WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


Maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  






:: ‘Espaço do Leitor’

TERRAS AVISTADAS POR CABRAL

OS TABULEIROS DA MATA ATLÂNTICA DO SU DA BAHIA

Luiz Ferreira da Silva

Engenheiro Agrônomo e Escritor.

[email protected]

Cabral, depois de muitas milhas marítimas em sua avidez de descobridor

Deparou-se, ao chegar à Bahia, com o esplendor florestal

Que beleza, esta mata exuberante a perder de vista!

Cenário nunca apreciado em sua terra natal.

Caminha, o Escrivão da frota, com visão mais profunda

Avistou não só as belas planícies verdejantes; também as falésias ao mar

Nas encostas, o solo amarelado, profundo e com camadas distintas

Em carta ao Rei: “aqui em se plantando tudo haverá de dar”.

Estava assim descoberta a Mata Atlântica do Sul da Bahia

Também os sedimentos formadores dos solos de tabuleiros planos

Ecossistema úmido tropical, rico em recursos naturais e espécies endêmicas

A interação “fito-edafo-ecológica”, em clímax e compartilhada em milhares de anos.

463 anos depois (1963), novos descobridores carimbaram o fato

Pesquisadores (CEPLAC) estudaram o solo, a vegetação, o clima e demais correlacionados

Implantaram cultivos, desenvolveram tecnologias de manejo e mapearam a região

Concluíram: “floresta rica em espécies e solo apto para plantios diversificados”.

Hoje, depois de uma devastação sem igual, com reflexos danosos ao solo

Um novo momento agrícola explode, contrapondo à região contígua – cacaueira

Esta com os males da monocultura e limitações às técnicas de precisão

Enquanto os tabuleiros da mata atlântica aptos à agricultura de primeira.

(Maceió, AL, 01 de outubro de 2017)

VIA CRUCIS DE UM PAIS DE ME……

Duarte Coelho 1498, Pedro Álvares Cabral 1500. Rio Grande do Norte, Pernambuco, Maranhão, Bahia? Quem e aonde foi descobrida ou achada a terra brasilis. Em virtude do inicio controverso, podemos afirmar que não sabemos onde a me… Começa,entretanto,vou mostra a todos os fatos marcantes ocorrido ate a presente data.

Comecemos pela COLONIZAÇÃO, com a matança dos índios em nome da respeitável e superior civilização européia com a convivência da  igreja. O surgimento da lavoura  da cana de açúcar e a mão de obra escassa,  requereu uma providencia e assim em 1539, com  a chegada  dos primeiros escravos, inicia-se uma das partes mais vergonhosa da nossa historia.

 Torna-se a sede do IMPÉRIO português a partir de 1808 por conta da invasão de Napoleão a península ibérica. Em 1821 D. João retorna a Portugal e deixa seu filho Pedro para governar como regente; Pedro começa a discordar de Portugal e em 1822, às margens do Ipiranga sem sequer dar tiro de garrucha proclama a INDEPENDENCIA.

Já com Pedro II, acontece a guerra do Paraguai, fomentada pela Inglaterra, na época a dona do mundo a tríplice aliança, Brasil/Argentina/Uruguai, promovem o massacre, que segundo alguns historiadores só sobraram velhos e crianças paraguaias

A elite(sempre ela),tem restrições a Pedro  II que só tinha filhas, o trono  seria da princesa Isabel,  casada com um Frances, Gastão de ORLEANS,a elite,acerta; ORLEANS,desde o império!!!!!!!!!! Outra restrição era que os negros que chegaram a partir de 1839, lutaram na guerra e quando retornaram permaneceram escravos.

Num golpe civil militar acontece a PROCLAMAÇÃO da republica, em 1889 e pasmem. somente uma pessoa por conta da lambança, o comandante LADARIO, tomou um tiro na bunda.

Como contador da história, fui fiel aos fatos, deixo para os leitores, caso apareçam à fineza de completar o título “MERDA OU MENTIRA;

TONHODEMACUCO

MAIO/2019

COTIDIANO

COTIDIANO

TRANSITO DE VEÍCULOS NA CONFLUENCIA DAS AVENIDAS LOMANTO JUNIOR E SAPETINGA.

Bastante proveitosa a presença de agentes do SUTRAN no Semáforo da Avenida Lomanto Junior com Avenida Sapetinga, na parte da manhã.

