WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia embasa sesab bahia


outubro 2020
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031






:: ‘_destaques’

475 militares chegam para reforçar limpeza das praias no litoral sul da Bahia

O prefeito Mário Alexandre recepcionou na manhã desta quinta-feira (14), no Porto de Malhado, uma tropa com 260 de fuzileiros navais. De acordo com o Comando da Marinha, 475 militares, sendo 260 fuzileiros navais e 215 militares foram enviados no intuito de agregar esforços junto a centenas de voluntários e representantes de diversos órgãos nas ações de limpeza das praias do litoral sul do estado.

Giovani Andrade, delegado da Capitania dos Portos de Ilhéus lembrou que o município se tornou exemplo nas atividades de preparação e diante disso, foi possível sensibilizar as autoridades para o envio dos militares. Andrade pontuou que a intenção é distribuir os fuzileiros navais nas praias da região, dando apoio aos demais órgãos envolvidos na ação.

“Ilhéus é uma base estratégica e o prefeito Mário Alexandre cedeu o Estádio Mário Pessoa para permanência da tropa, que irá atuar entre os municípios de Ilhéus e Caravelas. Os fuzileiros vieram para reforçar a atividade de monitoramento e limpeza das praias. A ideia inicial é que eles fiquem até o final de dezembro”.

Mário Alexandre destacou o apoio primordial da Marinha do Brasil, que também já encaminhou ao município Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para reforçar as ações de limpeza. “Mais um apoio importante para somar forças no combate ao óleo. Ilhéus hoje é referência de planejamento e organização administrativa para o Nordeste brasileiro”.

E completa. “Os fuzileiros navais cuidarão da costa baiana e diante disso, cedemos um espaço no município para que os militares possam se alojar. Com união e determinação conseguiremos superar esse problema”.

O capitão André Luiz, ex-chefe da equipe precursora da Operação Mar Azul em Ilhéus, enfatizou que a Prefeitura está dando o suporte e apoio logístico junto à Capitania dos Portos de Ilhéus. “Não conseguiríamos sem o apoio, mas estamos prontos para receber o efetivo que irá auxiliar no combate ao óleo em Ilhéus e nas demais cidades que compreendem a região sul e extremo sul do estado”.

O Comando da Marinha do Brasil lembra que os militares atuam do Maranhão ao Espírito Santo. As tropas chegaram à costa do Nordeste no início de setembro último.

 

NOTÍCIAS DA AVEP

CAPITÃES ALEX DE MOISES E RENATINHO DOS LEAIS VENCEM NA 20ª RODADA

Neste domingo(10) pela manhã a Associação dos Veteranos de Esporte Praiano –AVEP, entidade de ‘babas de praia’ quase centenária de Ilhéus, realizou sua 20ª rodada da citada modalidade esportiva –da Temporada 2019– com vitórias (Campo Grimaldo) das equipes dos capitães Alex de Moises e Renatinho dos Leais (Campo Martial) respectivamente pelos escores de 7 a 2 e 5 a 1. As equipes dos capitães Alvinho e Wendel da Autoescola foram, na mesma ordem, tomadoras de cacetes. Como sempre acontece os babas foram realizados na praia da Avenida Soares Lopes, imediações do espaço cultural Tenda Teatro Popular de Ilhéus e dos campos de tênis da Associação Ilheense de Beach Tennis – AIBT.

Obs. como se faz premente o envio para o site rc2press, esta Notícia avisa aos diletos ledores que deixou de inserir artilheiros, cartões e outros dados da rodada (20ª), em razão das ‘súmulas’ terem desaparecidas nas entranhas da Associação. O Boletim de Ocorrência foi registrado pela diretoria avepiana e aguarda-se –sobretudo pela importância estatística– o resultado. Sabedor deste ocorrido a conhecida língua ferina da Avep, Everaldo Cabeça de Flande, não hesitou em sair com essa: “Pô meu! Aí eu vi cachaça enjoada”

Equipes que atuaram, conforme súmulas, no Campo Grilmaldo:

(Cap. Alex de Moises): Goleiro Luciano, Gutemberg Trator, Correia do HSBC, Luís Mario Garotinho e Gilson; Nilton do BB, Daniel Murta e Erisvan; Marconi, Alex de Moises e Garrancho 100 Anos de Praia

(Cap. Alvinho): Goleiro Ricardo, Waldemar da Codeba(Silvio Reis entrou no intervalo), Alvinho, Vado do Bradesco e Paulinho da AFC; Paulo Cesar, Luciano Santana(Ralio da Contabilidade entrou no intervalo), e Charles Reis; Ivo Baba(Tabosa do Ofertão entrou no intervalo), Dorinho e Artur ‘Alicate’ Kruschewsky

Equipes que atuaram, conforme súmulas, no Campo Martial:

(Cap. Wendel da Autoescola): Goleiro Ranulfo(Goleiro Fernando entrou aos 35’ da 2ª etapa), Sizinio do Remo, Djalma Peludo, Galletti da Rio de Engenho e Heckel Januário; Adauto Negocinho, Souza da Polícia e Danilo; Alan Firula, Ismar Landgol e Wendel da Autoescola

(Cap. Renatinho dos Leais): Goleiro Pedro Chama Gol, Cesinha da Nacional, Gicelio Ram Ram, Prof. Jorge Reis e Eduardo Japonês; Junior Murta, Passos de Uruçuca, Major do Bahia de Itabuna e Claudio Assis; Fabio Alan e Renatinho dos Leais

COMENTÁRIOS

Como já observado pelos atentos observadores, na AVEP existe um problema delicado a ser sanado: a questão dos goleiros. Nesta rodada mais uma vez anotaram que a ausência de um goleiro de ofício no momento da chamada dos babas, prejudicou a equipe do Cap. Wendel da Autoescola que teve de improvisar um jogador de linha no gol. Resultado: sua equipe com o improvisado, ou seja, com um goleiro sem nenhum cacoete para atuar embaixo do travessão, levou 4 gols consideráveis não tomáveis por um com mais experiência na posição. Nesta situação

o time do Capitão Wendel da Autoescola levou 5 gols na 1ª etapa do de Cap. Renatinho dos Leais (só um com o goleiro de oficio, aliás um bonito gol do meia-de-ligação Claudio Assis. No tempo final o time perdedor fez um gol e teve predomínio nas ações do jogo). Este baba aconteceu no Campo Martial.

No Campo Grimaldo equipe do Cap. Alex de Moises saiu pro intervalo vencendo de 5 a 0 a do Cap. Alvinho. Na 2ª, com o placar difícil de ser revertido pelo time que tomava cacete, ainda houve mais 2 gols pra cada lado e fim de papo.

NOTAS

Antes do início dos babas houve um minuto de silêncio in memoriam de seu José Carlos Silva Santos, falecido dia 4.11.2019. Seu José é pai do promoter avepiano Zezinho da Baixa Fria

Texto do associado Heckel Januário. Fotos dos “babas” de Marconi Almeida, fotógrafo oficial e diretor de Divulgação da Avep. O Prof. Jorge Reis é o fotógrafo de momentos etílicos desta entidade e seu Secretário.

CANETA AZUL.

Luiz Ferreira da Silva,82

Engenheiro Agrônomo e Escritor

[email protected]

Enquanto lá em cima a música se engrandece com a chegada estelar dos grandes cantores (as), aqui embaixo são substituídos por uma safra chocha.

No Céu, fazem seresta o Cartola, o Cauby, o Nelson Gonçalves, o Luiz Gonzaga, o Dominguinhos, a Dalva de Oliveira, o Emílio Santiago, o Agostinho dos Santos, dentre tantos talentos que nos encantaram e, agora, o fazem aos anjos.

Aqui, em estádios cheios, uma leva de péssimos artistas, gritando letras desconexas, levam ao delírio uma juventude movida a muito álcool, sem noção de harmonia e, tampouco, melodia poética.

Exemplo recente: “Caneta Azul”. Nada contra o autor que soube se inserir nesse espaço medíocre, tornando-se, pois, um lídimo representante.

Presentemente, viajou Dona Ivone Lara, levando consigo a partitura do “Sonho Meu” para gáudio celestial. Houve comoção e foi reverenciada, que será sempre lembrada pela beleza de seus poemas.

Aí, eu me pergunto o que acontecerá quando for a vez de muitos desses forjados pela mídia estipendiária? Serão lembrados após a missa de sétimo dia? Terão cacife para a roda celestial comandada por Noel Rosas, quando lá chegarem?

O Brasil vem se apequenando neste mister desde a década de 70, com maior inflexão nos últimos 20 anos, quando o forró do Lua foi substituído pelas bandas sem zabumba; a música caipira de Inezita Barroso deu lugar a uma tal de sertaneja; e o samba autêntico de Cartola perdeu para os conjuntos de óculos escuros.

O mesmo acontece em outros setores das artes, a exemplo da televisão, desde as obras infantis aos noticiaristas, passando pelas novelas. É só comparar o Sítio do pica pau amarelo com os bonecos cibernéticos; confrontar o Bem-Amado ou a Gabriela com as atuais novelas globais; rever a dupla Cid Moreira/Sérgio Chapelin com as atuais.

E, assim, por diante; sempre com a balança pendendo a favor dos “patrasmentes”. Nem é preciso visualizar os outros setores de apoio e serviços que se deterioram!

O Brasil atual perde feio para o Brasil do passado.

Qual é a causa? Tudo isso é reflexo do declínio e falta de investimento, em sentido amplo, na EDUCAÇÃO.

Só, somente só!

III Vivência com a Arte Drag Queen a partir desta sexta em Ilhéus

Promovida pelo Grupo de Teatro/Circo Maktub, a terceira edição da Vivência com a Arte Drag Queen começa nesta sexta-feira (15) das 17h às 21h, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus. Entre as atividades previstas estão palestras, oficinas de maquiagem, canto, corpo, narrativas e debates sobre a temática. As ações seguem até o dia 23 às 20 horas, quando acontecerá o Cabaré Show com participantes das edições anteriores e a Mostra Experimental com as calouras. As inscrições são gratuitas e abertas a participantes de todos os gêneros, sendo que as vagas são limitadas. A classificação indicativa é 18 anos.

Pela primeira vez na região, um grupo visa pesquisar a temática drag queen. A III Vivência busca reunir pessoas interessadas em compartilhar informações, práticas e experiências do universo Drag Queen. Todo o processo da iniciativa é colaborativo, ou seja, vários olhares são democratizados durante as atividades pedagógicas, seguindo um cronograma pré-estabelecido. As inscrições devem ser feitas via formulário on-line, que pode ser acessado no link: https://tinyurl.com/w2mzsuz.

Tanto a Vivência quanto as apresentações contarão com pessoas de vários gêneros e sexualidades, mostrando que a arte Drag Queen é livre e sem rotulações. Várias mulheres já participaram e, nesta edição, também estão inscritas pessoas trans. “Esperamos desmitificar vários equívocos ou falta de conhecimento sobre esta arte tão discriminada”, concluiu Maurício Lima, que irá homenagear uma das referências na arte Drag Queen, Isabelita dos Patins.

De acordo com um dos organizadores da Vivência, Fábio Nascimento, este espetáculo é a oportunidades de todas, novatas ou não, levarem ao público suas inquietações e manifestações artísticas através das suas personas, suas drags. “Sem o compromisso de algo que se encaixe num formato comercial, o Cabaré Show dará maior liberdade para as atuantes explorarem ao extremo suas questões artisticamente”, complementou. Ao lado de Maurício Lima e Guto Pacheco, ele é um dos fundadores do Coletivo e do Grupo.

Histórico do Grupo

Ao longo do ano de 2019, o Grupo Teatro/Circo Maktub promoveu e ajudou a criar dois núcleos da arte Drag Queen, o Coletivo ArtDrag Sul Bahia reunindo várias drags da região para criarem espaços e possibilidades de investigação e exibição de suas manifestações artísticas. Já o grupo Drags do Maktub é um núcleo do grupo que já atua com os Palhaços do Maktub e Palhasseata de Ilhéus e o núcleo do Cabaré, com o Projeto Ilheenses Amados, que neste ano completa 15 anos em cartaz no Bataclan. A proposta do Drags do Maktub é voltada para a produção de pequemos shows, com formato cabaré, em que uma temática é escolhida e ali redesenhada através da arte Drag, bebendo em várias fontes, como a do Teatro de Revista.

SERVIÇO

VIVÊNCIA: De 15 a 23/11/2019.

Inscrições: https://tinyurl.com/w2mzsuz

CABARÉ SHOW/MOSTRA: Dia 23/11/2019 às 20h.

LOCAL: Tenda do Teatro Popular de Ilhéus

VALOR: Pague quanto quiser e chapéu.

Classificação 18 anos

Para mais informações: (73) 98859-4961, (73) 99138-1371, (73) 99159-7814.

Justiça Estadual de Itabuna realiza leilão eletrônico

Itabuna, 31 de outubro de 2019 – A Justiça Estadual de Itabuna em conjunto com o leiloeiro oficial Paulo Cezar Teixeira, realizam leilão eletrônico no dia 01 de novembro de 2019, a partir das 10:00 horas, pelo site [www.leiloesjudiciais.com.br/ba]www.leiloesjudiciais.com.br/ba. Serão leiloados terreno com 250m² localizado em Itabuna, veículos, e outros bens. Interessados podem obter informações mais detalhadas pelo site [www.leiloesjudiciais.com.br/ba]www.leiloesjudiciais.com.br/ba ou então pelo 0800-707-9272.

 

Município de Ilhéus incentiva o empreendedorismo social

Mais de 200 famílias ilheenses estão participando do projeto Empreendedor Social, realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SDS), iniciado em julho último. A proposta visa incentivar o desenvolvimento de atividades nas comunidades atendidas pelos cinco CRAS (Norte, Sul, Oeste, Vilela e Olivença) do município de Ilhéus.

Formalizar e implementar os negócios locais com geração de renda para as famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social, além de torná-las autossustentáveis financeiramente, são objetivos do projeto, que conta com palestras e consultoria do Sebrae. Os beneficiários aprendem maneiras de desenvolver seu negócio, tornando-o mais lucrativo, com menos desigualdade social.

Projeta ainda o fortalecimento e a unificação do trabalho público em rede. As secretarias municipais de Desenvolvimento Social (SDS) e Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Urbanismo (Semde), unificaram o projeto Empreendedor Social e a Sala do Empreendedor. “A ideia é fortalecer os projetos e proporcionar à comunidade cursos que promovam o crescimento profissional dos participantes”, destacou o titular da SDS, Rubenilton Silva.

 

OAS coloca primeira camada de asfalto e obras no acesso norte avançam

As obras da nova ponte avançam a cada dia. A OAS, empresa responsável pela construção, instalou o 18º cabo, restando cinco estais e 30 metros para unificar os lados, e formar a primeira ponte estaiada da Bahia. Nas imagens registradas pelo vice-prefeito, José Nazal Soub, a aplicação da primeira camada de asfalto do acesso norte. O prefeito Mário Alexandre esteve no local e conferiu os trabalhos.

“Um sonho se tornando realidade”, definiu o prefeito. “Extremamente feliz com todo esse trabalho e a parceria com o governador Rui Costa, juntamente com nossa equipe, discutindo sobre os acessos, as obras de urbanismo, estacionamento e iluminação. Um novo cartão-postal que surge, combinando os pontos turísticos existentes da cidade”, completou Mário Alexandre.

O sistema viário nos sentidos norte e sul terão duas pistas de cada lado com ciclofaixas. O novo equipamento vai ligar o centro urbano aos bairros da zona sul e vai atender 511 mil moradores de Itabuna, Una, Canavieiras, Buerarema, Itacaré e Uruçuca. Ademais, vai contribuir para o escoamento da produção agrícola, principalmente do cacau, e no desenvolvimento turístico do litoral sul do estado.

A Construtora OAS segue cronograma de operações e prevê conclusão da obra em janeiro de 2020 e o governador Rui Costa pretende inaugurá-la logo em fevereiro. Acompanharam o prefeito de Ilhéus, os secretários municipais, Átila Docio (Infraestrutura e Defesa Civil); Fábio Manzi Júnior (Cultura e Turismo); Airton Carvalho (Comunicação), técnicos e engenheiros da OAS.

POR SECOM

UMAS E OUTRAS DA CIDADE (XXX)

(NOTAS DE BELMONTE – ‘BEBEL’ PARA OS MAIS CHEGADOS)

Na versão da ‘calmaria’ da famosa rota das Índias pelo Atlântico, foram os portugueses os primeiros a pisar na Terra Brasilis e os primeiros a ocupa-la.

Atraídos pela possibilidade de melhoria de vida ou por perrengues de alguma ordem no local de origem, outros, como espanhóis, alemães, italianos, japoneses, turcos, árabes também pintaram aqui no pedaço e contribuíram para a construção do país chamado Brasil.

Para encurtar percurso, vamos passar de passagem pela escravidão nativa e africana, abominável sistema visto como divino na época, e pelo ‘branqueamento’, variante tupiniquim da eugenia, ideologia copiada da Europa e abraçada por parte de nossa intelectualidade no fim do Império e nas décadas seguintes da República e que entrou no rol das motivações da política de ocupação brasileira. Tais intelectuais acreditavam que a ‘raça branca’ era superior em todos os aspectos inclusive no resultado da miscigenação ao afirmarem que, no cruzamento de nossos mestiços com brancos deles, ao cabo de algumas gerações, o processo geraria –somente– brasileiros branquinhos e de olhos azuis.

Como tudo começou no Sul da Bahia, Belmonte, pertinho –controvérsias à parte– das lançadas âncoras lusitanas, também abriu as portas aos das plagas europeia como alemães, suíços, portugueses… e um montão de italianos. Estes foram tantos que não demorou ser criada, pelo governo italiano, a Delegacia da Real Agência Consular da Itália na cidade. O cultivo do cacau nas férteis margens aluviônicas do Jequitinhonha se tornou o atrativo dominante para os imigrantes. Antes –com os portugueses–, a atração era seu leito: nele abundavam pedras preciosas, sobretudo, ouro e diamante. Não é o total dos registros, mas Bartelotti, Burlacchini, Trocolli, Bartoli, Paternostro, Nervino, Multari, Baffica, Giffoni, Guerrieri, Tedesco, Carnovali, Casali, Daiello, Ferrari, Leonardo, Magnavita, Mega, Pastore, Ricci, Roconi, Romano, Tartari, Tosto são ramos familiares que proliferam em Bebel e foram –e são– do conhecimento de muitos belmontenses.

Deles, Magnavita se tem como de maior número de chegantes, bem como um caso meio exótico na conta de Bebel, acontecido nos anos 60 do século passado na Praça 13 de Maio, espaço onde residiam vários italianos. Em uma das residências –um casarão dividido ao meio por um alongado corredor, com cozinha, sala, banheiro etc., separados– residiam duas famílias. De um lado a de Salvador Magnavita(conhecido como Dudu) casado com Alice Magnavita e mais 4 filhos, e de outro o casal Eustáquio Almeida Barbosa(chamado de Taquinho) e Orienta Magnavita e seus 8 rebentos. Conta-se que entre os maridos (aliás cunhados: Orienta é irmã do Dudu) e entre as proles dos casais, embora o relacionamento não fosse de aproximação, a convivência era sem beligerância. Agora, com relação às duas esposas, era um ‘pega pra capar’ da zorra, uma desavença sem fim, em especial quando se topavam nessa passagem. Apesar de não se ter notícias que as senhoras tenham ‘saído na mão’ em algum momento, era um entrevero bastante comentado na cidade. O surpreendente é que em Bebel –honrada sempre com distinção e louvor em matéria de bisbilhotagem na Região Cacaueira–, nunca ninguém, nem mesmo os

fofoqueiros de plantão, esclareceu a razão da divergência, ficando a intriga como um eterno segredo familiar.

Mudando de pau pra cacete, o historiador Durval Filho no tópico ‘Italianidade dos Filhos da Imigração’ de sua dissertação de mestrado “Belmonte, Memória, Cultura e Turismo: uma (re)visão de Iararana de Sosígenes Costa”(2003) relata num dos trechos que a maioria dos italianos que pintaram em Bebel, vieram de Paola, região da Calábria no Sul da Itália, e, que, ao aproveitarem da expansão da cacauicultura e do avanço capitalista, foram bem-sucedidos. Tornaram-se fazendeiros de cacau, comerciantes e até empreenderam atividades socioculturais. Durval defende noutros que o envolvimento deles com o cacau em Bebel no Sul da Bahia e com o café em São Paulo, “…atividades produtivas sem raízes europeias e muito menos italianas…”, foram fatores de ‘abrasileiramento’ desses imigrantes italianos. E diferencia dos vindos do Norte da Itália para o Rio Grande do Sul e que aí, ao enveredarem na produção de uva e vinho, ”reproduziram uma atividade típica da região de origem…”. E desse jeito instalaram “… a infraestrutura que reproduziria a cultura do país de origem”.

Heckel Januário

Em tempo: a belmontense Maria Delvina, residente em Salvador -Ba foi importante na elucidação das dúvidas no caso da Praça. Delvina conviveu ainda criança com os dois casais (não estão mais aqui no nosso convívio) – e descendentes–, e os tratava de tios e de tias. É sobrinha de sangue de Taquinho, irmão de Zimbu, o homem das ‘Bodas de Ouro” de namoro focado na parte passada (XXIX) dessas Notas.

Em tempo2: filhos de Dudu sem ordem cronológica: Ivo, Ivan, Ivani e Irlene. Idem de Taquinho: Ivone, Ivonete, Nice, José, Geferson (Gé Popo), Silvia, Yolanda e Maria do Carmo.

Em tempo3: O citado ‘casarão’ ainda existe e mantém a fachada. À Praça 13 de Maio, chamavam-na, por motivos óbvios, Praça dos Gringos.

Em tempo4: Bebel, como se sabe, foi a 3ª localidade a desenvolver o cacau no Sul da Bahia, depois de Canavieiras e de Ilhéus.

Secti conclui etapas regionais da Conferência Estadual de Ciência e Tecnologia

Discutir ciência, tecnologia e inovação em todos os cantos da Bahia foi a proposta da Secti ao passar por onze cidades

Após passar por onze municípios do interior baiano, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) concluiu, nesta quinta-feira (31), em auditórios da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) nos campus de Irecê, Senhor do Bonfim e Barreiras, as etapas regionais da IV Conferência Estadual de Ciência e Tecnologia, que acontece nos dias 5 e 6 de dezembro, em Salvador. Em cada macroterritório foram eleitos 20 delegados, divididos em subgrupos compostos pelo setor público, empresarial, acadêmico, entidades e sociedade civil organizada. Eles serão responsáveis por levar as demandas de cada região para atualizar a política estadual de C,T&I.

Representante da Secretaria na Conferência de Senhor do Bonfim, a diretora de Políticas Públicas da Secti, Sahada Luedy, ressalta que o caminho para atualizar uma política estadual precisa levar em consideração as demandas de cada local. “É importante pensar em políticas para uma localidade baseado nas especificidades locais para que assim possamos desenvolver uma região a partir das suas demandas reais”, disse a diretora.

Já no campus da Uneb em Irecê, outra cidade que participa das últimas edições da Conferência, o diretor do campus ireceense, Cláudio Meira, declara a satisfação em receber uma das etapas e afirma que enxerga a iniciativa como uma forma de aproximação entre sociedade e governo, pois, dá a oportunidade para que as pessoas debatam e apresentem as demandas locais. “Mobilizamos toda sociedade civil, grupos, entidades representativas e acredito que teremos bons delegados e delegadas para levar as demandas necessárias para nosso território”, disse.

Em Barreiras, o clima é de celebração, mas também de trabalho duro. O diretor da Uneb do município, Joaquim Neto, acredita que os representantes locais vão propor soluções tecnológicas e políticas para a área de C,T&I. “É uma oportunidade única descentralizar o debate da capital e trazer para o Oeste da Bahia para que possamos propor uma legislação do setor que tenha alcance em todo o estado”, concluiu.

Turismo Cultural como forma de empreendedorismo juvenil

PROGRAMAÇÃO
09:00 – Apresentação do Projeto
09:10 – Experiências dos Jovens Intercambistas na Polônia e em Málaga
09:20 – Palestra – “Turismo Cultural e o Mercado de Trabalho – Oportunidades”
09:45 – Apresentação da Plataforma de Cursos Online do projeto
10:00 – Finalização e Entrega dos Certificados
Local: Auditório do CEEP do Chocolate Nelson Schaun, Malhado, Ilhéus
 A Conferência é a última etapa do projeto CTAFOYE sobre Turismo cultural como forma de empreendedorismo juvenil.
A palestra será com o professor Reinaldo Soares.
Podem participar jovens a partir de 16 anos e público em geral. Entrada franca.
O projeto é co-financiado pelo programa Erasmus + da União Europeia.
Os certificados serão emitidos pela Cooperbom Turismo
Os jovens que foram a Polônia e a Espanha irão compartilhar suas experiências
 Em fevereiro os parceiros do consórcio estiveram em Ilhéus para a reunião inicial do projeto. Em abril duas polonesas estiveram em Ilhéus para conhecer a história e o turismo local, em maio quatro ilheenses foram a Polônia para conhecer as atividades desenvolvidas no turismo de em Gdynia e Gdansk e para diversas visitas técnicas e um treinamento sobre Turismo cultural e empreendedorismo juvenil. Em setembro seis jovens estiveram em Málaga na Espanha para um intercâmbio onde aprenderam diversas ferramentas para empreender no tema do projeto e criar network.
Essas experiências foram fantásticas para os jovens locais que fardo a diferença em suas carreiras no futuro.

Hakson Andrade disparou na reta final do circuito baiano de judô

O atleta ilheense Hakson Andrade, líder do ranking Estadual e terceiro no Nacional, disparou na reta final do circuito baiano de judô. O atleta atualmente na categoria-66 veteranos A, é líder disparado, com o resultado conquistado neste final de semana, na cidade de Canavieiras, BA, onde sagrou-se bicampeão da mega etapa. O evento que contou com a participação de 300 atletas. Mesmo sem apoio o atleta ilheense não desiste dos seus sonhos e colocou Ilhéus no topo do judô baiano. Agradeço aos meus parceiros : Cida Morais (Cri). Danillo (planetacel). Tiago(prefire). Academia Raiz. Academia Corpore. Quem quiser ajudar o atleta entre em contato no telefone: (73)988149980 ou pelo Instagram @haksonjudo

Hospital de Base de Itabuna instala poltronas reclináveis para acompanhantes

O Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães, em Itabuna, acaba de instalar 160 novas  poltronas  reclináveis, acolchoadas e com apoio para os pés,   destinadas a acompanhantes de pacientes internados nas quatro enfermarias. É a primeira vez que o hospital, que completou 21 anos de implantação,  oferece essa estrutura, que garante maior comodidade e conforto.

Os usuários  aprovaram as novas poltronas. De acordo com Edna Ferreira da Silva, moradora do bairro Ferradas, em Itabuna, que acompanha o marido após uma cirurgia de hérnia, “ficou muito melhor para as famílias, as cadeiras são muito confortáveis e é possível repousar durante a noite, a direção do hospital está de parabéns por melhorar o atendimento”.

“Antes a gente só dispunha de cadeiras de plástico. Essas novas cadeiras permitem mais conforto para quem precisa ficar ao lado dos pacientes. Dá pra sentir que o atendimento no Hospital de Base vem melhorando a cada dia”, destacou Laurindo da Conceição, que acompanha o pós-cirúrgico de um parente.

A instalação de novas poltronas reclináveis faz parte do processo de humanização do atendimento no Hospital de Base de Itabuna, que atende pacientes de cerca de 160 municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia, através do Sistema Único de Saúde-SUS.





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia