Editoria ‘Espaço do Leitor’

PSICOMUNDO <> LAMENTOS PELAS ESCOLHAS DE POLÍTICOS SÉRIOS!!!

Andando pelas ruas, bairros e povoadas que formam o mundo mais abrangente de nossa população ilheense, notamos grandes contingentes de políticos espalhados por todos os cantos. Uns já viciados nas práticas de conversa mansa, como se diz na gíria popular, cheios de conversas para fazer bois dormirem! E, olhando bem, a cidade de Ilhéus é possível mudar e crescer SIM, basta ser administrada por pessoas honestas e trabalhadoras, e que realmente gostem dessa Terra boa e acolhedora.

Não podemos entender os desmandos atualmente observados com os tratos das coisas públicas em nosso País, e notadamente, nessa exuberante cidade.  A cidade de Ilhéus, olhando pelas inúmeras visitas de pessoas do mundo inteiro, pode-se dizer que sempre será vista e colocada nos cenários de grandes escolhas de Terra boa, evidenciando-se pelo lazer e por sua exuberante beleza natural. Não existe dúvida acerca desse importante detalhe, dando ênfase para tê-la como “Princesa do Sul”! E assim, verificamos tantos candidatos querendo salvar a cidade de Ilhéus, como se ela estivesse em estado morte pré-estabelecida pelo tempo perdido, com a ausência de sérios projetos e realizações benéficas e altaneiras para o seu bem-estar social e humano.

•| MATÉRIA COMPLETA »

DO FUNDO DO BAÚ DE JOSÉ LEITE.


1) HÁ 30 ANOS ATRÁS: UMA CASA DE EVENTOS PARA 400 PESSOAS.
2) AS FOTOS DESTAQUES DA SEMANA.

•| MATÉRIA COMPLETA »

NOTÍCIAS DA AVEP

NA 17ª RODADA CRISTA LEVA GOLEADA DE MARCONI E ERISVAN PERDE PARA WAGNER

01

01

02

02

03

03

04

04

Fazendo parte da 17ª rodada de “babas de praia” da Programação 2016 da Associação dos Veteranos de Esporte Praiano –AVEP,  no domingo(4) pela manhã jogando no  Campo Grimaldo o time do Capitão Erisvan perdeu para o do Capitão Wagner pelo escore de 4 a 3, com gols de Zezinho da Baixa Fria e Alan Dias(2) para o perdedor;  Podão(2), Wendell e  Wagner  para o vencedor. Já no Campo Martial a equipe do Capitão Crispa da Galera do Fla levou uma saraivada de gols da do Capitão Marconi. Os gols foram de Ismar (Cap. Crispa); Tabosa(2), Garrancho e Ralio para o quadro do Cap. Marconi.

Os árbitros Carlos Santos (Campo Grimaldo) e Emanuel Lima, ambos da Liga Ilheense de Futebol apitaram como manda a regra do esporte bretão. Levaram Cartão Amarelo os atletas: Rosivaldo, Sena, Luís Humberto e Marconi.

Equipes no Campo Grimaldo

•| MATÉRIA COMPLETA »

OS CACAUICULTORES SOLTAM A SUA VOZ

OS CACAUICULTORES SOLTAM A SUA VOZ

Luiz Ferreira da Silva

Pesquisador/Solos aposentado da CEPLAC

luizferreira1937@gmail.com 

 

Quando eu soltar a minha voz, por favor, entenda.

Que palavra por palavra eis aqui uma pessoa se entregando

Coração na boca, peito aberto vou sangrando.

 São as lutas dessa nossa vida que eu estou cantando

(Gonzaguinha)

 

LUIZ FERREIRA

Em artigo que publiquei no www.r2cpress.com.br, SOS CACAUICULTURA, enfatizei o caos do tripé, PLANTA/INSTITUIÇÃO/PRODUTOR, cuja solução recaia na revitalização da força operacional dos homens que labutam a terra, enfraquecida pela insolvência da cacauicultura.

E acrescentei que lhes caberiam resolver a questão. Se o MST sem objetivo que não seja o tumulto e com um bando de radicais bota o bloco na rua, fecha estradas, depreda repartições públicas e peita governadores, porque legítimos agricultores que geram riquezas não são capazes de virar “povo nas ruas”? Ademais, os políticos falharam, quando poderiam ser bons intermediários, mas a história registra a sua incapacidade.

Coincidentemente, recebo a notícia que um grupo de bons empreendedores do cacau – Gustavo Mouro, Paulo Cortizo, Alfredo. Dantas Landim, Guilherme Galvão, Milton Andrade Júnior, Ricardo Gomes, José Ribeiro Benjamin, Aguido. Muniz – produziu um substancial documento reivindicatório, apenas em 6 páginas, mas conciso, objetivo, elucidativo, digerível, desgostável e digestivo.

Coloca os problemas com clareza e expõe os requerimentos para uma retomada da cacauicultura em bases que atendam aos diversos aspectos econômicos, sociais, culturais e ecológicos.

Para dar uma ideia da magnitude da propositura já do conhecimento do MAPA e na expectativa de chegar à Presidencial da República, resumo a seguir alguns tópicos.

– Enaltece o valor da pesquisa, sem a qual é impossível se vencer os desafios, concluindo pela necessidade do fortalecimento de uma agência com modelo jurídico e de governança participativo e transparente para que a iniciativa privada tenha interesse em aportar recursos.

– Propõe a criação de um fundo para a cacauicultura a expensas dos próprios produtores, demonstrando o quanto eles estão imbuídos e até se sacrificando para a revitalização do cacau, quando em épocas anteriores a luta era para derrubar a taxa contributiva que mantinha a CEPLAC.

– Outro avanço se refere à verticalização da produção como forma de auferir benefícios gerados pela cadeia produtiva e agregar valores à produção final.

Enfim, um documento sem lamentações e, tampouco, choros, como era comum em épocas passadas, mas eivado de dados consistentes e caminhos pavimentados em direção a uma agricultura forte, sustentável e integrada aos demais setores da economia, consentâneos ao equilíbrio, uso versus conservação dos recursos naturais do Sul da Bahia. (Maceió, Al, 06 de setembro de 2016).

“ANTES TARDE DO QUE NUNCA”

Odeio essa frase. Uma porcaria de frase, inventada sabe-se lá por quem, cuja intenção mais provável seria consolar malandramente outrem, sobre algo que havia sido esquecido, procrastinado, empurrado com a barriga, deixado pra depois, até que, num quase milagre, acabou sendo tardiamente feito ou concluído. Nos últimos dias, tenho ouvido muito essa maldita frase sendo pronunciada por moradores e visitantes do Santo Antônio de Pádua, no bairro Hernani Sá.

Foi noticiado, semana passada, que, finalmente, o poder público se dignou a fazer a tão suplicada reforma da praça daquele logradouro, reivindicada pelos moradores não há meses ou anos, mas há décadas, e tendo passado por governos e “regovernos” à base de descaso e abandono.

É louvável que, enfim, alguém se dignou. Vale relembrar que, antes da praça, há alguns meses, tratou-se de acabar de vez com a vergonha que era a via que a circundava, outrora totalmente intransitável para veículos e pedestres de tanto buraco e lama  –  recebeu pavimentação asfáltica.

O que não dá pra entender, de forma alguma, é o fato das ruas da Faelba – 50 metros logo após a praça – continuarem sem pavimentação, esburacadas e empoeiradas ao sol e enlameadas e intransitáveis na chuva., e isso desde sempre, há mais de 30 anos!

Por que nada é feito na Faelba? Será que é porque não fica na frente, na fachada, à vista de quem chega?

Desigual e injusto.

Enfim, a tão suplicada reforma da praça.

Enfim, a tão suplicada reforma da praça.

Mas infelizmente, apenas alguns passos adiante...

Mas infelizmente, apenas alguns passos adiante…

... a realidade da Faelba continua a de sempre.

… a realidade da Faelba continua a de sempre.

Nilson Pessoa

 

Associação Ilheense de Ciclismo

Agradecemos a presença de todos neste BICICLETAÇO! 

Dia 31 08 2016, onde foi fixada a

primeira bicicleta fantasma na cidade de Ilhéus.

ACI_Bicicleta fantasma

AIC_Bicicleta fantasma

2

2

AIC3

AIC3

È uma bicicleta colocada no local onde um ciclista foi morto por um veículo motorizado. É ao mesmo tempo um memorial e um recado para os motoristas para compartilharem as estradas de maneira mais pacífica onde o maior tentará cuidar do menor pois é o que pede o código de trânsito Brasileiro. Em geral, uma bicicleta fantasma é uma bicicleta velha pintada de branco e presa em algum objeto próximo ao local do acidente. Juntamente com o apoio geral da população acreditamos que podemos mudar essa realidade que vivemos hoje em nossa região! Agradecemos de coração todos os presentes! JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

 

Luiz Castro em:   DECOLORES

GENTE DA GENTE

A saudade mata a gente quando  lembro das aulas ministradas pelas mestras Horizontina, Alina Carvalho e Edelvira Pita. Também   os mestres Bráulio, Fabio Araripe e Pedro Lima… A escola de datilografia da Escola Técnica de Comércio de Ilhéus com o Professor Nogueira… As obras  sociais  realizadas através de Conceição Lopes, Esther Pacheco e Janira Amorim … As sessões maçônicas na Loja Vigilância e Resistência presididas pelos Veneráveis Mailton, Moises Bohana e Clóvis Lino… As reivindicações de   Demonstinho Castro em prol do Porto do Malhado… As atuações dos saudosos Presidentes   da Associação Comercial nas pessoas de  Ananias Dórea, Álvaro Melo Vieira e José Alves  Santos… Os  comerciantes Albino Pereira (Padaria Luso), Alberto Storino (Casa Glória) e Elias Ocke (A Gaúcha)… Os artigos escritos no Diario da Tarde  por Chicão, Otávio Moura e Rubens Correia… As  participações dos advogados Tandick Resende e Francolino Neto No Forum de Ilhéus… O dinamismo dos edis Álvaro Silva, Ponciano Novaes Miranda e Amilton Inácio de Castro… Os comentários  dos radialistas   Paulo Kruschewsky, Tony Neto e Armando Oliveira… Os bate papos com Sá Barreto, Tom Lavigne, Mesquita e Popoff… A paciência de José Lourenço da Fonseca na qualidade de Provedor do Hospital São José… Os médicos humanitários  Altino Vinhaes, Hernani de Sá e Moura Costa… A simpatia  de  Napoleão Marques, Zilson Bittencourt e Almir Couto… A cervejinha com sarapatel no Bar Maré Mansa de Erotildes Melo… As moquecas apimentadas do Barravento de Jorge Maia e a jacuba feita  no Restaurante de Garangau… O caruru servido na residência de  Hélio Melo … Os  carnavais de Herval Soledade… Os foliões Walter Manchinha e Renildo Nascimento…O equipe de futebol  da Rua Rotary campeã do torneio caixeral… As peças de teatro produzidas por Pedro Matos e Ekio Reis… Os consertos de sapatos confeccionados por Maninho da Sapataria Selvagem,   Osmundo, Américo e Maraú  da ladeira da Vitória… Os epigramas de Alberto Hoisel… Os casamentos celebrados pela Juíza de Paz Amelinha Soub… Os discursos eloqüentes de João Peruna e Sapaveiga… As tardes ensolaradas no Estádio Mario Pessoa com jogos entre as equipes do Colo Colo,  Flamengo, Vitória,  Satélite,  Ypiranga, Ilhéus e  Ferroviário… Os desportistas Barreto Rouco, José Magalhães, Augustinho Fidelis, Ariston Cardoso, Edval Moura, Rui Santana e Gildasio Almeida  Os programas infantis  dominicais  na Radio Cultura com Titia Rosita e Titio Brandão… O vocabulário intelectual do Advogado   Paulo Mota… A alegria contagiante de Claudinê… .As piadas contadas por Seara… Os babas da Avep com Martial e  Marcos Paiva… As viagens na Kombi de Guerrinha… A oratória de Nelson Moreira na Loja Maçônica Elias Ocke…  O concurso de  Miss Bahia com  Florianel Portela  …Os terços rezados por Anísio da Hora e seus familiares… Os Cursilhos com Berá, Malagute e Teófilo… O carinho especial da Irmã Margarida no Hospital São José… Os Encontros de Casais  com Tote Chagas, Almir Freitas, Alvinho Simões e Gaby Pinheiro… Os sermões  dos padres Argolo, Bernardo, Barreto e André… A espiritualidade de Dom Valfredo Tepe… E as bicas de zinco confeccionadas por meu pai Rosentino Castro,  herói anônimo de minha vida.

Luiz Castro

Bacharel Administração de Empresa

 

DO FUNDO DO BAÚ DE JOSÉ LEITE.


1) FAZENDO AMIGOS ATÉ NO SANITÁRIO.
2) REVENDO OS AMIGOS DE JUAZEIRO DO NORTE.
3) ESTACIONAMENTOS… COMO RESOLVER?
4) AS FOTOS DESTAQUES DA SEMANA.
•| MATÉRIA COMPLETA »

Agrissênior Notícias – Nº 588 – 06 de setembro de 2016

PARA LER EM TELA CHEIA CLIQUE NAS DUAS SETINHAS.

QUEM NÃO TEM SHOPPING SE VIRA COM CALÇADÃO

O centro comercial é a efervescência de qualquer cidade; é onde circula todo tipo de gente e onde as pessoas gostam de sentar num banco de praça ou de botequim pra jogar conversa fora, falar de futebol, comentar a vida alheia e meter o pau no prefeito, governador e presidente.

Não sei você, mas eu aprecio muito dar  umas voltas no calçadão do centro de Ilhéus. Às vezes, resolvo sair de casa só pra isso. É lá que se come do acarajé ao beiju e se bebe do café expresso ao chope gelado. Frutas da época, castanha de caju, guarda-chuva, chip de celular e bugingangas mil, em lojas e camelôs.

Ilhéus é uma cidade na faixa de até 200 mil habitantes que, por mais incrível e absurdo que possa parecer, ainda não possui um shopping center. E olhe que já passamos da metade da segunda década do século vinte e um!

Na falta de shopping, ar condicionado, granito, vidraças e praça de alimentação, por que não dar uma “levantada” no calçadão, ao invés de cruzar os braços e deixar o tempo passar, esperando pelo shopping que nunca vem?

Shopping center à parte, quem não tem cão caça com gato. Já que só temos mesmo o calçadão, seria bom mantê-lo sempre nos trinques. É o mínimo que uma cidade que se preza pode fazer.

Que tal se começassem pela eficiência na limpeza, pela reforma do pavimento, substituição e padronização dos bancos de praça, outras benfeitorias e incentivos que atraíssem novos comerciantes, mais consumidores e mais visitantes ao nosso bucólico calçadão? Pontos a ganhar para o comércio, para o turismo, para os munícipes e até para o prefeito.

Pois é. Pensem nisso, senhores candidatos…

01

01

02

02

03

03

04

04

05

05

06

06

07

07

08

08

09

09

Nilson Pessoa

Luiz Castro em: DECOLORES

POR QUEM TORCEU JESUS?

O Brasil participou das Olimpíadas Rio 2016, e disputou várias modalidades esportivas, em especial o futebol, onde  fomos considerados os melhores do mundo ganhando a medalha de ouro.

Pensando sobre o assunto, perguntei-me. Por qual o pais que Jesus torceu? Pelo Brasil por ser um pais do terceiro mundo ou EUA a primeira\ potência mundial?

Lembro-me da estória contada pelo Padre Gabriel, no Boletim O Semeador.

“Lamentava-se Jesus de nunca ter visto um jogo de futebol. Resolvemos leva-lo a uma partida, eu e alguns amigos. Foi um jogo feroz entre os católicos, azuis, e os protestantes, preto e branco.

O primeiro gol foi dos católicos, com grande alegria para Cristo. Mas logo veio o gol dos protestantes e Cristo teve a mesma reação de entusiasmo e alegria.

Isso deixou meio “encucado” um camarada que esta atrás de nós; ele bateu no ombro de Jesus e perguntou: “Mas, afinal, você por qual time está torcendo?”

“Eu?, respondeu Jesus, por lado nenhum; estou aqui para divertir-me, assistindo ao jogo”.

O homem atrás de nós disse então ao vizinho: “Olhe aí! Mais um ateu!

Ao sair do estádio, comentando com Jesus a respeito da situação religiosa, política e social do mundo inteiro, concordamos que a situação está mais para guerra do que para paz. Mais para a divisão do que para a concórdia. Mais para a a ditadura que para a liberdade. E essa divisão, lamentou Jesus, existe entre os cristãos”.

A estória é interessante para ser analisada e nos dar boa oportunidade para fazermos o exame profundo. O exame sobre o amor. Um amor que acabe com todos os muros de separação por motivos fúteis, políticos e religiosos.

O importante é desenvolver um clima de paz, de harmonia, de liberdade , de respeito, no qual seja mais fácil o crescimento integral da pessoa humana.

O importante é salvar o homem, nos diria Jesus Cristo!

A Igreja como Cristo, torce para que o homem encontre inspiração para atuar em prol da fraternidade, da justiça e da paz; para agir contra as dominações, discriminações, violências e agressões.

 

 

Colaboração de Luiz Castro

Bacharel Administração de Empresa

COMEÇARAM AS OBRAS DA NOVA PONTE NA TERRA DOS CINQUENTINHAS, GOVERNADA POR BANANAS QUE NÃO ESTÃO NEM AÍ PRO SEUS MUNÍCIPES.

Por Edgard Siqueira

PARA LER EM TELA CHEIA CLIQUE NAS DUAS SETINHAS.

NOTÍCAS DA AVEP

CRISPA DA GALERA DO FLA GANHA NA 16ª RODADA

01

01

O sol a raiar bonito no domingo (21) sinalizava um forte comparecimento dos associados aos tradicionais “babas de praia” da Associação dos Veteranos de Esporte Praiano –AVEP, mas o que se viu, ao contrário do que se previa, foi a presença de um número reduzido de avepianos. Alguns espirituosos andaram dizendo que a ausência se dera em razão de muitos associados ficarem encantados com as Olimpíadas a ponto do embevecimento haver continuado. Claro, claro, e, quem não ficou? Basta agora, abaixada a poeira, torcemos para que não apareçam os costumeiros superfaturamentos oriundos dos conluios empreiteiras-políticos e, os bons efeitos “anormais” –exemplo da segurança pública no Rio de Janeiro– produzidos pelas Olimpíadas permaneçam e se espalhem para os outros cantos do País.

Sim, como estávamos dizendo, desta forma ao invés de dois só fora realizado um “baba” em que o time do Capitão Crispa da Galera do Fla venceu o do Capitão Marconi pelo escore de 1 a 0; gol do ponta de lança Ismar aos 35’ da 1ª etapa. Como de praxe acontecera pela manhã na praia da Av. Soares Lopes, imediações da Tenda Teatro Popular de Ilhéus. O jogo fora dirigido pelos árbitros Emanuel Silva Lima(1º  tempo) e Wilson Salviano, ambos da Liga Ilheense de Futebol, com boas atuações. Levaram Cartão Amarelo: Alan Dias, Zugaib e Silva.

Obs. Como não houve possibilidade da formação de quatro times, a Comissão de esporte do dia, entendendo que os que compareceram ficariam injuriados se não fossem fotografados, resolveu, em respeito a esses abnegados, suspender as fotos   das duas equipes da rodada.

Equipes

•| MATÉRIA COMPLETA »

DO FUNDO DO BAÚ DE JOSÉ LEITE.


1) O CANDIDATO DE JOSÉ LEITE PARA PREFEITO DE ILHÉUS.
2) JOVENS QUE PARTICIPARAM E COLABORARAM COM A ORGANIZAÇÃO JOSÉ LEITE DE SOUZA NOS ÚLTIMOS 50 ANOS (FINAL).
3) AS FOTOS DESTAQUES DA SEMANA.

•| MATÉRIA COMPLETA »

Sindtaxi Ilheus / Edital de Convocação de Eleição

Edital assinado

Luiz Castro em: DECOLORES

PRAÇA J.J.SEABRA – URGENTE

Esta praça esta localizada em pleno centro do comércio de Ilhéus, onde esta erguido o Palacete Paranaguá (Prefeitura Municipal de Ilhéus), Câmara Municipal de Ilhéus,  o prédio da  Associação Comercial de Ilhéus, Loja Maçônica Elias Ocke, além de inúmeras casas comerciais.

Ocorre, no entanto apesar da Prefeitura, da Câmara Municipal e da Associação Comercial, trata-se de uma  Praça abandonada pelo Poder Público, tendo em vista a falta completa de policiamento e fiscalização da saúde pública, onde alcoólatras e viciados em drogas  vivem diariamente nos bancos dormindo no relento, consumindo “corote”, fazendo suas necessidades fisiológicas nos arredores da Praça em plena luz do dia, praticando sexo explicito, fazendo algazarras, brigas e discussões entre os mesmos, desrespeitando os transeuntes quando não atendem seus apelos para ganhar um trocado, entre outras situações verificadas pela comunidade.

Todas estas situações são vistas diariamente pelo Poder Publico (Prefeito, Vereadores, Secretários de Governo), principalmente pelo Secretario de Ação Social que não toma nenhuma providencias junto às autoridades competentes (Ministério Publico, Juiz, Promotor de Justiça, OAB, Clubes de Serviços: Rotary , Lions e Maçonarias).

A Praça além de ser utilizada como deposito de lixo por parte dos comerciantes, a iluminação pública está necessitando de reposição de lâmpadas urgentemente.                                            As arvores precisam ser podadas, seus galhos está arriando oferecendo grande perigo para os transeuntes.                             Os bancos precisam passar por um melhoramento de pintura, afinal trata-se de uma Praça bastante transitada e freqüentada pelos Ilheenses e visitantes.

Independente das eleições que se aproxima, esperamos que o Prefeito Municipal tome providencias urgentes neste sentido, pois vivemos numa cidade que se diz turística e que não venha ofuscar sua beleza por causa desses exemplos negativos.

Luiz Castro

Ilheense de Coração

 

 

MÃE QUE CHORAVA

 Dom Fernando Arêas Rifan*

Dois santos admiráveis celebramos nessa semana: Santa Mônica (dia 27) e Santo Agostinho (dia 28), do século IV.
Aurélio Agostinho nasceu em Tagaste, na Região de Cartago, na África, filho de Patrício, pagão, e Mônica, cristã fervorosa. Segundo narra ele próprio, Agostinho bebeu o amor de Jesus com o leite de sua mãe. Infelizmente, porém, como acontece muitas vezes, a influência do pai fez com que se retardasse o seu batismo, que ele acabou não recebendo na infância nem na juventude. Estudou literatura, filosofia, gramática e retórica, das quais foi professor. Afastou-se dos ensinamentos da mãe e, por causa de más companhias, entregou-se aos vícios. Cometeu maldades, viveu no pecado durante sua juventude, teve uma amante e um filho, e, pior, caiu na heresia gnóstica dos maniqueus, para os quais trabalhou na tradução de livros.
Sua mãe, Santa Mônica, rezava e chorava por ele todos os dias. “Fica tranquila”, disse-lhe certa vez um bispo, “é impossível que pereça um filho de tantas lágrimas!” E foi sua oração e suas lágrimas que conseguiram a volta para Deus desse filho querido transviado.
Agostinho dizia-se um apaixonado pela verdade, que, de tanto buscar, acabou reencontrando na Igreja Católica: “ó beleza, sempre antiga e sempre nova, quão tarde eu te amei!”; “fizestes-nos para Vós, Senhor, e o nosso coração está inquieto, enquanto não descansa em Vós!”: são frases comoventes escritas por ele nas suas célebres “Confissões”, onde relata a sua vida de pecador arrependido. Transferiu-se com sua mãe para Milão, na Itália. Dotado de inteligência admirável, a retórica, da qual era professor, o fez se aproximar de Santo Ambrósio, Bispo de Milão, também mestre nessa disciplina. Levado pela mãe a ouvir os célebres sermões do santo bispo e nutrido com a leitura da Sagrada Escritura e da vida dos santos, Agostinho converteu-se realmente, recebeu o Batismo aos 33 anos e dedicou-se a uma vida de estudos e oração.Ordenado sacerdote e bispo, além de pastor dedicado e zeloso, foi intelectual brilhantíssimo, dos maiores gênios já produzidos em dois mil anos da História da Igreja. Escreveu numerosas obras de filosofia, teologia e espiritualidade, que ainda exercem enorme influência. Foi, por isso, proclamado Doutor da Igreja. De Santo Agostinho, disse o Papa Leão XIII: “É um gênio vigoroso que, dominando todas as ciências humanas e divinas, combateu todos os erros de seu tempo”. Sua vida demonstra o poder da graça de Deus que vence o pecado e sempre, como Pai, espera a volta do filho pródigo.
Sua mãe, Santa Mônica, é o exemplo da mulher forte, de oração poderosa, que rezou a vida toda pela conversão do seu filho, o que conseguiu de maneira admirável. Exemplo para todas as mães que, mesmo tendo ensinado o bom caminho aos seus filhos, os vêm desviados nas sendas do mal. A oração e as lágrimas de uma mãe são eficazes diante de Deus. E a vida de Santo Agostinho é uma lição para nunca desesperarmos da conversão de ninguém, por mais pecador que seja, e para sempre estarmos sinceramente à procura da verdade e do bem.

*Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney
http://domfernandorifan.blogspot.com.br/

 

Páginas: Anteriores 1 2 3 ... 7 8 9 10 11 12 13 ... 511 512 513 Próximas