Ordenando o transito na confluência de Avenidas com sinalização de cones e coibindo veículos que trafegavam na contramão na Avenida Sapetinga. Essa situação deu segurança aos veículos e pedestre que circulam pela área.

Trabalho de orientação, segurança e educativo deve acontecer sempre de acordo programação do SUTRAN.

Boa atuação dos agentes transito e coordenador do SUTRAN.

Desejamos bons serviços e boa segurança a todos nós cidadãos.

[email protected]

Ilhéus, 17 de maio de 201

O QUE NÃO FALTA AO BRASIL

Eu, ainda estou encasquetado com o Pedro Dória, jornalista querendo mostrar através de sua escrita no GLOBO “O QUE FALTA AO BRAIL” Não me convenceu e pensei, vou retrucar e dizer prá ele   O QUE NÃO FALTA AO BRASIL.

Como o que falta; o que não, é de um volume grandioso. Não seria inteligente nominar tudo e todos e os apresentarei de maneira homeopática, isto é, de bocadinho em bocadinho.

Exemplemos Cientistas políticos e técnicos de futebol, são milhares, talvez milhões, no caso, da 2ª afirmação. E pra que servem?

O cientista, adjetivo respeitado e pomposo atua nos meios de comunicação, via de regra na televisão. Fala pausada ar compenetrado de profundo conhecedor das mazelas da terra brasilias. Seu semblante exala o corporativismo que tanto mal faz pela desinformação que despeja diariamente nos lares do Brasil. Confesso não saber como se forma um Cientista político, só tenho uma certeza são picaretas.

Quanto ao técnico de futebol é encontrado em qualquer esquina, em mesa de bares, e quando contrariado, se com o rabo cheio de cana, pode chegar a vias do futibolcidio.  Técnico de futebol campeia em todas as classes sociais, vai da pobreza absoluta até os estúdios luxuosos das Tvs.

Seguramente, milhões de nós entendem de futebol, são tão inteligentes que através das redes sociais marcam duelo, onde sempre entre os contendores alguém sobra.

Num País onde clube de futebol sonega imposto não recolhe FGTS, previdência, presidentes de federações se perpetuam no poder para eleger a cúpula da podridão do futebol brasiliis. Eis aí Dória, duas mazelas que não falta ao Brasil.

TONHODEMACUCO

COTIDIANO

ESTACIONAMENTO DE VEÍCULOS NAS RUAS DO PONTAL.

O transito de veículos em determinadas ruas do Bairro Pontal é desordenado devido ao estacionamento constante nas laterais da rua, prejudicando a circulação de veículos.

Grande parte dos veículos estacionados é de pessoas que não residem nessa rua. Veículos estranhos estacionados diuturnamente por vários dias prejudicando o acesso de seus moradores a sua residência e a garagem. Situação difícil para os moradores.

Ruas mais afetadas; Rua David Maia (do Bomfim), Dom Pedro II, Brigadeiro Eduardo Gomes.

O comercio varejista quando do recebimento de mercadoria tem dificuldade na descarga dos materiais na loja.

O Código de Postura do Município no seu artigo 106 faz uma citação sobre estacionamento em vias públicas.

LEI Nº 1105

DISPÕE SOBRE O CÓDIGO DE POSTURAS DO MUNICÍPIO DE ILHÉUS.

Art. 106 – Não será permitido o estacionamento de automóveis, caminhões e outros veículos: I – Nos passeios das ruas, nem no meio-fio confronte a residências alheias, salvo consentimento dos respectivos donos. II – Nas estradas, ruas, praças e logradouros públicos, de modo que impeça, embarace ou dificulte o trânsito das pessoas e veículos. § 1º – Será permitido o estacionamento momentâneo nos locais a que se refere os incisos I e II deste artigo, sempre que impossível estacionar em local outro e a finalidade de estacionamento seja atender a justo interesse inevitável e imediato.

Neste caso, será o veículo obrigado a deixar o local logo em seguida à satisfação do interesse, não podendo em qualquer caso, exceder de uma hora o estacionamento.

§ 2º – Os infratores deste artigo ficarão sujeitos à multa de valor igual a um (1) salário mínimo regional vigente, aplicada em dobro nas reincidências.

Gabinete do Prefeito Municipal de Ilhéus, 28 de maio de 1974.

Desejamos bons serviços e boa segurança a todos nós cidadãos.

[email protected]

Ilhéus, 12 de maio de 2019

UTILIDADE PÚBLICA: TORRE DE TELEFONIA SEM ILUMINAÇÃO NO TOPO

Torre (antena) de telefonia móvel, situada no bairro Hernani Sá, logradouro Faelba, encontra-se sem sinalização luminosa no topo, essencial para alerta a aeronaves. Vale salientar que tal obstáculo se situa a menos de 2 km do Aeroporto Jorge Amado.
Solicito providências à companhia telefônica responsável.
Nilson Pessoa

A NORMOSE E AS AÇÕES NA POLÍTICA.

Por Gustavo Kruschewsky

Pierre Weil define muito bem a expressão NORMOSE. Considera que é: “O conjunto de normas, conceitos, valores, estereótipos, hábitos de pensar ou de agir aprovados por um consenso ou pela maioria de uma determinada população e que levam à sofrimentos, doenças ou mortes, em outras palavras, que são patogênicos ou letais, e são executados sem que os seus atores tenham consciência desta natureza patológica”. Observe-se que no Brasil – até onde se sabe – uma minoria do eleitor ainda não está atenta à realidade “política” que se apresenta no dia a dia. Age inconscientemente na hora de votar! Uma pequena massa – que já foi a maioria – age dessa forma e inconscientemente sofre muito e faz os outros também sofrerem por ter esse hábito de pensar e de agir.

O prezado leitor e eleitor, nesse momento, deve lembrar-se da frase doentia de muita “gente boa”: Vou votar em fulano ou fulana porque “ele (a) “rouba mas faz”. “Rouba mas faz” é uma expressão que se enquadra como ação de normose historicamente aprovada tempos atrás pela maioria da população brasileira. Hoje está perdendo essa força e tornando-se, graças a Deus, ações de muito menos eleitores e de pessoas que têm mandato político. É só verificar o resultado das últimas eleições para Presidente da República. Mas, ainda se ouve “gente boa” proferir essas palavras. Já não é tão “normal” ouvir essa frase nos dias atuais. Havia na verdade um consenso doentio em torno da maioria dos eleitores dos vários rincões deste país bradarem: “Ele rouba mas faz”. Eles não tinham consciência da “natureza patológica” social dessa forma repudiada de pensar e finalmente de agir nas urnas.

Infelizmente ainda existe – É OUTRO TIPO DE FENÔMENO PREOCUPANTE – em quase toda a população brasileira o desconhecimento de que o Executivo não tem o poder que muitos pensam. Depende muito das decisões dos parlamentares e até do “Poder” judiciário. Por isto é importante também saber em quem votar para vereador, deputado estadual, federal e senador.

Nesta atual legislatura não se vê ações democráticas de alguns congressistas e sim de interesses próprios aproveitando-se da condição de parlamentares. Por exemplo: Existem algumas famosas bancadas nos dias atuais que concentram vários congressistas investigados em órgãos competentes que ainda estão vivíssimas atrapalhando as reformas que são encaminhadas pelo Executivo, pelo fato de que pode atingir a eles próprios. Defendem a sua famigerada “ideologia”. Será que foram eleitos com os votos daqueles que ainda professam o “rouba” mas faz? Não há negar que é dado ao legislador – através da formação da CCJ Comissão de Constituição e Justiça – verificar, por exemplo, a constitucionalidade ou não do projeto de lei que o executivo encaminhou e de forma imparcial alterá-lo se for o caso.

O Brasil está dando uma guinada para melhor depois do surgimento da OPERAÇÃO LAVA A JATO. Não está fácil, porque ainda se verifica alguns “políticos partidários” que não foram sepultados, já com raízes criadas, que agem mentindo para os cidadãos e cidadãs e terminam acreditando na própria mentira. Só fazem atrapalhar e tumultuar! Tem históricos de que corromperam. São identificados na lista pelo menos na condição de investigados. Já cristalizaram nos seus maus sentimentos que corromper é uma ação normal. Perseguem muita gente depois de eleitos, inclusive seus pares e “colegas” de outros poderes da república. Muitos deles não têm consciência que são mandatários e que devem servir ao povo brasileiro. Este é outro aspecto muito preocupante.

É normose desses mandatários, no cenário da politicagem brasileira, fazerem conchavos com “empresas” de ônibus, com outras empresas de veículos automotores, com empresas de petróleos e seus derivados, porque gera muita grana, pior ainda, sem nenhuma discussão do mal que os combustíveis fósseis vêm causando a todos os seres viventes. Por acharem tudo “normal” inconscientemente eles vão incrementando males no meio ambiente, desde a poluição que atinge o ar, os leitos dos rios, os mares, à mobilidade urbana. Por causa desta minoria eleita, mormente no poder legislativo, ainda se dificulta a implantação em larga escala de administrações públicas bem-intencionadas antenadas com a sustentabilidade! Sustentabilidade se caracteriza na satisfação daquilo que é considerado absolutamente necessário, no que está experimentando aquela sociedade, e não atrapalhe que as futuras gerações continuem alcançando as suas necessárias satisfações.

O que acontece há muito é o reverso! As gerações passadas – a exemplos de ações de politiqueiros – com as suas normoses, dificultaram as gerações atuais satisfazerem as suas necessidades de forma sustentável. Portanto, um governo tem que entregar para o próximo governo um território social e político que não esteja destruído, e sim em condições de ser sustentado por muitos e muitos anos. Esse é o verdadeiro progresso. O mundo está mudando! E o Brasil deve acompanhar essas mudanças! As atividades humanas requerem novos modelos na economia, na verdadeira política com boas gestões nos Estados e Municípios brasileiros. É preciso uma normoterapia – terapia de normoses – pensar, dizer e fazer apenas o importante para a sociedade brasileira. Acabar com a farsa da “luta” pela ideologia partidária e trabalhar para a implantação de ações ideais para as pessoas terem qualidade de vida. Este é o dever de quem abraça a política de verdade. Quem governa tem que ouvir, máxime se estiver agindo errado.

Deve-se, doravante, votar em governantes que construam ou reconstruam as sociedades apresentando projetos preocupados com a sustentabilidade. As informações são constantes que as reservas convencionais do petróleo e do gás devem ser extintas ainda neste século 21. Acresce que os fatos estão aí, por causa do petróleo muitas ações de corrupção já foram registradas. É só lembrar da PETROBRÁS.

Necessário utilizar a energia solar e tantas outras espécies similares de energia que tenham a mesma natureza e função. Concomitante a essas ações, aí sim normais e inteligentes, dar condições de serem criadas mais indústrias de reciclagens. O politiqueiro precisa ser extirpado do contexto da política. Ele transita no viés da

corrupção e de outras criminalidades e por detrás dele tem toda uma rede para o exercício do mal feito de forma organizada que prevalece a hierarquia e os fatos estão aí! Ultimamente o chefão recai na pessoa do gestor mor do Executivo.

É preciso lutar para que os efeitos dessas históricas normoses sejam paulatinamente dizimadas, evitando-se com isso de se chegar de vez a uma destruição total dos seres viventes, principalmente os humanos. E qual é a arma? É o voto consciente sabendo em quem está votando. Os partidos devem lançar nomes de pessoas que irão exercer ações de políticas verdadeiras. O eleitor por sua vez deve reconhecer o verdadeiro candidato paladino, bravo e que lute pelo povo. Denunciar às autoridades competentes qualquer tentativa de compra de voto e diuturnamente fiscalizar os mandatários, porque o eleitor é o MANDANTE. Neste aspecto é preciso que toda a população acompanhe o desenrolar das reformas que estão sendo propostas na atualidade pelos poderes da república.

Acresce que não se pretende aqui que o ser humano se torne por decreto guardião da moral. Porém, a ética deve ser um princípio que acompanhe as pessoas no dia a dia. Ser verdadeiro é outra forma de mostrar a inclinação política. Ser benevolente com as pessoas é um traço também fundamental para se viver em sociedade. A paciência faz o ser humano cultivar a paz e o amor entre os seres viventes. É o que interessa para tornar o país bem melhor. As gerações futuras do Brasil agradecerão. Este deve ser o perfil dos mandatários no Brasil em todo o seu território daqui para frente.

QUE NESTES PRÓXIMOS 10 ANOS, ALÉM DA ARRECADAÇÃO DE MAIS DE 1 TRILHÃO DE REAIS PARA MELHORIA DE VIDA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA, TAMBÉM SE TOME TODAS ESSAS PROVIDÊNCIAS CITADAS ACIMA COM VISTAS A UMA VIDA MELHOR PARA O NOSSO POVO.

PSICOMUNDO <> ATENTADOS ATRIBUÍDOS POR MALDADES HUMANAS <>

O que vamos relatar foi extraído de atenciosa conversa diante das próprias vítimas, os pobres considerados por alguns como “indigentes”! Estamos falando simplesmente de pessoas que vivem em extrema miséria, entretanto, servem de cobaias que mostra o lado da falsa caridade que certos cidadãos, autênticos precursores da falta de caridade, contudo, vivem propalando as promessas com cantigas de profetas para aparecerem em destaques de primeira página nas colunas sociais. São duras serpentes ligadas ao mundo da destruição de seres humanos, aqueles desligados das situações dramáticas dos politiqueiros que reinam e governam o nosso País.

Quem já parou para conversar com gente de rua que vem aumentando todos os dias a nossa população? Verificamos tantas pessoas desconhecidas e maltratadas espalhadas na cidade de Ilhéus. Podemos chamar de gente nova em nossa cidade, ou mesmo que foram despejados pelas nossas ruas e bairros, trazidos por criminosos administradores anônimos de outros municípios. Converse com eles procurando saber de onde vieram e sintam o que falsos cristãos com onda de bom samaritano fizeram da vida desses pobres.

Quantos brasileiros são usados como instrumentos de manobras em épocas de eleições no mundo dos famigerados políticos oportunistas espalhados por todo o Brasil! O tempo não vai lhes oferecer dias melhores, e sozinhos se encarregarão da sua final trajetória social e humana. Muitos foram enganados, alguém deixou claro que eles vieram dar um passeio e foram deixados nas sarjetas de outras comunidades carentes como a nossa. Pobres, sem recursos financeiros, sem casas para sentir um pouco da qualidade de homem destinado a uma civilização que busca trabalho para realizar sonhos imagináveis.

Bastante degradante o perfil humano de muitas pessoas que encontramos nas ruas de Ilhéus e maldosamente foram destinadas a esses tipos manobras populacionais. Transferidas dos antigos domicílios e barbaramente há muito tempo passam fome, não tomam banho nem dormem numa cama, esperando um novo dia amanhecer para começar a peregrinação de sua desconfortável rotina. Tem gente até que riem dessa gente e outros exclamam sem saber como ajudar, e assim essa situação fica na estranha frase “toma que o problema é seu”!

Precisamos acabar com essas atitudes criminosas contra as vidas dos pobres e necessitados de amparo social. Temos a certeza que naturalmente os agentes que estão cometendo tantos crimes de deslocamentos de pessoas para outros destinos, serão punidos por suas próprias consciências num juízo final. O mal nunca alcança a proeminência estendida pelo mundo inteiro traduzido pela elevação da benevolência do bem interior dos seres criados por Deus. O que é bom permanecerá sempre às vistas de todos e os sensatos seguirão as estradas dignas, basta possuir sentimentos pacíficos.

São fatos com fortes atentados contra a vida de pobres pessoas inocentes que passaram a ficar em piores condições quando aqui desembarcaram. E agora, culpar a quem essas mazelas que marcam e denigrem profundamente a reputação de uma cidade tão bonita como a nossa em que apenas assistimos esse ingrato espetáculo sem encontrar a justa solução. Em que posição estará os seus administradores, tão bem remunerados por nossa população para colocar em ação a assistência social do município? E, como podemos sentir plena satisfação vendo tantas destruições de forma lentas e ignoradas por quem são destinados a manter Ilhéus livre da tantas irregularidades com poucos planejamentos? E, aliás, existem planos políticos apenas no âmbito criminoso de enganar, sempre olhando nos olhos através de escolhas, pessoas tristes por serem objetos usados para levar ao poder tantos administradores que os punem com tacanho abandono.

Quantos caminhos percorreram e percorrem tantas criaturas humanas de todas as camadas sociais e não vêm, nem ainda imaginaram a existência de tantas pessoas de índoles tão mesquinhas. Tudo isso nos faz parar e pensar sobre a classe política na sombra da inércia. Acham que administram tão exemplarmente os nossos municípios, estados e nosso país. O mais intrigante é quando tomamos conhecimento do que são capazes para tornarem coisas sérias em assuntos meramente resolvidos através da aparência com traços de requintes de maldades. E no final atribuem que são autênticos promotores da ordem, da paz e da solidariedade. Tem ações de homens que são piores de que bichos irracionais e não encontramos meios de entender se fazem parte de uma civilização humana e solidaria em beneficio do bem. Quando afinal os supostos políticos eleitos para representar os Brasil e defender os brasileiros, os deixaram livres de tantas misérias causadas pelos descasos da ganância em detrimento de enriquecimentos ilícitos em nosso País? PENSEM NISSO!!!

EDUARDO AFONSO – Ilhéus – Bahia

UMAS E OUTRAS DA CIDADE (XXVIII)

(NOTAS DE BELMONTE – ‘BEBEL’ PARA OS MAIS CHEGADOS)

No fim dos anos 60 do passado século pintavam em Bebel oriundos do Rio de Janeiro, José Januário, Mario Roberto e Caio Jarbas, irmãos na flor da idade, garotões sarados e, bem de dindim. Na capital carioca viviam no bairro do Leblon sob custódia do tio Tantão (de registro Sebastião Gomes de Oliveira). Do rol de famílias de abastados cacauicultores, chegavam para ajudar o pai Luís Gomes a tocar as propriedades cacaueiras que margeavam o Jequitinhonha (subindo o rio) até o distrito de Cachoeirinha.

O mais novo, o mais boêmio e ao qual se prende esta Notas era José Januário, que de prima recebeu dos autóctones, por apreciar o tipo de short, o cognome de Zé Bermuda. Mal, mal arriou as malas o chegante tratou de dar um tempo ao preestabelecido objetivo para se dedicar a outro: o de se enturmar com a rapaziada local, rapaziada esta que tinha, como maior preocupação, curtir a vida, não estando nem um tiquinho assim preocupada –por ainda faltar-lhe consciência política– com o regime ditatorial que o país vivenciava. Bom falante, de sotaque carioca, Zé Bermuda não encontrou barreiras para adaptar-se aos costumes dos conterrâneos. Nessa época as festinhas nos clubes América, Flamengo, nas sedes das sociedades filarmônicas Lyra Popular e 15 de Setembro, no Clube dos Carregadores dentre outros espaços, complementadas pela fama da cidade de produzir invejáveis safras de mulheres bonitas na Região do Cacau, faziam a pequena Bebel efervescer. E havia também –como a não ficar para trás desta produção feminina– um grupo de rapazes nascido de maneira natural e nomeado pelas próprias meninas de “boas-pintas”, que o Zé entrou sem necessitar de seleção.

Eram festas diversas –e se davam com intensa participação de nativos e visitantes–, inclusive de cunho religiosas. É numa dessas, a de Nossa Senhora do Carmo, padroeira da cidade que, Marta Viana, loura adolescente, bonita, avançada e chegada de Salvador se bateu com Zé Bermuda não dando outra: se apaixonaram à primeira vista. Num breve relato, esse festejo ocorre de 7 a 16 de julho de cada ano na Praça da Matriz onde a igreja da santa está situada, meio a missas e novenas festivas, barracas e a alegria contagiante dos partícipes. Sim, num piscar de olhos já estavam aboletados na barraca de Zeca de Pepino, um amigo da moçada, a planejarem os primeiros passos a dois. Comerciante matreiro, carnavalesco dos bons, exímio tocador de timbau e cantor nas horas vagas, Zeca não hesitou em dar uma força ao ‘love’ do neófito casal com os clássicos de sua carreira solo. Foi deste modo que, entre cervejinhas, batidinhas de caju à moda da casa e, um ‘tapinha’ de leve coisa e tal na ‘inocente marijuana de inocentes tempos’, o dia amanheceu sinalizado pelo foguetório da missa. Nesse momento, embebecidos pelas flechadas de cupido, tomaram uma decisão: se casar aproveitando a folga do Padre João ao término da celebração eucarística. Logo Zé Bermuda mandou avisar a mãe, dona Irma, e pediu-lhe que trouxesse flores. A progenitora com o impacto da notícia de imediato procurou saber da moça. Soube estar hospedada com a ex-prefeita Nirinha e sob os cuidados de Altair Resende, uma amiga de Gei Viana, pai da jovem e homem forte do cacau no pedaço. Enquanto os comentários da

inesperada núpcia tomavam conta das ruas, os futuros cônjuges, ligeiros, não titubearam nos preparativos. No altar os padrinhos Ronaldo Perninha, Maria Adalcy, Romualdo Tourinho, Solange Melo, o casal, amigos e o Padre João já selando o matrimônio quando de súbito ecoa na frente da igreja: –Abra a porta, Padre João!, abra a porta! Era a protetora da nubente em tom meio aflito a empurrar a porta entreaberta do templo. Não tardou a chegar o delegado Jorge Paternostro e com outro brado dominar o ambiente: –Padre João, um instante. Estou com o BO da dona Altair; assim sendo este enlace matrimonial está impedido. Cumpra-se.

E a ordem foi cumprida.

Este escrevinhador pertenceu, jogando a modéstia às favas, ao time dos ‘boas-pintas’ e participou de poucas e boas com o protagonista do açodado casamento. Recentes relatos revelam que tempos depois a protagonista, sem mais o viço da juventude teve um relacionamento com Carlos Antônio (Totonho ou Velho Tota para os amigos), outro pertencente ao quadro dos ‘pintudos’. :: LEIA MAIS »

VAMOS FALAR UM POUCO SOBRE DITADURA?

Nasci às vésperas da Ditadura de 1964. Com ela convivi meus primeiros 22 anos de vida, mas, desde os 12 de idade, tinha uma certa consciência daquilo. Naquela época, já acompanhava noticiários – inclusive os alternativos – e cheguei a ler muitos Pasquim e Última Hora. Lembro bem da polícia descendo o cacete em manifestantes, lembro também do AI-5, das palavras “censura” e “subversivo” (as mais faladas de todas), lembro ainda das tantas notícias sobre tortura, encarceramento, exílio, sumiço ou extermínio de jovens opositores ao regime.
Ditadura tem de todo tipo e ainda há remanescentes nos quatro cantos do mundo, sobretudo África e América Latina, não à toa regiões do planeta pontuadas pela pobreza e subdesenvolvimento.
Há ditaduras de direita, de esquerda, civis, militares, populistas, impositivas e até “democráticas”; nesta última, pasme, os ditadores são eleitos pelo povo! Em geral,  uma característica típica desse regime de governo são os laços estreitos com ilicitudes.
Coincidentemente, a ditadura venezuelana teve sua origem nas mãos de um militar paraquedista, só que populista e de esquerda, em vez de liberal de extrema direita. Não importa, nenhuma delas presta.
No Brasil, tivemos aquela Ditadura estabelecida há pouco mais de meio século e que durou vinte e um anos; entretanto, tenho visto no atual governo eleito pelo povo vários traços, pronunciamentos, atitudes e medidas impostas que me remetem àquela época, àquele passado, algo como eu estar voltando no tempo e retrocedendo meio século. Um verdadeiro retrocesso, esta é a palavra. Tudo isso em plena quase terceira década do século XXI.
E eu pensando que já tinha visto de tudo.
Nilson Pessoa

TRÂNSITO DE VEÍCULOS, ZONA SUL ILHÉUS.

SOS Ponte do Pontal.

A Zona Sul precisa urgentemente desse equipamento.

Os veículos que sai da zona sul e se destinam zona norte, centro da cidade e outros locais após a Ponte Lomanto Junior para acessar a ponte utiliza avenida Lomanto Junior, esse é caminho normal para ultrapassar ponte e seguir seu roteiro, nesse trecho o transito é moroso demanda tempo para chegar na ponte para reduzir o tempo é feito uma alternância de percurso utilizando ruas do condomínio da Sapetinga para reduzir tempo de percurso para passar pela ponte. Esse procedimento em parte é feito com desobediências as normas de transito e colocam veículos e pedestre em situação de risco, citamos alguns a seguir:

Avenida Lions Internacional (aonde está situada a Capela da Sapetinga e o fundo do mercado GBarbosa) acessam a esquerda as ruas 1, 2 e 3 da Sapetinga sem observar as normas de transito para entrar nessas transversais.

Avenida Sapetinga que recebe as ruas 1, 2, 3, e demais ruas desse condomínio chegando na Avenida Lomanto Junior aonde está situada as sinaleiras que controla o movimento de veículos nessa área. Nessa Avenida os motoristas ordeiros sequem em fila indiana para acessar a Lomanto Junior em direção a ponte. Motoristas que não obedecem às normas de circulação de veículos nas vias urbanas trafegam na contramão pondo em risco veículos e pedestres que utilizam essa área. Alguns motoristas além de circularem na contramão fazem fila dupla na faixa de retenção da sinaleira.

As ruas 2 e 11 do Condomínio Jardim Pontal acessam a Avenida Lomanto com placa de transito proibindo dobrar esquerda os motoristas ignoram essa sinalização.

Superintendência de transito deve coibir essas irregularidades no transito, evitando problemas futuros.

Essa situação é desrespeito aos motoristas que circulam obedecendo as normas de circulação de veículos em vias urbanas.

Desejamos bons serviços e boa segurança a todos nós cidadãos.

[email protected]

Ilhéus, 30 de maio de 2019

FILA DUPLA FAIXA DE RETENÇÂO

AV. SAPETINGA VEICULO NA CONTRAMÃO

AVENIDA SAPETINGA VEICULO NA CONTRA MÃO

O PREFEITO E O EXCESSO DE DESPESA COM PESSOAL

Por Gustavo Kruschewsky

“A responsabilidade pelo eficiente emprego de recursos

Públicos deve ser a meta do administrador diligente”.

JORGE FERNANDES

Segundo JOÃO FELDER: “A primeira história sobre Tribunal de Contas com punições é relatada no tempo em que FELIPE IV, o Belo, era Rei da França. Conta-se que lá existia a Corte de Contase. Ao lado dela havia um pátio onde eram decapitados todos os condenados pelo mau uso do dinheiro público”. Contudo, não há necessidade de se pensar num sistema cruel dessa natureza aqui no Brasil, considerando que se tem outros tipos de punições no nosso ordenamento jurídico aqui no País. Só precisa da sua regular aplicabilidade e acabar com o “jeitinho brasileiro de se mudar as coisas”.

A – LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal – Lei Complementar nº 101 de 2000 vem perdendo a sua higidez. Surgiu com algumas finalidades, em tese para não desequilibrar as receitas com enormes aumentos abusivos a exemplo de contratação de pessoal.

Começa a cambalear com o surgimento de uma novidade: FOI SANCIONADA A LEI COMPLEMENTAR Nº 164 DE 18 DE DEZEMBRO DE 2018, que modifica o art. 23 da Lei de Responsabilidade Fiscal. A referida Lei foi sancionada pelo Presidente da Câmara dos Deputados Federais que estava interinamente no posto de Presidente da República. Assim sendo é uma forma de aprovar fim de punição para determinados municípios que “estourarem limite de gasto com pessoal”.

O art. 1.º da referida Lei Complementar prevê que: “O artigo 23 da Lei Complementar n.º 101, de 04 de maio de 2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal), passa a vigorar acrescido dos seguintes §§ 5º e 6º.

§ 5º – As restrições previstas no § 3º deste artigo (art. 23 da LRF) não se aplicam ao Município em caso de receita real superior a 10% (dez por cento), em comparação ao correspondente quadrimestre do exercício financeiro anterior, devido a: I – diminuição das transferências recebidas do Fundo de Participação dos Municípios decorrente de concessão de isenções tributárias pela União; e II – diminuição das receitas recebidas de royalties e participação especiais.

§ 6º – O disposto no § 5º deste artigo só se aplica caso a despesa total com pessoal do quadrimestre vigente não ultrapasse o limite percentual previsto no art. 19 desta Lei Complementar, considerada, para este cálculo, a receita corrente líquida do quadrimestre correspondente do ano anterior atualizada monetariamente”. Esta Lei

Complementar entrou em vigor na data de sua publicação, 18 dezembro de 2018, e já tem efeitos no exercício financeiro de 2019.

Todavia, independente da mudança atual do artigo 23 da LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL, se o Prefeito do Município for diligente e perceber que está havendo excesso de despesa com pessoal na sua gestão, às vezes causado pelo Alcaide que lhe antecedeu, ultrapassando os limites de gastos de (54%) da receita líquida, sendo beneficiado ou não pelos critérios estabelecidos no que dispõe a Lei Complementar 164 e precisar despedir funcionários para regularizar as contas públicas municipais, deve assim proceder: :: LEIA MAIS »





















WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia