WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa secom bahia


Maio 2020
D S T Q Q S S
« abr    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  






:: 16/maio/2020 . 22:30

DO FUNDO DO BAÚ DE JOSÉ LEITE.

1) 60 ANOS DE JOSÉ LEITE EM ILHÉUS.

2) FIQUE EM CASA (2).

3) JOSÉ LEITE CONTINUA NA QUARENTENA.

4) AS FOTOS DESTAQUES DA SEMANA.

:: LEIA MAIS »

AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS – Edição 763 – ANO XVI Nº 39 – 18 de maio de 2020

DEUS DO MUNDO SEM DEUS

Manoel Tourinho (*)

Como vamos sair da Pandemia do COVID 19? Várias teses se apresentam: um mundo mais humano e solidário; um mundo mais atento às políticas de bem estar social; um mundo mais previsível para a ocorrência de pandemias, ou, quem sabe, um mundo mais preocupado com as três hipóteses acima, de ocorrências simultâneas e holísticas, porque uma pandemia tem traços de unidade, de totalidade e de fluxo contínuo, já que abranda sua virulência, reduz o número de seus mortos, mas não acaba… seus tratos e curas nunca mais deixam de preocupar a gente, pois vão e voltam…

Esses dias de “recolhimento obsequioso” serviu para a gente arrumar a mente; fazer o debate, ora com a gente mesmo, ora com outras gentes: amigos, colegas e até mesmo os filhos da gente. Foi legal, aliás está sendo legal. Foi bom ter lido a biografia de Pepe Mujica, ex-presidente do Uruguai, prisioneiro da ditadura militar de seu país nos anos 60, em que a moda eram os golpes de estado nos países da América do Sul, como o Brasil. Mujica, nas décadas de prisão, diz que aprendeu falar com ele mesmo. Aprendeu a língua da sobrevivência. Para poder falar posteriormente na liberdade, era condição precedente sobreviver ao cárcere. Sobreviveu.

Voltando à remota questão de como vamos sair dessa Pandemia, digo que vou sair convencido de algumas coisas que consegui baixar para os meus arquivos, embora nem sempre o armazenado expresse o exato pensamento das fontes. É como se no ato do “download” eu já fosse alterando as singularidades, pluralizando-as ao meu gosto filosófico e ideológico. Não escondo: é a minha hermenêutica. Muito comum nesse tempo de tanta dor é o apelo-prece ao Senhor Deus para que aplaque e sane o mal: “não permita que doenças cheguem à minha casa”, rezam os crentes… Um querido estudante de teologia, dividindo comigo a sua interpretação sobre as relações entre oração, fé e a crise pandêmica que nos abate, comentava que muitas pessoas acreditam em Deus como criador e soberano. Um Deus que teria então criado a terra e deixado ao homem o cuidado com a terra. O cuidado é nosso. Então somos nós, e não Deus, que temos que resolver nossos problemas. Por outro lado, toda a história da terra foi escrita de acordo com a bondade soberana de Deus, quer entendamos ou não; tudo deve ser feito de acordo com a Seu Amor a todos. Ele nunca subtraiu de uns para entregar a outros. O estudante, a que me refiro, é evangélico pentecostal (não Neo) e vejo o seu discurso coerente com a minha práxis católica da cristologia da libertação e com os ensinamentos da Carta Encíclica Laudato SI’ do Papa Francisco, “sobre o cuidado da casa comum”.

A doença que nos foi trazida pelo COVID 19 revela uma sociedade brasileira cujos líderes nacionais sempre pensaram em si e nunca nos que estavam nas ruas, nas periferias, nos guetos, nas favelas. Fala-se de ‘isolamento social’, habilitando e pagando auxílios

emergenciais com grandes e sofridos “ajuntamentos sociais”. Quanto paradoxo! A crise, que se revela mais social que médico-hospitalar, trouxe a base da pirâmide pobre para cima e levou para baixo o vértice da riqueza; só assim o pobre brasileiro foi visto pregado na cruz; estava escondido, no andar debaixo. Inclusive, os nossos irmãos Espiritas têm recebido mensagens de vários protetores que nos colocam a refletir sobre as patologias de uma sociedade egoísta, que se manifesta na xenofobia, no uso desumano da propriedade privada, nas práticas da “teologia da prosperidade” encouraçada por credos, crentes e Igrejas. E nos convidam a profunda reflexão da nossa participação e presença nessa dor quando se referem a crueldade da pandemia não como castigo, mas um modelo de amparo às chagas do planeta. E quantas dessas chagas se apresentam na nossa terra, na região Amazônica?

Nas palavras daquele estudante, que passou a ser o meu “escavador teológico”, ele conclui, dizendo: “A crença de achar que podemos mudar a natureza humana através da ciência ou política ou à força, chega até ser uma arrogância intelectual. A raça humana existe há pelo menos 6 mil anos! Entretanto, só conhecemos a guerra, o egoísmo, e a destruição. Fundamos uma agência internacional chamada Nações Unidas, achando que poderíamos evitar guerras e conflitos. Desde sua fundação no dia 24 de outubro de 1945, o mundo teve mais de 150 guerras e conflitos, com mais de 100 milhões de mortos. As instituições do Brentonwoods, como o FMI e Banco Mundial, foram criadas (na teoria) para ajudar os países mais pobres e promover o desenvolvimento. Porém, hoje, a pobreza se alastra cada vez mais, deixando desfavorecida a grande maioria da população do mundo”.

E para finalizar, terei que confessar que o querido estudante de teologia e dono dessas sábias reflexões é meu filho Tulio. Veterano de guerra no Oriente Médio, serviu como soldado paraquedista da 82nd AirBorne Division (Fort Brag, NC, USA) e foi para o teatro de operações bélicas para defender a democracia (o mote teórico). Graças dou ao Pai poder hoje conversar com ele, mesmo sabendo que a democracia por qual ele lutou, na verdade, acabou por revelar os interesses privados da família Bush com relação ao petróleo e a indústria bélica. Infelizmente, a economia do mercado e do lucro nos fez apóstolos do consumo desenfreado que agride diariamente a natureza e nos faz ver que o mundo do Deus criador é, hoje, o mundo sem Deus. O Corona vírus foi fabricado nos laboratórios da natureza pela desarticulação brutal e gananciosa dos fatores que dão equilíbrio aos sistemas naturais, pois não esqueçamos que “O livro da natureza é UNO e INDIVISIVEL, incluindo, entre outras coisas, o ambiente, a vida, a sexualidade, a família, as relações sociais” (Bento XVI,2007).

_______________________

(*) Professor Aposentado (80). Ex-CEPLAC (1964 – 1989) Agradeço a minha filha Mabel, a assistência.

NOVO LIVRO DO MOREAU

EQUILÍBRIO FINANCEIRO PARA QUALIDADE DE VIDA

Altenides Caldeira Moreau

É um livro que trata das finanças pessoais. Propõe ao leitor ajuizar e refletir sobre o lado financeiro que tem de administrar diariamente, e se preparar para tomar decisões mais adequadas a obter resultados favoráveis para melhor uso dos seus recursos financeiros. Indica algumas mudanças de comportamento nos atos financeiros para manter, em média, os gastos abaixo dos rendimentos evitando as dívidas, especialmente as de consumo. Certamente com reflexos positivos para uma melhor qualidade de vida. Muita gente passa a maior parte do seu tempo pensando e falando em dinheiro, gastos, contas a pagar, dívidas, empréstimos, compra e venda e salários. O planejamento e a ação para o equilíbrio financeiro pessoal, e também empresarial, aqui tratados, farão sobrar tempo e dinheiro para as pessoas usufruírem muito mais das coisas boas da vida. (Aquisição com o autor:073.3639-5366)

A FITA MÉTRICA DO AMOR

Matha Medeiros

Como se mede uma pessoa?

Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento.

Ela é enorme para você quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravada.

É pequena para você quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade.

Uma pessoa é gigante para você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto.

É pequena quando desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma.

Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas: será que ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro nas suas medições?

Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, e sim de ações e reações, de expectativas e frustrações.

Uma pessoa é única ao estender a mão e, ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande. É a sua sensibilidade sem tamanho.

O PENSAMENTO DA SEMANA

Se cuide para continuar um coroa vivo

A POESIA DA SEMANA

CARÊNCIA DE COLO

Jay Wallace Mota

(SP, 10/05/2020)

A PIADA DA SEMANA

PIADA DE INFORMATICA

Se você……. ao final de uma prece diz EMAIL ao invés de amém. …já assinou um cheque e distraidamente usou @. …se sente inferior aos outros por ter um EMAIL ao invés de ter um inteiro. …ao pegar no sono tem dificuldade para se CONECTAR aos sonhos. …usa o PAINTBRUSH para se maquiar. …usa sua caixa de FERRAMENTAS para pintar o RODAPÉ. …naqueles dias usa MODEM ao invés de Sempre Livre. …diz que Nike é a marca do seu BOOT. …tem o costume de DELETAR seus amigos para a polícia. …para pegar um táxi vai ao PONTO COM. BR. …anda com MEMÓRIA de RAM. …vive abrindo suas JANELAS. …já fez um C*URSOR para vestibular. …para chegar em casa está sempre usando um ATALHO. …costuma preferir o MOUSE ao invés de um bom mousse. ….costuma ver SPAMtalho no seu quarto. …só sabe beber água da FONTE. …consegue provocar um curto no seu PAINEL DE CONTROLE. …mantém a sua ÁREA DE TRABALHO sempre limpa. …prefere um Cheese BUG ao invés de um Cheese Burger. Minha amiga!!! Meu amigo!!! Parabéns!!! Você é ser um internauta!!!

oOo

Acessar: www.r2cpress.com.br

PUBLICADA LEI QUE GARANTE AUXÍLIO DE R$ 500 A PACIENTES COM COVID-19 HOSPEDADOS EM CENTROS DE ACOLHIMENTO

POR ILHÉUS24HS

O Governo do Estado publicou, na edição deste sábado (16) do Diário Oficial do Estado (DOE), a sanção da lei 14.264, que autoriza o Poder Executivo a destinar recursos para pagamento de auxílio financeiro em favor de indivíduos infectados com o novo coronavírus, que aceitem ser hospedados nos Centros de Acolhimento. A lei, de autoria do Governo do Estado, foi aprovada pela Assembleia Legislativa (Alba) na última quinta-feira (14) e entra em vigor neste sábado (16) com a publicação no Diário Oficial.

Para ter acesso ao benefício, no valor de R$ 500, o paciente deverá realizar teste para confirmação do diagnóstico; assinar um Termo de Compromisso a ser entregue no momento de admissão; não possuir vínculo empregatício com carteira assinada, cuja remuneração permaneça mantida durante a pandemia; e não receber qualquer benefício previdenciário. Somente receberão o recurso pacientes que não precisem ser hospitalizados. 

A lei assegura aos pacientes que já estejam hospedados nos centros na data de sua publicação o recebimento do auxílio. O pagamento será feito em duas parcelas de R$ 250, pagas pelo Governo do Estado e pelo Município que for co-partícipe da medida. A secretarias estaduais da Saúde (Sesab) e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) editarão normas complementares ao cumprimento do disposto nesta lei.

PSICOMUNDO <> BRASIL SENDO DESTRUÍDO POR VÍRUS CEREBRINO DA CLASSE POLÍTICA <>

O mundo está envolvido por uma grande transformação de valores humanos perdendo a sua máxima força social e humana. Estamos numa tempestade em que os políticos estão na máxima de sua exagerada ânsia do poder e querendo mais recursos ilícitos do erário público. Os vícios das desonestidades jamais perderão deixar que as artimanhas de tantos políticos desistissem de continuar em sua pouca vergonha de enganar os brasileiros e destruir moral e economicamente o nosso País. Os traços de maldades são terrivelmente construídos em suas mentes como se fosse um apanágio de grandeza para mais tarde os filhos e netos não terem condições de analisarem os sentido ético e moral no seio familiar.

Então, podemos analisar a situação do universo em que vivemos, e particularmente em nosso País, que estamos diante de um vírus criado criminosamente da geopolítica na forma em que não podemos calcular os perigos e por que o novo coronavírus está causando tantos transtornos! E, são tantas informações e notícias, até fake news, na maioria das vezes difíceis do entendimento humano, notadamente, as pessoas reconhecidamente pobres e sem estudo e pouco conhecimento das duras e patentes realidades que vivem e até sofrendo em uma nação administrada por uma classe política mercenária, mesquinha e perigosa, e nada fazem além de deixar faltar tudo relacionado às necessidades básicas, num desconhecimento insano e desumano da realidade de vida da sua população.

Sabemos que revela a expressividade das redes, as conexões mundiais e os fluxos da economia globalizada. Podemos afirmar que o Covid-19, mais conhecido como novo coronavírus, é um vírus da globalização. Foi incrivelmente identificado pela primeira vez na cidade chinesa de Wuhan, em dezembro de 2019, segundo as fontes de comunicações, e que depois, o vírus já havia se espalhado por vários países do mundo, como mostram as manchetes de periódicos de distintas nacionalidades. Dessa forma, lutamos contra um inimigo invisível e letal que poderia ter sido combatido em alertas e se houvesse a presença da solidariedade humana entre os países que estão nessa enrascada e perigosa praga de pandemia.

A situação traçada pelo destino da sobrevivência de muitos países nos deixa na observação acerca do fluxo de pessoas, negócios, produtos e decisões entre a China e o mundo, a qual aumentou de maneira significativa nos últimos anos. Seria o Covid-19 um vírus urbano e global em se tratando de um novo contexto da economia mundial? Tal analise prende-se ao fato, a observação de que os políticos em nosso país, especialmente alguns prefeitos dos municípios e governadores dos estados brasileiros, estão preocupados em farras com erário publico. Pois o Poder Judiciário já está na cola dos políticos viciados na endêmica corrupção e superfaturamento dos recursos encaminhados e destinados às contratações de médicos, enfermeiros, formações de leitos com UTIs, aquisições de diversos materiais e equipamentos, a exemplo, de respiradores destinados aos cuidados para salvar vidas humanas.

Temos visto muitas preocupações acerca dessa trágica passagem mundial em busca da saúde humana, muitas pessoas orando, rogando a Deus misericórdia, e afinal o que falta é a exterminação no Brasil do vírus da hipocrisia revelada todos os dias no sentido de classe dos governos, o vírus da geopolítica revela a perversidade da ordem global, a dissimulação das grandes agências de notícias e o verdadeiro sistema de falsidades ideológicas com pilhagem praticada pelas corporações destinadas ao mal, custe o que custar. Essa geopolítica se retroalimenta de ativos públicos e deixam os Estados ainda mais reféns da trama corporativa. A justificativa para os repasses estará no ar, nas mentes e no pânico. PENSEM NISSO!!!

Eduardo Afonso – Ilhéus-Bahia

Prefeito solicita e governador Rui Costa envia 2 novas ambulâncias para Ilhéus

POR SECOM

Em atendimento à uma solicitação do prefeito Mário Alexandre realizada no dia de ontem (13), o governador Rui Costa enviou para o município de Ilhéus 2 novas ambulâncias sociais para atendimento aos pacientes positivos com Covid-19. As ambulâncias são do modelo S10, 0 km e chegaram na noite desta quinta-feira (14) na sede do Centro Administrativo.

“O que a gente tem lutado de manhã, de tarde e de noite para salvar as vidas das pessoas, não é brincadeira, não é fácil. Está aí o reconhecimento. Conversando com o governador, mostramos a dificuldade que estávamos tendo para transportar os pacientes com o aumento da demanda, e ele prontamente atendeu a necessidade do povo de Ilhéus. Só Deus sabe o que a gente tem vivido”, declarou o prefeito Mário Alexandre, que agradeceu ao governador Rui Costa, ao secretário de saúde Fábio Vilas Boas e a toda equipe do governo do Estado pela parceria jamais vista com o município e atenção para com o ilheense.

De acordo com o gestor municipal, essa entrega é o reflexo de muito trabalho e diálogo. Mário Alexandre relacionou ainda a extensão territorial do município e a necessidade de atendimento às localidades mais afastadas do centro urbano. “Temos vários locais distantes e a gente precisa estar sempre fortalecendo a saúde do município”, disse.

Para o secretário municipal de saúde, Geraldo Magela, “é impressionante a dedicação do prefeito para deter a pandemia em Ilhéus. A gente estava muito apertado e ontem o prefeito clamou ao governador. De imediato, no dia seguinte, mandou entregar as novas ambulâncias, que chegam no momento exato da nossa necessidade. Todo dia entra um paciente novo e a gente tem que parar as ambulâncias para desinfectar, tem todo esse trabalho que leva de uma a duas horas”, disse, ao destacar o reconhecimento da Bahia com o trabalho realizado em Ilhéus. Magela aproveitou para reforçar os agradecimentos ao governador e ao secretário de saúde do Estado.

A Prefeitura de Ilhéus decretou o isolamento social antes da confirmação do primeiro caso de coronavírus na cidade, em parceria com o governo baiano implantou o primeiro Centro de Atendimento Covid-19 do interior da Bahia, atendeu mais de 3000 pessoas por telefone com a Central de Atendimento da Vigilância Epidemiológica, realizou testagem em massa de profissionais de saúde, de idosos abrigados e servidores públicos, além de diversas fiscalizações e controles sanitários nos bairros e quarteirões da cidade.

 

Prefeitura de Ilhéus entrega kits de higiene para pessoas em situação de rua

POR SECOM

A Prefeitura de Ilhéus por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e o Centro Especializado de Pessoa em Situação de Rua (Centro Pop) estão entregando kits de higiene para pessoas em situação de rua. O objetivo é ajudar no enfrentamento à pandemia do Coronavírus.

Com máscaras, álcool em gel, preservativos, sabonete e aparelho de barbear, os kits estão sendo entregues diariamente no Centro Pop e durante as abordagens nas ruas.

“Estamos entregando os kits para a higiene pessoal das pessoas em situação de rua. Também são oferecidos café da manhã, almoço e lanche de segunda a sexta-feira. Nossa equipe também orienta  e demonstra como eles devem se prevenir da Covid 19 ”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Rubenilton Silva.

Centro Pop – As pessoas em situação de rua podem ter acesso ao Centro POP de forma espontânea, quando desejar. A Secretaria de Desenvolvimento Social através do Serviço de Abordagem também encaminha o cidadão para a unidade. O Centro Pop de Ilhéus funciona na Avenida Candeias, bairro Conquista, de segunda a sexta, das 9h às 13h.

Comitê emergencial da UFSB divulgou sétimo boletim semanal sobre epidemia do covid-19 no Sul da Bahia

Comitê Emergencial de Crise da Pandemia de Covid-19 da UFSB publicou o sétimo boletim do Observatório da Epidemia do Novo Coronavírus no Sul da Bahia. A edição analisa os desenvolvimentos relativos ao período de 02 a 08 de maio de 2020 e abrange os territórios do Sul e Extremo Sul do estado. Em destaque na edição:

  • –>Análise do panorama semanal no Brasil e nos municípios do Sul e Extremo Sul;
  • –>Projeções de tendências para a região, incluindo estimativas nos cenários com e sem supressão de fluxo de pessoas;
  • –>Mapeamento de iniciativas institucionais,
    • O projeto  de extensão “Fitoprodutos na valoração econômica da Cabruca“, originalmente voltado para capacitar agricultoras familiares na prospecção de óleos essenciais e e extratos padronizados oriundos da cabruca para fabricação de cosméticos, itens de higiene e fitoterápicos. A equipe do projeto reorientou suas ações para elaborar álcool em gel, sabonetes e soluções antissépticas para apoiar o combate ao novo coronavírus, sob coordenação da professora Jannaina Velasques da Costa Pinto e do professor Emerson Machado.
    • Outra iniciativa apresentada é o “Plantão Psicológico Online”, projeto coordenado pela professora Gabriela Andrade da Silva (Centro de Formação em Ciências da Saúde) e desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do ABC (UFABC) e o Instituto Federal de São Paulo (IFSP) que oferece atendimento pontual mediante emergência psicológica. Para receber o atendimento, é preciso se cadastrar via formulário eletrônico.
    • Na próxima quarta-feira (13/05) acontece a primeira edição da série de diálogos internacionais online sobre o enfrentamento da pandemia. O evento terá como tema “Saúde Indígena na América Latina em tempos de COVID-19” e contará com a participação de Sebastian Medina (médico e antropólogo chileno), Luciane Ouriques (sanitarista e antropóloga) e Daniel Iberê (liderança Guarani Mbya e doutorando da Universidade de Brasília). A organização é do Grupo de Pesquisa Saúde Coletiva, Epistemologias do Sul e Interculturalidades, coordenado pela professora Raquel Siqueira da Silva e pelo professor Márcio Florentino Pereira (Centro de Formação em Ciências da Saúde), e pela Rede Sul-Sul. Interessados podem participar do evento, que inicia a partir das 14h, pelo link: meet.google.com/wnh-ovba-eoc.
  • –>Recomendações de prevenção, nesta edição tratando do uso, higienização e conservação de máscaras de pano.

 

Documento relacionado

Boletim nº 07 do Observatório da Epidemia do Novo Coronavírus no Sul da Bahia (11/05/2020)

 


Heleno Rocha Nazário
Jornalista – Mestre em Comunicação Social (PPGCOM/PUCRS)

UFSB Ciência: Artigo pioneiro constata aumento do número de casos de picada de escorpião no Extremo Sul da Bahia

Um artigo sobre o número de casos de pessoas picadas por escorpiões no Extremo Sul da Bahia traz informações importantes para o cuidado com a saúde. O texto Escorpionismo no Extremo Sul da Bahia, 2010-2017: perfil dos casos e fatores associados à gravidade foi publicado na revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, editada pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. O estudo é assinado pela bióloga e mestra em Ciências e Tecnologias Ambientais (PPGCTA) pela Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Nereide Santos Lisboa, e pelos professores Vanner Boere e Frederico Neves Monteiro (UFSB), que a orientaram na pesquisa Fatores Epidemiológicos e Socioambientais do Escorpionismo no Extremo Sul da Bahia, defendida no PPGCTA/UFSB em dezembro de 2019. As conclusões expostas no artigo apontam para aumento dos casos de picada de escorpião, com os casos graves ligados a indivíduos mais jovens e às ocorrências na zona rural. A maior parte das pessoas atendidas nesse recorte foi constituída por pessoas em idade produtiva, residentes no meio rural, com baixa escolaridade, do sexo masculino e negras.

A pesquisa reuniu dados de 3.055 casos ocorridos nos municípios do Extremo Sul da Bahia entre 2010 e 2017, que resultaram em 411 casos graves e dez mortes. Apesar da queda do número de mortes ao longo do período analisado, a tendência é de crescimento do número de acidentes escorpiônicos, o termo usado para indicar picada de escorpião no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Foi nesse sistema que Nereide reuniu os dados com os quais trabalhou para entender o que provocou esse aumento.

A preocupação tem muitos motivos de ser: a ocorrência desse tipo de acidente é tão grande em diversos países tropicais a ponto da Organização Mundial de Saúde (OMS) incluí-lo na lista de doenças tropicais negligenciadas, fazendo companhia às leishmanioses e à febre malária, dentre outras. Doenças tropicais negligenciadas são aquelas associadas tanto às situações de miséria que favorecem o contágio quanto ao pouco interesse da indústria farmacêutica em criar tratamentos novos e mais eficazes para essas enfermidades.

No Brasil, o escorpionismo é tido como problema de saúde pública. O monitoramento de acidentes causados por animais peçonhentos é realizado via SINAN desde 1993, e a partir de 2009 o Ministério da Saúde tem realizado esforços qualificar equipes de saúde para identificação, manejo e controle de escorpiões, em parceria com as secretarias estaduais. Mesmo assim, o país registra um aumento substancial da quantidade de casos: de 52.509 em 2010 subiu para 124.077, com 740 mortes decorrentes.

A investigação feita por Nereide é a primeira a focalizar o território do Extremo Sul da Bahia a respeito do escorpionismo. Outra inovação do estudo foi o cruzamento dos dados epidemiológicos do SINAN com o Índice de Vulnerabilidade Socioambiental (IVSA), fator que integra informações ambientais, sociais e econômicas para entender como o tipo de atividade produtiva, escolaridade e infraestrutura de saneamento urbano, por um lado, e as condições climáticas e as alterações que o ser humano causa no ambiente,  por outro, interagem para esse quadro de aumento dos acidentes escorpiônicos.

A bióloga e pesquisadora Nereide Santos Lisboa, atuante na Vigilância Epidemiológica, fala mais sobre a pesquisa e os resultados apontados.

Esse estudo vem a ser o primeiro sobre o escorpionismo focado no território Extremo Sul da Bahia? Que aspectos do desenho da pesquisa você destaca como diferenciais? :: LEIA MAIS »

– Atividades emergenciais das universidades federais para combater a pandemia

ANDIFES – Coletiva de imprensa por videoconferência.

Atividades emergenciais das universidades federais para combater a pandemia.

As primeiras fases de enfrentamento da COVID-19 foram cumpridas com muita colaboração e êxito pelas universidades federais. Diante de um quadro absolutamente incomum e complexo, seguindo as diretrizes estabelecidas pelas autoridades sanitárias, orientadas pelos melhores cientistas, e com interlocução com o governo federal, estados e municípios, avaliamos como positivos os resultados alcançados até o momento.

Em poucas semanas, em todo o Brasil, a saúde das comunidades universitárias foram salvaguardadas, mais de 1,2 milhões de pessoas; os alunos carentes já estão recebendo ajuda, nossos pesquisadores, técnicos e equipamentos mobilizados contra a pandemia; hospitais universitários plenamente incorporados; inúmeras atividades realizadas em todas as áreas do conhecimento, com o funcionamento administrativo adequado à situação.

As universidades federais estão cumprindo um papel fundamental nesse tempo de pandemia. Nesta segunda-feira, 11 de maio, às 10h, o presidente da Andifes e reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), João Carlos Salles Pires da Silva, anuncia os dados de uma pesquisa feita pelo Colégio de Gestores de Comunicação da entidade sobre as ações que as IFES desempenharam até o momento em relação à Covid-19. O levantamento resultou em uma amostra significativa de atividades de ensino, pesquisas e extensão voltadas para o enfrentamento emergencial da pandemia.

Os números impressionam pelo volume e qualidade do que as universidades públicas estão realizando em todos os Estados brasileiros. Quantos leitos de hospitais universitários foram reservados para o tratamento de pacientes com o coronavírus, em unidades de tratamento intensivo e enfermarias? Quantas pesquisas estão em andamento nesse momento nas universidades públicas brasileiras? Quanto de álcool gel e EPIs as universidades entregaram para hospitais e comunidade? Quantas ações de testagem estão acontecendo com apoio das instituições federais de ensino? Quantas campanhas educativas elas fizeram até agora? Quantas ações de solidariedade foram feitas junto às comunidades? Quantas parcerias foram executadas junto a governos estaduais e municipais e suas respectivas secretarias de saúde?

Além da entrevista, a Andifes oferecerá, via Colégio de Gestores de Comunicação, fotos, vídeos e fontes para os veículos de comunicação terem facilidade de apresentação dos dados da pesquisa.

Para ajudar na organização da nossa Coletiva de Imprensa por videoconferência usaremos a seguinte metodologia:

1-      A sala será aberta às 9h50.

2-       Iniciaremos às 10h.

3-      O presidente da Andifes fará um fala de abertura de até 10 minutos.

4-      Em seguida cada jornalista terá a palavra por 1 minuto, para perguntas.

Data: 11/05/2020

Horário: 10h

Local: Sala de videoconferência da Andifes.

Após a confirmação de participação na Coletiva enviarmos o link para sala de videoconferência. #FiqueEmCasa

MARMITA MENSAL EM ILHÉUS,FAÇA SEU ORÇAMENTO- 988135460 (ZAP)

 

 





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia