Técnico Agrícola aposentado da Ceplac, José Rezende Mendonça é um memorialista/historiador/escritor, que nasceu no bairro do Pontal, em 1951 e vive até hoje aos seus 70 anos. Sempre ligado nas lembranças da sua infância e adolescência. No mês de julho próximo passado comemorou o lançamento de mais dois livros; o primeiro com o título: Memórias da Infância – “Lá vem o Bicho Papão”. Dedicado às lembranças de quando o Pontal ainda era distrito de Ilhéus, antes da construção da ponte Lomanto Júnior.

O livro tem ligação direta com as vivências do autor no bairro, no entanto, segundo José Rezende, por reunir elementos da cultura popular brasileira, a obra se comunica com a memória afetiva de toda uma geração. As brincadeiras na rua, nosso vocabulário, as músicas infantis, sentar na calçada para ouvir as histórias dos mais velhos. O livro relembra um Pontal onde o encantamento e o mistério eram mais presentes como mediadores da relação das crianças com o mundo da vida. Essa presença maior do mistério, produzida e reforçada pela linguagem cotidiana, também abria caminho para o que o autor descrevesse um tipo de educação pelo temor do desconhecido.

O segundo livro com o título: Relatos Ambientais – Mata Atlântica – “Verdades & Mentiras”. A finalidade foi evidenciar com mais clareza o que ocorreu com a Mata Atlântica no Sudeste da Bahia, com relatos ambientais, com verdades e mentiras, de uma região que ao longo do tempo, teve sua exploração com finalidades diversas em épocas distintas.

Para melhor compreensão, a Mata Atlântica do Sudeste da Bahia, dividimos em duas: a mata do Sul da Bahia com sua exploração com a cultura da piaçaveira (piaçabeira) e a introdução da cultura do cacaueiro, que teve um destino mais conservador. Já a mata do Extremo Sul, fora praticamente extinta. Da sua área de mata original total, em 1997 já tinha perdido 95% desta cobertura vegetal, basicamente para introdução da pecuária e a exploração da celulose, através de grandes áreas de reflorestamento com o eucalipto.

Também neste livro, relatos de toda uma dinâmica que envolvem os recursos hídricos, solos, vegetações, uso da terra, clima, relevo e o homem que sempre fora praticamente o responsável pelas causas e efeitos destas transformações envolvendo as áreas costeiras com suas praias, manguezais, restingas e campos naturais. O trabalho “45 Anos de Desmatamento do Sudeste da Bahia”, teve uma importância ímpar, que levou o Jardim Botânico de Nova Iorque, publicá-lo a nível internacional

Por fim, a relação e descrição das principais áreas de preservação, ricamente ilustrado com 57 fotos coloridas e 8 em preto & branco.

Os dois livros se encontram à venda apenas no site da editora Livrorama, nas versões impressa e digital. Estes são os links, para comprá-los respectivamente: https://livrorama.com.br/loja/produto/memorias-da-infancia https://livrorama.com.br/loja/produto/relatos-ambientais