A ALSHOP pediu hoje para a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, vinculada ao Ministério da Economia, a liberação de parte dos recursos aplicados no Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). O pedido pleiteado pela ALSHOP ao secretário Carlos Alexandre da Costa visa manter a empregabilidade do setor varejista durante o período em que boa parte das lojas de shopping ficarão fechadas. A medida faz parte do esforço para conter a expansão do coronavírus (COVID-19) para evitar aglomerações e reduzir o contágio.

“Com a consequência da limitação do fluxo de pessoas nos centros de compras que hoje só atendem serviços essenciais podemos ter agravamento no desemprego mas antes de falar em números sem base, propomos uma medida concreta para manter os empregos enquanto as lojas ficam sem faturamento”, disse Nabil Sahyoun, presidente da entidade.

O pedido feito à Secretaria visa manter os empregos de colaboradores vinculados as lojas que já não podem abrir as portas a partir de hoje. “Neste momento nossa preocupação é com os empregos do nosso setor que é o maior empregador e motor da economia no país que é o comércio e os serviços”, ponderou Sahyoun.

Nesta semana a ALSHOP já havia obtido junto ao governo paulista uma linha de financiamento para os varejistas com taxas de 0,35% ao mês por meio do programa Desenvolve SP do governo do Estado por meio do diálogo com o governador João Doria.

A ALSHOP representa 40 mil associados do setor de varejo e tem obtido medidas para reduzir os impactos da crise econômica que será consequente a crise sanitária do Covid-19.

Sobre a ALSHOP

Com mais de duas décadas de experiência, a associação nasceu a partir da necessidade de conciliar os interesses dos lojistas com os empreendedores de shopping center e, no decorrer dos anos, agregou diversos produtos ao seu escopo, tendo sempre em vista atender às necessidades dos varejistas.