações apresentadas estão a implantação do sistema digital de prontuário eletrônico –PEP, que agilizará o fluxo e a segurança dos dados dos pacientes e a gestão de custos de insumos. Além disso, entrou em funcionamento o novo equipamento Raio X Digital, o primeiro da Bahia com essa tecnologia, que permite realizar exames panorâmicos. O novo equipamento oferece recursos para envio de imagens em arquivos digitais, em diversos setores do hospital, garantindo segurança, agilidade e qualidade no diagnóstico, além da redução de custos.

CENTRO CIRÚRGICO

O Hospital de Base reabriu a terceira sala cirúrgica, para agilizar e dinamizar o fluxo de atendimento de urgência e emergência de pacientes politraumatizados, com novos equipamentos como aparelho de anestesia de última geração  e bisturis eletrônicos  de alta frequência. O setor também recebeu um novo desfibrilador para casos de paradas cardiorrespiratórias. Novos desfibriladores também foram destinados ao Pronto Socorro, CTI e enfermarias.

As ações implementadas também incluem  a abertura da Enfermaria F, destinada ao atendimento de habilitação de leitos e expansão de novos procedimentos médicos, em parceria com a  Secretaria de Saúde da Bahia-SESAB, e a Secretaria Municipal de Saúde de Itabuna. Recentemente as enfermarias receberam 160 poltronas reclináveis, para maior conforto aos acompanhantes.

As ações organizacionais tem  destinado servidores para o pronto socorro e enfermarias, ampliando a assistência  e tratamento aos pacientes.

O prefeito de Itabuna Fernando Gomes destacou que  “o Hospital de Base conta hoje com uma gestão qualificada, para prestar um serviço eficiente a população. Nosso compromisso que os pacientes de Itabuna e da região possam contar com um hospital público de excelência”.

No encerramento da solenidade,  foi anunciado  o pagamento antecipado do 13º. salário que já está na conta de todos os colaboradores.

De acordo com o diretor médico do Hospital de Base, Dr. Eduardo Kowalsky,  “estamos criando um novo paradigma, com o hospital assumindo o protagonismo na saúde pública da região, com melhorias continuas no atendimento ao paciente, num processo permanente de modernização da estrutura e dos equipamentos e de capacitação profissional”.

Projeto Saúde na Escola será realizado durante Feira Literária

Neste sábado (23), das 9 às 14h, acontecerá a Feira Literária na Escola Municipal Professor Paulo Freire, no bairro Teotônio Vilela. A atividade contará com a participação da equipe do Projeto Saúde na Escola (PSE). No local, apresentação do Teatrinho de Endemias, que instrui sobre os cuidados com o mosquito da dengue, ações de saúde bucal, Samuzinho e outras atividades.

As ações, que já ocorreram nas escolas municipais da Conquista e do Salobrinho, possuem uma linguagem acessível aos educandos do Fundamental I e II, e também aos pais e profissionais da área de educação. O projeto tem incentivo federal e conta com profissionais das secretarias municipais de Saúde (Sesau), Educação, Esporte e Lazer (Seduc) e Desenvolvimento Social (SDS).

Segundo informou os coordenadores da estratégia, a iniciativa promove ações intersetoriais, com atividades educativas que vão desde a prevenção de hipertensão e diabetes, com a orientação correta sobre a prática de exercícios físicos e de nutrição à prevenção de bullying. O Grupo de Trabalho Intersetorial Municipal (GTI-M) é responsável pela gestão do Projeto Saúde na Escola.

O GTI-M faz parte do programa interministerial do Governo Federal, nas áreas da saúde, educação, entre outros setores governamentais e não-governamentais para o exercício 2019 e 2020. O PSE foi instituído em 2007, como política intersetorial da Saúde e da Educação, a fim de atender aos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS).

Capítulo de livro estimula o conhecimento sobre as Plantas Alimentícias Não-convencionais (PANC)

Talvez o fato das Plantas Alimentícias Não-Convencionais (PANC) serem em geral desconhecidas pela população brasileira seja um bom exemplo de riqueza não aproveitada. O consumo predominante de alimentos industrializados e o efeito disso na saúde humana, a grande quantidade de pessoas em situação de insegurança alimentar e a imensa diversidade de flora no país, dentre outros fatores, podem ajudar a explicar a importância de fazer renascer o interesse em cultivar e consumir essas plantas que são tão nutritivas e ao mesmo tempo tão ausentes das nossas mesas.

Quando os dados científicos vêm alinhados com experiências de cultivo e de consumo desses alimentos, a atenção para com aqueles motivos se faz acompanhar da água na boca. É o efeito do capítulo Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) associadas ao agrossistema cacau-cabruca no sul da Bahia, publicado no livro Guia de Manejo do Agroecossistema Cacau Cabruca vol.2, editado pelo Instituto Cabruca e assinado pelos pesquisadores Alessandra Quirino Bertoso dos Santos Jardim, Jomar Gomes Jardim, José Lima Paixão e Larissa Corrêa do Bomfim Costa. O capítulo apresenta uma pequena amostra de espécies alimentícias pouco conhecidas, como o cansanção-vermelho, e de partes em geral descartadas de alimentos bem presentes, como a banana e o aipim, e completa o texto com uma série de receitas com as PANC.

Outro ponto relevante é que o capítulo descreve como o agrossistema cacau-cabruca favorece o cultivo desses alimentos pouco usuais, ampliando os argumentos a favor de ecossistemas agroflorestais como provedores de espécies vegetais alimentícias e medicinais. É o ciclo completo da sustentabilidade, abrindo possibilidade de conseguir lucro econômico sem prejudicar o ambiente e de aumentar a oferta de alimento saudável e acessível para a população.

 

Comer o que tem

O capítulo também menciona duas atividades de compartilhamento de experiências e saberes sobre essas fontes de nutrição. O professor Jomar Gomes Jardim, José Lima Paixão e Alessandra Quirino Bertoso dos Santos Jardim atuam no projeto de extensão Alimentação saudável utilizando como base as Plantas Alimentícias Não Convencionais – PANC na UFSB. Já a professora Larissa Costa ministra a disciplina optativa PANC: do mato para o prato, acessível para os cursos de Biologia e de Agronomia da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

 

Breve identificação das PANCs e receitas fazem parte do relato.

O projeto de extensão desenvolve as oficinas Comer o que tem desde 2016. A ideia brotou de alguns encontros dos coordenadores em um sítio de agricultura familiar no começo de 2015. As refeições compartilhadas deram a ideia de um curso no qual as receitas culinárias tradicionais que usam PANCs serviriam de raízes para o resgate cultural dessa cozinha e à promoção da alimentação saudável e a custo reduzido para a população de baixa renda. Os frutos do projeto são um crescente livro de receitas com as plantas não-convencionais na lista de ingredientes e encontros de compartilhamento de saberes que beneficiaram cerca de 500 pessoas, incluindo estudantes do ensino fundamental, médio e superior, professores, agricultores familiares e assentados e povos tradicionais, como os indígenas e os quilombolas.

Cada encontro consiste em uma oficina denominada “comer o que tem”, na qual os participantes, guiados pelos líderes do projeto, percorrem um itinerário em propriedades rurais, o que pode incluir áreas de cabruca, quintais, floresta nativa. A ideia é coletar as plantas alimentícias que forem encontradas e, a partir do que foi recolhido, preparar coletivamente o almoço. “Chegamos cedinho na comunidade, e saímos com um grupo com ferramentas como facão, podão, cestos, sacos, etc e iniciamos a caminhada nos agrossistemas, por exemplo, o cacau-cabruca, em um fragmento de floresta, se houver, ou nos quintais. Durante a caminhada vamos identificando as possíveis plantas comestíveis. Às vezes, as próprias pessoas locais lembram de plantas e nos levam ou indicam o local”, explica o professor Jomar.

Um relato breve do projeto de extensão foi publicado na revista Fitos, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em junho de 2019. As oficinas, que no começo eram para grupos variando entre 15 e 20 participantes, deram aos participantes experiência para preparar almoço para cerca de 300 pessoas, durante o II Encontro de Mulheres da Teia dos Povos, em maio de 2018. Tanto na coleta quanto no preparo, as oficinas engajam as pessoas com o percurso da coleta à degustação. É a riqueza natural que o Brasil precisa conhecer mais.

NOTÍCIAS DA AVEP

NO FIM DA TEMPORADA DEU VITÓRIA DA EQUIPE DO CAPITÃO ALVINHO E EMPATE

Domingo(17) pela manhã aconteceu a rodada final( 21ª) da Temporada 2019 da Associação dos Veteranos de Esporte Praiano –AVEP, entidade de ‘babas de praia’ quase centenária de Ilhéus, da mencionada modalidade esportiva onde, no Campo Grimaldo os quadros dos capitães Djalma Peludo e Erisvan empataram de 6 a 6 (fizeram os gols do de Cap. Peludo: Vitor II(2), Ismar Landgol(2) e Garrancho 100 Anos de Praia(2); do de Cap. Erisvan: Marconi(2), Pescador, Nilton do BB e Luís Humberto(2). No Campo Martial a equipe comandada pelo Capitão Alvinho venceu a dirigida por Capitão Alex de Moises pelo escore de 4 a 3. Alan Firula(2) e Paulo Cesar marcaram para a perdedora; Mario Filho(3) e Thiago conferiram para a ganhadora. Apitaram os babas Wilson Salviano (Campo Grimaldo) e Gidel Santos, sem reclamações mais acintosas pra cima dos distintos árbitros por parte dos ‘babistas’. Ambos integram a Associação de Árbitros de Futebol de Campo de Ilhéus –AAFCI. Na rodada só Vitor II levou Cartão Amarelo. O coordenador da rodada, também chamado de Diretor de Baba do Dia, foi o promoter Zezinho da Baixa Fria que, como homem de várias facetas, também atuou como goleiro –para colaborar– ao substituir o guarda-meta, Goleiro Luciano). Como sempre acontece os ‘babas’ foram realizados na praia Avenida Soares Lopes, imediações do espaço cultural Tenda Teatro Popular de Ilhéus e dos campos de tênis da Associação Ilheense de Beach Tennis – AIBT.

COMENTÁRIOS

Os comentários que chegaram dos observadores à redação desta Notícias expõem que o beque-de-vigor Alvinho depois de tomar um amontoado de cacetes atuando com a faixa de capitão, saiu-se vendedor nesta rodada ao faturar, como dirigente de sua equipe, a do chamador de baba que mais pontuou com vitórias na Temporada 2019, o Capitão Alex de Moises.

Outro depoimento dado por eles foi com relação a performance do atacante Garrancho 100 Anos de Praia. Disseram que o cara, após algumas rodadas sem ‘calçar chuteiras’ em razão de passar por recuperação técnica, voltou com tudo: Fez um gol na rodada passada (a 20ª) e dois nesta (21ª), e assim merecedor de aplausos. Outro que estava afastado e voltou cheio de gás foi o meia-de-ligação Luís Humberto, sendo autor de dois gols na referida rodada, alertaram também.

Como esta rodada foi a última da temporada, esses olheiros concluíram que se houvesse mais rodadas pela frente, o atacante Garrancho 100 Anos de Praia, com o faro de gol que lhe é peculiar, estaria perseguindo o artilheiro da temporada com 31 gols, também o avante Alex de Moises

Não se dispuseram a detalhar o jogo do Campo Grimaldo. Só disseram que apesar da chuva de gols 12 –empate de 6 a 6– entre os times dos capitães Djalma Peludo e Evisvan, o jogo foi bom e bem disputado.

NOTA

A diretoria da AVEP, que tem como presidente Djalma Peludo, vem através desta Notícias prestar homenagem in memoriam a dois desportistas ilheenses: Louro (Lourival Ferreira Matos) e Farrapo, e desejar às suas famílias muita força neste momento difícil.

Obs.

Lourival (conhecido como Louro) jogou na AVEP por muito tempo. Farrapo embora não tenha pertencido ao quadro avepiano, era batedor de ‘baba’ bastante conhecido dentro de Ilhéus.

Equipe que atuou no Campo Grimaldo conforme súmula

(Cap. Djalma Peludo): Goleiro Marcelo, Pedro Chama Gol, Djalma Peludo, Silva e Sizinio do Remo; Vitor II, Kiko e Luciano Santana; Ismar Landgol e Garrancho 100 Anos de Praia

(Cap. Erisvan): Goleiro Zerinho(filho de Zero Susto), Eduardo Japonês, Nilton do BB, Waldemar da Codeba e Mario Cabeça Branca; Adauto Negocinho, Danilo e Erisvan; Pescador e Marconi

Equipe que atuou no Campo Martial conforme súmula

(Cap. Alex de Moises): Goleiro Claudionor, Torisco do HSBC, Galletti da Rio de Engenho e Silvio Reis; Passos de Uruçuca, Moises e Daniel Murta; Alan Firula, Paulo Cesar e Alex de Moises

(Cap. Alvinho): Goleiro Luciano(entrou Zezinho da Baixa Fria no intervalo. Goleiro Luciano foi jogar na linha), Everaldo Cabeça de Flande, Alvinho, Junior Murta e Paulinho da AFC; Adauto Negocinho, Vado do Bradesco e Major do Bahia de Itabuna; Thiago(Goleiro Luciano entrou no intervalo) e Mario Filho

Texto do associado Heckel Januário. Fotos dos “babas” de Marconi Almeida, fotógrafo oficial e diretor de Divulgação da Avep. O Prof. Jorge Reis é o fotógrafo de momentos etílicos desta entidade e seu Secretário.

Sábado tem Cabaré Show Drag Queen na Tenda Teatro Popular de Ilhéus

“Tá pensando que DRAG QUEEN é bagunça?” Parafraseando Luana Muniz, O Grupo Teatro/Circo Maktub apresenta: Cabaré Show Drag Queen. O evento começa às 20 horas deste sábado (23), na Tenda Teatro Popular de Ilhéus. As apresentações integram a Mostra Experimental, resultado da III Vivência com a Arte Drag Queen promovida pelo grupo, desde o último dia 15. A entrada será na modalidade Pague Quanto Quiser e a classificação indicativa é 18 anos.

O Cabaré Show é resultado de uma ação conjunta com as Drags do Maktub e Coletivo ArtDrag Sul Bahia. Os participantes das três edições das Vivências irão se revezar em apresentações que discutirão diversos posicionamentos estéticos. Cada Drag Queen terá a liberdade de expressar as suas questões e individualidades, algumas na sua primeira apresentação pública.

O Cabaré Show contará com Drags convidadas de Itabuna como Wisla Lunna (Artur Maia) e Zoo the Fuck (Igor Zoser), que já atuam no circuito regional. O roteiro será dividido em blocos temáticos com esquetes, performances de dublagens e cantadas ao vivo como um Coral Drag, dirigido por Danilo Nascimento. O Teatro de Revista será uma das referências de umas das cenas, dirigida pelo diretor convidado Jones Mota. A criação foi coletiva, com alguns esquetes assinados pelas Drags Pandora Woolf e Brigith Gioconda Close.

De acordo com um dos organizadores, Fábio Nascimento, a Vivência com a Arte Drag Queen vem sendo um espaço de criação e discussão acerca dessa arte que é essencialmente plural. “Com registros desde a Grécia antiga, a prática drag perpassou a história e chega aos tempos atuais com status de pop star. No Brasil não foi diferente, pois são várias as referências sobre a prática ao longo dos anos. Uma delas é Isabelita dos Patins, uma das homenageadas durante o Cabaré Show”, informou.

A Mostra é o momento para as participantes expressarem seus experimentos artísticos e o que desta arte reverberou em seus corpos durante a imersão. No elenco, estarão: Maria Eva Soledade – Jesus; Alan Santos da Silva – Aurora Black Rose; Beto Villaça; Fábio Nascimento – Mademoiselle Brigith; Guto Pacheco – Luancy Ravel; Iuri de Jesus Nascimento – Valentina Ferraz; Karol Vital – Holly Hepburn; Mateus Lima – Pandora Woolf; Matheus Geovane Lima – Sindel Blade; Maurício Lima – Kiara Drag; Vânia Nogueira – Kita Leone; Vinícius Teófilo – Aya Diesel.

O Coletivo conta com o apoio do Grupo Teatro/Circo Maktub, Drags do Maktub, do Projeto de Extensão Teatro Popular e Interculturalidade da UESC, Larissa Paixão, Foto com Paixão.

Serviço:

Cabaré Show Drag Queen

Tenda do Teatro Popular de Ilhéus

Dia 23 de novembro às 20h.

Ingressos: Pague quanto quiser e chapéu

Classificação: 18 anos

Informações: @coletivoartdragsul e @grupoteatrocircomaktub





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia